Visite nossas Redes Sociais
Curta e siga nossas redes para ter acesso a conteúdos exclusivos, além de manter-se sempre atualizado sobre novos artigos no site.

Jeff Green se diz feliz no Celtics e refuta rumores de troca

Jeff Green tem mostrado grande fidelidade ao Boston Celtics e muita vontade de continuar na franquia, para levá-la novamente ao topo. Perguntado sobre os rumores de troca ventilado nos últimos dias, Green mostrou-se incomodado e rechaçou os rumores veementemente.

“Antes de começar (a entrevista coletiva), eu só queria esclarecer sobre algumas besteiras de rumores que saíram por aí. Eu não sei se a pessoa que fez este artigo está neste círculo (de repórteres à sua volta), mas o rumor sobre meu desejo de ser trocado é definitivamente falso.”, declarou Green com muita intensidade.

“Eu disse que estava frustrado com as derrotas e não frustrado com o time. Então, se as palavras não saíram de minha boca, eu apreciaria se você não escrevesse um estúpido artigo (palavra de baixo calão) como aquele.”, disse Green visivelmente irritado com o que lera na imprensa.

Em 2012, Green assinou um contrato de 4 anos no valor de 36 milhões de dólares com o Celtics, sendo o último ano opção do jogador. Na temporada seguinte, a franquia de Boston entrou em processo de reconstrução após a era Big Three. À época, Green disse que queria ser a peça chave da reviravolta de Boston.

“Se eu não quisesse (estar aqui), eu não teria assinado um contrato que me trouxesse aqui. Eu estou feliz onde estou. Eu estou feliz com o treinador, com a diretoria, com todo mundo. Nunca estive tão feliz como estou, em anos. Então, este é um bom lugar para mim.”, completou Green.

Jeff Green é o cestinha de Boston com 18,4 pontos, mantendo um aproveitamento de 43,3% dos arremessos de quadra, 27,3% nas bolas de três pontos e 83,9% dos lances livres. Além disso, mantém boas médias de 5,1 rebotes, duas assistências, 1,2 roubos de bola, 0,8 tocos e 1,5 bolas de 3 pontos por jogo. Sua temporada tem sido muito boa, com ótimos desempenhos nos dois lados da quadra, fazendo valer os 9,2 milhões de dólares que receberá no período. Desta forma, se o objetivo do Celtics é fazer a melhor campanha possível e disputar os playoffs, trocar seu cestinha e um dos bons alas da liga não faz sentido e Green tem razão em ficar aborrecido.

Author avatar
Fábio Malet
Gaúcho de Porto Alegre, bacharel em Ciência da Computação e engenheiro de softwares sênior. Apaixonado por esportes, tem o jornalismo como um hobby e pretende, futuramente, fazer pós-graduação na área. Acompanha NBA desde o começo de 2007 e, pé-quente, viu seu Boston Celtics ser campeão na primeira temporada inteira a que assistiu. Torce também para Grêmio, Tottenham Hotspur, Boston Red Sox e Green Bay Packers.

13 comentários

  1. Jonas

    Sou grande defensor do Green. É um jogador acima da média, que sofre o problema de a torcida esperar que ele seja um novo Pierce. Não é, mas é muito bom. Pensem na biografia dele. Quando veio para o Celtics e teria a chance de estourar, teve que fazer a cirurgia cardíaca. No primeiro ano pós-cirurgia era sexto homem e jogava sem pressão, e foi muito bem, inclusive quando jogava ao lado do Pierce.

    Aí veio a grande troca com o Brooklyn e todos esperavam que ele virasse O cara. Mas como? O time do ano passado era horroroso, e quando engrenou o Ainge fez mudanças. O Rondo estava fora. Como alguém teria tido consistência? Este ano o time está melhor em comparação com o de 2013, e o Rondo tem jogado desde o início da temporada. Não surpreende que o Green tenha melhorado.

    Não tem small forwards sobrando por aí. Os melhores são aqueles impossíveis: Lebron, Durant, Carmelo, Paul George. Não adianta torcer pelo Kawhi, os Spurs vão cobrir qualquer oferta por ele, por ser free agent restricted, ficamos reféns. Leonard será a cara do futuro de San Antonio, o Pop já avisou. Dos que acho que são do mesmo nível do Jeff: Rudy Gay acabou de renovar com Sacramento, Hayward e Parsons acabam de assinar contratos de quatro anos. Aí sobram os que ainda são muito, muito jovens, como Michael Kidd-Gilchrist, Doug McDermott, Otto Porter, ou os que já passaram da idade para nos ajudar a longo prazo, como Ariza, Iguodala.

    E aí? Claro, eu também quero Durant em 2016, mas os trinta times querem. O James Young até cabe ali, mas eu apostaria nele mais como SG do que como SF, porque ele precisaria ter um pouco mais de altura para conseguir defender um Lebron da vida. Falem o que quiserem do Jeff, mas ele consegue marcar o James muito decentemente.

