Prévia – Boston Celtics (27-9) x Washington Wizards (18-15)

Whasington Wizards

Protagonistas de uma eletrizante semifinal da Conferência Leste na temporada 2016/2017 da NBA, com direito a vários momentos de tensão e sendo decidida apenas no sétimo jogo, Boston Celtics e Washington Wizards escrevem, na noite desta segunda-feira (25), em plena rodada especial de Natal, mais um capítulo de uma rivalidade que está crescendo a cada partida. Enquanto o time verde e branco de Massachusetts quer manter uma vantagem na liderança da Conferência Leste, a franquia da capital dos Estados Unidos luta para conquistar algumas posições na classificação. O duelo entre Celtics e Wizards, que começa às 20h30 (horário de Brasília) e será disputado no TD Garden, terá transmissão da ESPN para todo o Brasil.

Mesmo com muitas mudanças em relação ao time que eliminou o Washington Wizards na última temporada e ficou com o vice-campeonato da Conferência Leste, o Boston Celtics está registrando uma ótima campanha em 2017/2018: com 27 vitórias e 75% de aproveitamento, o Alviverde está isolado no topo do Leste e tem a terceira melhor campanha desta edição da liga. Entretanto, os cinco tropeços sofridos em dezembro ligaram o alerta na equipe celta, que respirou um pouco com o triunfo sem sustos sobre o Chicago Bulls no último sábado (23), mas precisa da vitória sobre o Wizards para mostrar que está voltando ao ritmo certo na competição.

Diante do Washington Wizards, o técnico Brad Stevens deve manter o Boston Celtics com o mesmo quinteto titular do jogo contra o Chicago Bulls, com Aron Baynes de titular no garrafão e Al Horford deslocado para ala-pivô. Na rotação, entretanto, o treinador tem três dúvidas: o armador Shane Larkin, com dores no joelho esquerdo, o ala Semi Ojeleye, que se recupera de um problema nas costas, e o ala-pivô Marcus Morris, ainda em recuperação de um problema no joelho. O desfalque certo é o ala Gordon Hayward, que sofreu uma grave fratura no tornozelo esquerdo e não tem previsão de volta às quadras.

Considerado um dos candidatos ao título da Conferência Leste, ainda mais depois da campanha na última temporada, o Washington Wizards está conseguindo se manter no G8 sem sustos, mas sofre para manter uma regularidade e se aproximar dos líderes. Apesar do momento instável, o Wizards chega a essa rodada de Natal com a motivação nas alturas: além do clima de revanche pela derrota para o Celtics, a franquia da capital sabe que um triunfo fora de casa contra o líder do Leste é fundamental para se consolidar na zona de classificação para os playoffs e encurtar a distância para os rivais.

Para o confronto em Boston, o técnico Scott Brooks não terá problemas na escalação do quinteto titular do Washington Wizards, que é o mesmo utilizado na última temporada, com destaque para o perímetro formado por John Wall e Bradley Beal. As únicas baixas são na rotação: enquanto o ala-armador Sheldon Mac se recupera de uma cirurgia no tendão de Aquiles, o ala Devin Robison e o ala-pivô Michael Young foram enviados para a Liga de Desenvolvimento da NBA (G-League).

FICHA TÉCNICA

Local: TD Garden (Boston, MA)

Horário (de Brasília): 20h30

Transmissão: ESPN e NBA League Pass

BOSTON CELTICS: Kyrie Irving, Jaylen Brown, Jayson Tatum, Al Horford e Aron Baynes. Treinador: Brad Stevens

WASHINGTON WIZARDS: John Wall, Bradley Beal, Otto Porter Jr, Markieff Morris e Marcin Gortat. Treinador: Scott Brooks

Publicidade

Gustavo Arruda
Gustavo Arruda
Gustavo, 26 anos, é maranhense de São Luís, estudante de Jornalismo e repórter esportivo do Imirante.com. Fanático por esportes, principalmente futebol e basquete, é torcedor celta desde 2003, quando ouviu pela primeira vez o TD Garden lotado entoando "Let's go, Celtics!", e escreve no Celtics Brasil desde julho de 2011. Nas horas vagas, é goleiro, armador, consumidor de danone, tio do João Gabriel e dá seus pitacos sobre o maior campeão da NBA no Twitter: @gustavoarruda01.

14 Comentários

  1. Publicidade

  2. JJ disse:

    Bom, ngm pode falar que o Smart não mantém uma regularidade.. Até aqui, 33% de FG e 3 TO.
    Na torcida por um segundo tempo bem melhor.

    2

    0
  3. Marcelo SM disse:

    DEUS, que irritante esse time com 3 pg!
    Pra que isso!?

    4

    1
  4. sandro disse:

    Que ridículo…quantos rebotes perdidos

    6

    0
  5. Marcelo SM disse:

    Experiências são sempre bem-vindas.
    Mas a dos 3 pg está passando dos limites. Qual o problema de deixar Brown e Tatum 20 minutos em quadra juntos, 12 um deles e mais 12 minutos o outro (assim só em 4 minutos jogaríamos com os famigerados 3 pg, sendo Smart um eles – já que não quer usar o Nader nem por 4 minutos)?
    Qual a dificuldade?

