Mavericks 113 x 104 Celtics

DALLAS, TX - NOVEMBER 24: XX XX against XX on November 24, 2018 at the American Airlines Center in Dallas, Texas. NOTE TO USER: User expressly acknowledges and agrees that, by downloading and or using this photograph, User is consenting to the terms and conditions of the Getty Images License Agreement. Mandatory Copyright Notice: Copyright 2018 NBAE (Photo by Glenn James/NBAE via Getty Images)

A vida do maior campeão da história da NBA segue complicada. Com a derrota para o Dallas Mavericks na noite do último sábado (24), pelo placar de 113 a 104, o Boston Celtics vive o seu pior início de temporada desde a campanha de 2014/2015. Após 20 jogos disputados, a medíocre sétima colocação na Conferência Leste, estando entre Orlando Magic e Charlotte Hornets, evidencia que o time que ficou a uma vitória das Finais da NBA em maio deste ano, hoje conta com diversos problemas.

O resultado positivo esteve ao alcance do alviverde de Boston durante todo o jogo. O começo foi animador, apesar da desvantagem no placar, ocasionada pelo alto aproveitamento do time do Texas nos arremessos de três pontos ainda no primeiro quarto do jogo, com 7 acertos em 10 tentativas. Apesar da mão calibrada dos jogadores adversários, a partida foi para o intervalo com uma diferença de apenas três pontos, com o placar em 59 a 56 para o time da casa.

O terceiro quarto foi, novamente, equilibrado, não conseguindo o time de Dallas disparar no placar, enquanto a equipe celta buscava o empate a todo instante. Porém, no início do último quarto, erros defensivos possibilitaram ao time do técnico Rick Carlisle abrir 16 pontos de vantagem no placar, o que selaria o resultado em favor do Mavericks.

O destaques da franquia de Massachusetts ficam por conta de Jayson Tatum, maior pontuador celta no jogo, com 21 pontos, além de Kyrie Irving, que marcou 19 pontos, pegou 5 rebotes e distribuiu 6 assistências. Vindo do banco, o armador Marcus Smart fez excelente partida, anotando 19 pontos, com excelente aproveitamento de 62,5% nos arremessos de quadra, além de ter acertado 3 bolas de longa distância em 4 tentativas. Por fim, o ala Jaylen Brown, que teve um péssimo início de temporada, vem demonstrando a sua evolução, ainda que tímida, resultando em 16 pontos e 5 rebotes.

Pelo lado do time de Dallas, o calouro Luka Doncic correspondeu às expectativas e marcou 15 pontos e 8 assistências. Apesar de ter sido discreto, Harrison Barnes contribuiu com 20 pontos. O pivô DeAndre Jordan, que substancialmente aumentou seu percentual de acertos nos lances livres nesta temporada, fez um duplo-duplo com 14 pontos e 13 rebotes. O nome do jogo, no entanto, foi o reserva J.J. Barea. O técnico Brad Stevens não encontrou solução para parar o armador, que terminou com 20 pontos e 8 assistências.

O próximo compromisso do Boston Celtics será na noite desta segunda-feira (26), quando viaja até New Orleans para enfrentar o Pelicans de Anthony Davis. Já o Dallas Mavericks viaja para, na próxima quarta-feira (28), enfrentar o Houston Rockets no clássico do Texas.

Destaques do Celtics

Jayson Tatum (21 pontos e 4 rebotes)

Kyrie Irving (19 pontos, 5 rebotes e 6 assistências)

Marcus Smart (19 pontos com aproveitamento de 62,5%)

Jaylen Brown (16 pontos e 5 rebotes)

Destaques do Mavericks

Harrison Barnes (20 pontos e 3 rebotes)

Luka Doncic (15 pontos e 8 assistências)

J.J. Barea (20 pontos e 8 assistências)

DeAndre Jordan (14 pontos e 13 rebotes – duplo-duplo)

Publicidade

Eduardo Quirino
Eduardo Quirino
Eduardo, 31 anos, nascido em Niterói/RJ, mas é Resendense de coração. Bacharel em Direito, estudante de Administração e flamenguista, é apaixonado por esportes e envolvido com o basquete desde os 14 anos. Ex-pilar do Volta Redonda Rugby, ex-capitão do Resende Rugby e atual ala-pivô do Basquete Resende, tem como espelho a lenda Kevin Garnett, razão pela qual começou a torcer para o Boston Celtics em 2008. KG se foi, mas o amor pelo Celtics é pra sempre!