    Acho que é muito melhor termos o Green aqui, como garantia para caso não consigamos Kawhi em 2015 e Durant em 2016. Aí guardamos as balas para investir num bom center na FA e em um eventual SG para o lugar do Bradley.

    • Jota

      Concordo completamente, cara. Bom ponto.

      É exatamente o que eu penso sobre o Green. A maioria, principalmente os que comentam aqui e em outros sites, fazem sempre as mesmas críticas contra ele, mas sem perceber que os números dele são de bons para excelentes; números de SF de respeito. Não são números de Carmelo ou James, mas certamente nos ajuda bastante.

      Todo mundo concorda que seria bom se tivéssemos um SF que entrega seus 25pts por jogo, como os outros times concorrentes ao título tem. Mas no momento o Green não está decepcionando, não.

  2. Fernandinho

    Sei q não tem a ver com o assunto,mas alguem poderia me informar quais picks round 1 teremos no proximo draft sem contar com a nossa q deverá ser muito provavelmente top10.
    Ja li em algum lugar q teremos 3 roud1, isso procede??

    • Jonas

      Em 2015 são duas, Fernandinho. A nossa, que muito provavelmente será top 10, e a dos Clippers, que pelo andar da carruagem (o time deles anda meio irregula) deve ser entre 15 e 20.

        • Jonas

          Mas só para deixar claro: no comecinho da temporada o time parecia que iria melhor e poderia brigar pela última vaga dos playoffs, então nossa pick subiria. Mas começamos a perder alguns jogos ganhos, por isso subi a pick no comentário. Vai depender do andamento das coisas.

          Agora, novembro foi um mês pesado em termos de agenda. Dezembro é um pouco mais leve, vamos pegar alguns adversários menos fortes. Diria que na virada do ano vai dar de saber com mais clareza até onde dá para irmos.

  3. Jackson Monteiro Barros

    Jeff Green, está certo em não sair, o time está em reconstrução, com muitos jovens, acho que vai melhorar. Nosso garrafão é fraco, mas, com a volta de Faverani, acho que fortalece, nessa temporada tá difícil de chegar longe, nas próximas acho que sim, com algumas contratações pontuais, e o time mais experiente!!! Vamos “Celtics”…O maior!

  4. RicardoRJ

    Ele é bom jogador apenas, nunca será um P.P.

    É o ano dos PIVÔS no próximo DRAFT, falando em Pivô esse MYLES TUNER joga muito esse moleque.

  5. Rudio

    Vendo o jogo aqui da ESPN, Tayson Chandler jogando muito, o cara ta com 17pts e 24rebotes, simples assim, kkkkkk.

  6. Walisson

    Queria que o Green tivesse em quadra essa mesma vontade que tem de continuar no Celtics…

  7. Fernando C S

    Bom jogador, completa bem a equipe. Mas não é o nosso FP. Com ele, Rondo e um C de verdade, começamos a encaminhar os offa.

  8. Pedro Henrique Santos Monteiro

    Jeff Green depois de Rondo é o melhor do time, arrisco em dizer que ele é um dos melhores SF da liga, não troco ele nem por um Durant ou o James, pois Green tem potencial de ser tão excelente quanto eles, acho invalido colocarmos a responsabilidade toda em cima do cara, nosso problema é apenas a falta de um bom SG e um C.

    • Carambola

      Concordo totalmente Pedro. O Green está longe de ser o problema. Como você disse, nossas carências estão nas posições 2 e 5. No meu modo de ver, por razões distintas: Na 5 realmente não temos ninguém (Zeller e Faverani são muito insuficientes). Na 2 até temos, acredito muito no potencial do Turner. Não tem explicação a titularidade do Bradley. É um jogador baixo, pega poucos rebotes, não dá assistências, não infiltra e seu aproveitamento nos tiros de 3 não impressiona. Vi poucos jogos do Turner (uns 5 no máximo), mas me pareceu um jogador muito mais completo. Deveria ter mais minutos ao lado do Rondo e não em seu lugar, como tem feito o Stevens.
      Stevens que já começa a me despertar algumas preocupações. Se não estiver em curso um projeto re-tank velado, então estamos perdendo jogos por incompetência/inexperiência do treinador. Algumas decisões dele são simplesmente injustificáveis, notadamente nos finais de partida. Ele consegue acertar o time, a atuação vem bem e dali a pouco ele começa a inverter posições, fazer trocas a todo momento até que consegue quebrar o ritmo do time e não se acha mais. Se há a convicção de que sim, ele é o cara para o rebuild, que se insista nele, mas com cobrança por resultados. Eu li algo sobre os Sixers que tenho receio que venha acontecer conosco. Mesmo com bons jogadores jovens, os Sixers só acumulam derrotas. Se a equipe só perde, como definir quando os caras vão estar prontos. E se esse dia chegar, será possível simplesmente virar uma chavezinha e de derrotados eles passarão a vencedores. Acho que o Sixers está preparando bons jogadores para outras franquias, está se tornando perigosamente viciado em derrotas. Não podemos tomar este rumo. E um re-tank nessa temporada é um passo nesse caminho. Um erro.

Postar comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.