Visite nossas Redes Sociais
Curta e siga nossas redes para ter acesso a conteúdos exclusivos, além de manter-se sempre atualizado sobre novos artigos no site.

Jogo 3 – Bucks 116 x 92 Celtics

A terceira vitória seguida na primeira rodada do 2018 NBA Playoffs não veio, num jogo atípico para o Boston Celtics. Na noite da última sexta-feira (20), o Milwaukee Bucks, empurrado pela torcida presente no BMO Harris Bradley Center, venceu o time de Massachusetts por 116 a 92, construindo uma excelente vantagem ainda no primeiro tempo de jogo que nunca foi recuperada pelo time celta. Agora, com a série sendo vencida por 2 a 1 pelo maior campeão da história da NBA, as duas equipes se preparam para mais um duelo no próximo domingo (22), jogo que será realizado às 14h, em Milwaukee (WI).

Não dá para começar a falar desta partida sem citar o armador Terry Rozier. O camisa número 12 de Boston vem sendo um dos destaques da equipe desde o final da temporada regular, quando o astro Kyrie Irving e o armador Marcus Smart se machucaram. Rozier, que foi alçado à condição de titular da equipe, tem correspondido em quadra com ótimas atuações. Inclusive, nas duas primeiras partidas da série, o armador não havia cometido turnovers. Porém, na noite de ontem, ainda na primeira metade da partida, cometeu 5 erros que custaram caro para o Boston Celtics, já que o Milwaukee Bucks foi, durante a temporada regular, um dos melhores times da liga em aproveitamento após turnovers do adversário. Ao todo, time verde e branco cometeu 18 turnovers contra apenas 9 do adversário.

No primeiro quarto da partida, o aproveitamento da equipe alviverde foi terrível, tendo acertado somente 2 dos 18 arremessos de quadra, bem como ficou um período de aproximadamente 10 minutos sem conseguir acertar uma bola sequer, pontuando apenas através dos lances livres, já que o Bucks fez muitas faltas no começo do jogo. Soma-se à este fato a energia com a qual os jogadores do time de Wisconsin entraram em quadra e, desde o primeiro minuto, levantaram a torcida de Milwaukee.

O técnico Joe Prunty não pôde contar com seu pivô John Henson, com dores nas costas. Assim, teve de usar outros jogadores que não estavam recebendo muitos minutos: Jabari Parker e Thon Maker. Ambos contribuíram muito para a vitória, acertando alguns arremessos difíceis e, principalmente Maker, ajudando bastante no lado defensivo da quadra com 5 bloqueios em arremessos celtas, incendiando o ginásio e minando qualquer tipo de reação do time de Brad Stevens.

Pelo lado do Boston Celtics, os destaques foram Al Horford, que mais uma vez fez um bom trabalho sobe o astro Giannis Antetokounmpo, mantendo-o com apenas 19 pontos. Horford, que anotou 16 pontos (7 acertos em 13 tentativas), foi um dos responsáveis por fazer a estrela grega ficar com 5 faltas rapidamente. Além do dominicano, o ala Jayson Tatum, que marcou 14 pontos e pegou 5 rebotes, foi destaque em razão de sua agressividade e pela forma como chamou o jogo pra si quando nada parecia dar certo. O calouro, que vive sua primeira pós-temporada já no seu ano de estréia na melhor liga de basquete do mundo, não parece estar intimidado pelo momento, o que é um excelente sinal para o futuro.

A quarta partida da série de melhor de sete jogos será disputada novamente no BMO Harris Bradley Center, em Milwaukee (WI), às 14h (horário de Brasília) no próximo domingo (22). Será um jogo determinante, pois se o time celta vencer, abrirá uma confortável vantagem e poderá fechar a série em seu ginásio, no TD Garden, em Boston (MA).

Destaques do Celtics

Al Horford (16 pontos e 3 rebotes)

Jayson Tatum (14 pontos e 5 rebotes)

Jaylen Brown (11 pontos e 4 rebotes)

Greg Monroe (15 pontos e 12 rebotes – duplo-duplo)

Destaques do Bucks

Giannis Antetokounmpo (19 pontos, 5 rebotes e 6 assistências)

Khris Middleton (23 pontos, 8 rebotes e 7 assistências)

Jabari Parker (17 pontos e 5 rebotes)

Thon Maker (14 pontos e 5 tocos)

Boxscore


Melhores Momentos

https://youtu.be/4V0DNy_X23I

Author avatar
Eduardo Quirino
Eduardo, 32 anos, nascido em Niterói/RJ, mas é Resendense de coração. Bacharel em Direito, estudante de Administração e flamenguista, é apaixonado por esportes e envolvido com o basquete desde os 14 anos. Ex-pilar do Volta Redonda Rugby, ex-capitão do Resende Rugby e atual ala-pivô do Basquete Resende, tem como espelho a lenda Kevin Garnett, razão pela qual começou a torcer para o Boston Celtics em 2008. KG se foi, mas o amor pelo Celtics é pra sempre!

6 comentários

  1. Fernando Silva

    Precisamos entrar em quadra mais tranquilos e concentrados. Defesa em cima do adversário desde o primeiro segundo e jogo de transição.

  2. Marcos

    Playoff Rondo é o arco e o A. Davis é a flecha.
    Já vi isso antes com o Garnett sendo a flecha.

    Abs verdes

    • Snowball

      Eu tenho quase certeza que se não fosse pela contusão do Rondo, a gente não teria passado dos Bulls na última temporada. Impressionante como ele cresce nos playoffs. Está longe de ser aquele Rondo de 2010-12 (quando ele era o melhor armador da liga) mas é um jogador muito perigoso. E fico feliz que ele esteja jogando bem. Anthony Davis é um monstro, não tem nem o que falar. Agora se o Holiday e o Mirotic mantiverem o que estão jogando, o New Orleans tem total condição de bater os Warriors (ainda mais com o Curry voltando de lesão). Estou torcendo muito pra isso.

  3. Snowball

    Tranquilo. Jabari Parker e Eric Bledsoe não vão repetir as atuações do último jogo. E com certeza os nosso jogadores vão aprender a fazer pump fake em vez de desafiar o Maker pra evitar aquela chuva de bloqueios. Brad Stevens é um dos melhores técnicos da NBA em termos de fazer ajustes no time e sei que ele passou uma dura no time depois daquele primeiro quarto horroroso (que foi onde perdemos o jogos).

    Tenho total confiança que ganhamos o próximo jogo e fechamos a série em Boston com um 4-1.

    Minha preocupação já é como parar o Ben Simmons e o Philadelphia…

Postar comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.