Visite nossas Redes Sociais
Curta e siga nossas redes para ter acesso a conteúdos exclusivos, além de manter-se sempre atualizado sobre novos artigos no site.

Celtics 96 x 88 Hornets

O torcedor do Boston Celtics aproveitou o jogo contra o Charlotte Hornets, na noite desta sexta-feira (16), pela temporada 2016/2017 da NBA, para matar algumas saudades. Além de rever a equipe celta, que passou uma semana e duas partidas longe de casa, os fãs alviverdes contaram com o retorno do armador Isaiah Thomas, recuperado de uma lesão na virilha, e voltaram a sentir o gosto da vitória: após três derrotas consecutivas, o Celtics bateu o Hornets por 96 a 88, para delírio de todos no TD Garden.

A festa celta, porém, não veio de maneira fácil. Mesmo desfalcado de Kemba Walker, o Charlotte Hornets equilibrou as ações no primeiro tempo, foi para o intervalo vencendo por nove pontos, ampliou a vantagem para 12 durante o terceiro quarto e deu a impressão de que encerraria a sua série de três partidas sem vencer em pleno TD Garden. Entretanto, o Boston Celtics mostrou a sua força no último quarto: liderado por Isaiah Thomas na quadra de ataque e por Avery Bradley na defesa, o Alviverde virou o jogo e garantiu o triunfo em casa.

Apesar da falta de ritmo, Isaiah Thomas foi o cestinha do Boston Celtics na partida, com 26 pontos em 34 minutos. O pivô Al Horford, além de contribuir com 18 pontos, pegou oito rebotes, distribuiu cinco assistências e deu cinco tocos. O ala-armador Avery Bradley e o ala Jae Crowder anotaram 12 pontos. Já na rotação, destaque para os nove pontos do ala sueco Jonas Jerebko.

Pelo lado do Charlotte Hornets, o melhor jogador foi o ala-armador francês Nicolas Batum, que registrou um duplo-duplo com 22 pontos e 10 rebotes. Substituto de Kemba Walker, o armador Ramon Sessions fez 13 pontos, pegou seis rebotes e distribuiu seis assistências, enquanto o ala-pivô Marvin Williams anotou 12 pontos.

Além de encerrar o jejum de vitórias, o Boston Celtics conseguiu, diante do Charlotte Hornets, um salto na classificação da Conferência Leste. Com 14 vitórias em 26 jogos e aproveitamento de 53,8%, o Alviverde ganhou três posições e voltou para a terceira colocação. Já o Hornets, que sofreu a sua quarta derrota consecutiva, caiu para o sexto lugar, com as mesmas 14 vitórias celtas, mas com um jogo a mais.

Depois de reencontrar a torcida de Boston, o Celtics volta a pegar a estrada para três compromissos seguidos como visitante. O primeiro duelo celta nesta série será neste domingo (18), às 21h (horário de Brasília), contra o Miami Heat, na AmericanAirlines Arena. Antes disso, neste sábado (17), o Charlotte Hornets visita o Atlanta Hawks na Philips Arena.

Destaques do Celtics

Isaiah Thomas (26 pontos e cinco assistências)

Al Horford (18 pontos, oito rebotes, cinco assistências e cinco tocos)

Avery Bradley (12 pontos e sete rebotes)

Jae Crowder (12 pontos e cinco rebotes)

Destaques do Hornets

Nicolas Batum (22 pontos, 10 rebotes e cinco assistências / duplo-duplo)

Ramon Sessions (13 pontos, seis rebotes e seis assistências)

Marvin Williams (12 pontos e seis rebotes)

Author avatar
Gustavo Arruda
Gustavo, 28 anos, é maranhense de São Luís, jornalista formado pela UFMA e repórter do Imirante.com. Fanático por esportes, principalmente futebol e basquete, é torcedor celta desde 2003, quando ouviu pela primeira vez o TD Garden lotado entoando "Let's go, Celtics!", e escreve no Celtics Brasil desde julho de 2011, com mais de 1.700 textos publicados. Nas horas vagas, é goleiro, armador, tio do João Gabriel e da Alice, e também dá seus pitacos sobre o maior campeão da NBA no Twitter: @gustavoarruda01.

15 comentários

  1. Francisco Machado

    Que temporada ta fazendo o Bradley. O cara começa o terceiro quarto pendurado com 3 faltas, e não pisa no freio, continua marcando q nem um cão. Batum deu trabalho demais, principalmente no primeiro tempo, mas no segundo o Bradley encaixou a marcaçao, se nao Batum iria pra 30 pts brincando.
    Horford depois de uma partida preguiçosa, jogou muito ontem.
    Falar do Thomas é chover no molhado. E eu entrando na internet ainda tenho que me deparar com Trade Rumors de IT por Gay. Esses jornalistas americanos são uns fanfarrões.

  2. Lucas Oliveira

    Acabei não conseguindo ver o jogo ontem, mas uma coisa é certa, Horford joga muito melhor quando está com o Thomas.
    Com mais liberdade ele consegue armar e fica muito mais livre para fazer os arremessos quando os outro jogadores tem que ficar de olho e cuidando das infiltrações do Thomas.
    Infelizmente já foram 14 jogos (9 contusão e 1 do filho do Horford e as 4 do Thomas) na temporada que os dois não atuaram juntos, o que prejudica muito o entrosamento. A tendência é que estes dois só melhorem.