7 Comentários

  1. Publicidade

  2. R2 disse:

    Li em algum lugar uma declaração do stevens assumindo a culpa pela fase e dizendo que está buscando rearranjar as rotações para que a defesa e o ataque funcionem.
    A verdade é que com as mudanças de regra da NBA, defesas físicas estão sofrendo com o número de faltas… e sem a defesa, nosso ataque virou um jogo de isolation!

    Pra mim, particularmente, nos falta um reboteiro, mas dizem que o problema está no fato de nossos homens grandes focarem a defesa do perímetro.

    3

    0
  3. Lucas disse:

    Essa última parte faz sentido e está interligado também, famoso cobertor curto.

    Quanto a questão da NBA focar totalmente no show e não no jogo(leia-se: ataque liberado, falta a dar com rodo), não seria interessante o treinador que adora que todo mundo arremesse de 3 (mesmo quem não sabe ou quem tem o percentual ridículo de ruim) botar a mão na consciência e mandar nego atacar mais o garrafão (tbm conhecido como mais faltas ao nosso favor em potencial, além de deixar gente pendurada do outro lado) e maneirar no jeito Warriors de ser.

    0

    0
  4. Teobaldo disse:

    Eu, particularmente, DETESTO cestas de 3 pontos. Até por ser de outra época (pela minha idade, já estou descendo a serra), eu prefiro muito mais o jogo dentro do garrafão, com pivôs fortes e altos, como nos anos 1980/1990, quando as bolas de 3 eram exceção. Não seria hora de um debate sobre o fim ou, no mínimo, uma limitação das bolas de 3? Algo do tipo: bolas de três só nos 2 minutos finais, por exemplo. Fica a proposta de debate. Abraços.

    1

    3
    • Marcos disse:

      Teobaldo, acredito que o jogo seja ‘de fases’ de acordo com os melhores jogadores que estejam na Liga.

      Hoje esses jogadores são os arremessadores, já foram os passadores(’80), defensores (’90) e bigs (’60 e ’90).
      Quando acertarem a marcação do perímetro, isso vai acabar mudando.

      O que manchetes feitas do tipo ”3 é maior que 2” e outras matérias do jornalismo pastelão não levam em conta é que a infiltração tem grande probabilidade de falta na comparação com o chute de fora. Então, além do modelo linear de prob. de acerto vezes valor da cesta ainda precisa se computar a prob. de falta.
      Resumo simples: dá para ganhar na bola de 3 (precisa de alto % de acerto) e na bola de 2 (precisa sofrer algumas faltinhas), desde que se defenda do outro lado.

      O Brown não joga hoje.
      Gostaria de ver: Irving, Hayward, Tatum, Horford e Baynes, com minutos para Oje e Theis.

      []s verdes

      0

      0
    • Marcelo disse:

      DOIS, Teobaldo.
      No basquete raiz bola de três era exceção. Agora é essa várzea…

      0

      0
  5. Marco Antônio de Paula disse:

    Jogar com Horford de Pivô é derrota certa. O cara está em fase de aposentadoria. Stevens perdidaço. Time não tem alternativas de jogada. Jogando apenas nas bolas de 3. Tatum não defende, Kyrie não defende, Hayward não defende. Horford assiste o jogo no garrafão. Adversários Deitam e rolam.

    0

    1

Deixe um comentário