  3. Lucas Oliveira

    Aproveitar para ver a opinião da galera sobre um assunto:

    Há rumores dizendo 76ers podem estar abertos a negociar o Noel, mas que as pesquisas a respeito do jogador não tem sido boas e as informações sobre como ele se cuida e seus hábitos, não tem sido bons também. Desta forma, muito times querem traze-lo, mas não querem investir muito.

    Em algum ponto o 76ers terá que ceder e se decidir qual é a melhor coisa que eles conseguem com ele. Minha pergunta é: os nossos ativos disponíveis, são o que o 76ers ganhariam mais ou há times na nossa frente?

    Não sei o quanto tankear seria vantajoso para o 76ers agora, então não sei quanto valor tem nossas picks para eles. E dos jogadores que estamos dispostos a ceder (Olynyk, Zeller, Mickey, Green, Demétrius, Jerebko), não sei se seriam de grande ajuda para eles. O que vocês acham?

  4. Fernando C Silva

    Lucas, a ideia é excelente. Certamente o Noel em quadra agrega muito mais que as nossas atuais opções.

    Mas, temos que examinar os problemas extra quadra.

    Outro fator será o interesse dos 76’s. Acho improvável termos sucesso oferecendo o KO, Jerebko e 1 pick (salvo se número 1 ou 2).

  5. PHABIO PASSOS

    BEM, EU OFERECIA, MICKEY E JACKSON, UM PICK DE SEGUNDA RODADA.
    ESSE DOIS NEM NOS TREINOS DE ESFORÇO,

  6. Francisco Machado

    A medida q o tempo passa o Noel se desvaloriza ainda mais.
    Ta voltando de lesão, e os minutos e medias dele estão horriveis.
    Outro q ta se desvalorizando é o Okafor. Ta jogando mais ou menos 20 minuto, muito pouco. E as medias de 17pts, estao 11.
    Eu sinserqmebte não daria muita coisa pelo Noel não.
    O Okafor, eles vao querer pelo menos Crowder e Smart.
    A verdade é que vai chegar um ponto q o Sixers vao se deseaperar.
    Embiid e unanimidade. E o jogo dele nao casa, formando dupla com nenhum dos dois sitados.
    Saric, meio q ta sobrando tbm.
    Gosto dele, bom pontuador e reboteiro, so nao tem uma boa defesa, mas é jogador pra se estar de olho.

  7. Sander

    Noel seria o encaixe perfeito para o Horford. Mas o que me faz mais querer a troca é o seguinte: Noel se viria querendo provar que tem valor assim como it e Crowder), esses jogadores se dão bem em Boston, pois, dão a vida em quadra.
    Mas não sei o que o Philadelphia pediria, o perímetro deles é horrível, ofereceria o Young ( sem pressão lá, pode dar bom), Green ( um arremessador, que eles tanto querem) e D Jackson ( boa aposta para a armação deles) + duas picos de segunda rodada.

  8. Lucas Oliveira

    Pois é, que a vinda dele por um preço razoável seria uma boa, isso me parece unanime. A minha dúvida é se nós temos chance de traze-lo sem envolver alguma peça fundamental nossa.

    – 76ers está muito tempo em tank, o time é novo, ele querem mais picks?
    – Curiosamente as nossas melhores peças de troca são bigs, mas o 76ers está cheio deles.
    – Se o Simmons for deslocado para a 1, me parece que eles precisam de jogadores para a 2 e principalmente para 3 onde só temos Crowder e Brown.

    Eu tenho a impressão que a menos que envolva alguém importante para o time ou um bom prospecto como o Rozier, nossos ativos não parecem ser tão interessantes para o 76ers.

  9. Sander

    Galera, vcs estão esquecendo de uma coisa muito importante que faz o preço do Noel cair horrores, até mais do que o excesso de bugs, na próxima temporada ele é agente livre(restrito). Portanto eles vão ter que negociar ele.

  10. Lucas Oliveira

    Mais é a isso que eu me referia Sander. Os ativos “dispensáveis” que temos não me parecem ser o que o 76ers precisam, que são picks e bigs de rotação…
    É quase certo que o 76ers vão negocia-lo e na verdade a espera em faze-lo para tentar um negócio melhor está fazendo o efeito contrário, mas neste momento somos nós que estamos a frente para conseguir o negócio?
    Minha impressão neste momento é que não.

    • Sander

      Eu não envolveria o Smart, Rozier e Brown em nenhuma troca, ainda mais por um jogador que pode sair ano que vem. Talvez no momento dos jogadores mais importantes, o”mais negociável” seria o Crowder.

    • Robson

      Não creio que o Sixers se interessaria muito por 2nd round picks. Já possuem um monte de garotos e 4 escolhas no próximo draft.
      Noel é bom jogador, tem mercado, e certamente aparecerão interessados dispostos a dar mais do que 2dn picks e jogadores inúteis como Green e Young. Se topassem uma troca por Smart + 1st 2017 Boston, faria sem titubear (ok, confesso que não sou o maior admirador do Smart, que a cada dia parece mais com o Sully, gordo e com um guaxinim na cabeça). Por Brown não trocaria nem de mano. Por Rozier até faria, mas sem 1st pick envolvida, no máximo uma 2nd.
      Não podemos nos apegar tanto às picks. Precisamos fazer negócio. Ultimamente temos cortado a maioria de nossas escolhas. Não tem lugar no roster pra tanto garoto, ainda mais que Zizic e Yabu devem vir para a próxima season.

Postar comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.