    1

    1
  6. Thiago disse:

    Vai pro inferno, tomar 7 rebotes ofensivos no último quarto não dá!

    5

    0
  7. Gustavo Rangel disse:

    Quando eu vi os 3 Point Guards na quadra já mandei tudo pra ponte que caiu. Desculpem-me o palavreado, mas que diabos o Brad Stevens está fazendo? Será que ele não analisa os jogos e os desempenhos dos jogadores e formações que ele executa e coloca em quadra? Sem cornetagem, mas isso soa como um ato de displicência da parte dele, pois já está muito na cara que o desempenho dessa formação é pífio.

    Fora isso, a equipe jogou bem em certos momentos, sofreu com rebotes um pouco. Tatum monstro, esse guri vai longe, muito longe com nosso manto Celta. Brown irregular ofensivamente, como sempre. Seria bom ver o Nader jogando, tem potencial e precisa de minutagem pra adquirir confiança no jogo dele. Mas tem jogos que ele sequer entra em quadra. Fico embasbacado com isso…

    []s Verdes

    3

    1
  8. Fernando Silva disse:

    Certamente tem algo na mente do Stevens com a formação 3 PG.

    Ainda não descobrimos e esta formação está dando uma boa dor de cabeça pois entregamos vantagens e jogos com ela.

    Fico pensando em um encaixe contra os Cavs.

    Ainda não conclui do que se trata com absoluta convicção.

    O fato é que Stevens está tentando uma forma de jogar com 3PG.

    Sabemos que a equipe tem opções para evita-la porém é uma escolha do Stevens.

    1

    0
    • R Tsunami Green disse:

      Isso amigo, queremos entender do que se trata, deve ser coisa boa vindo de um cara e uma comissão técnica tão competente!
      Coisas boas estão por vir!

      0

      1
  9. Everton disse:

    Irving decepcionou no final. Mas também…Fica fácil para os outros cinco jogadores adversários saberem que SÓ ele vai tentar fazer cestas no final. Tudo bem que ele é top dos tops, líder do time e tal… Mas poderia soltar um pouco mais a bola…

    Smart parou de queimar arremessos “idiotas”, agora precisa para de errar passes “idiotas”.

    Marcus Morris não serve nem pra jogar no meu time de pelada. Quanto mais pra jogar na maior equipe da maior liga de basquete do mundo.

    0

    0
  10. Lucas Oliveira disse:

    Chamando atenção para algo além da formação, quando o melhor minus plus da equipe (Theis) é do substituto direto do pior minus plus da equipe (Horford), nós sabemos que temos um problema.

    Colocar o Tatum na quatro não é o ideal porque ele não tem a força muscular necessária (ainda), mas o maior problema é que com o Tatum na quatro o Horford tem que proteger o garrafão e a cada jogo que passa ele se mostra mais incapaz em fazer um box out decente (isso quando nem tenta).

    E no ataque, um pontuador eficiente como ele, chegou a cúmulo de desistir de uma enterrada livre de marcação embaixo da tabela, para dar um passe para o Rozier (se eu parasse aqui já estava errado) arriscar de 3 da zona morta! Com uma conclusão previsível… Isso para mim é inconcebível.

    A impressão que eu tive na hora era de um Westbrook da vida que prejudica o time inteiro pelas estatísticas pessoais. Passado o jogo, não acho que este seja o perfil do Horford, mas ainda não consegui entender o que se passou na cabeça dele… Não dá para falar de falta de confiança na bola mais fácil que um jogador da altura dele poderia sonhar em receber.

    4

    1
  11. Acho que o Stevens tem que dar um voto de confiança no Theis e por ele no quinteto titular. Ele é bão, faz o trabalho sujo que o Horford não faz e liberaria o Horford pra jogar mais solto já que ele não vai muito bem na posição 5. Prefiro o Theis ao Baynes.

    4

    0
  12. Marchall disse:

    Stevens nunca irá tirar o Horford do time titular. E querendo ou não ele é o melhor dentre os pivôs, a questão é o físico.

    Agora qual a dificuldade de deixar Brown e Tatum jogarem por mais tempo juntos? Vários jogos eles foram decisivos.

    E cá entre nós, Theis é melhor do que o Baynes. Stevens tem que deixar o cara jogar mais!

    Brown – Tatum – Irving – Theis e Horford

    2

    0
    • Lucas Oliveira disse:

      Só para constar, sei que você não disse isso, mas eu nunca sugeriria tirar o Horford do time.
      Primeiro porque não é que o desempenho seja um desastre, pelo contrário só está abaixo do nível que espera. Segundo que o efeito que isso teria para uma possível troca futura seria desastroso! Eu quero mais é que ele vá para o All Star Game e se valorize aos olhos das outras equipes.

      Questão do Theis acredito ser que o Stevens o veja como o melhor substituto para o Horford na função e prefira mantê-lo na rotação. Mas espero que ao menos ele ganhe mais tempo de quadra até Abril.

      2

      0
  13. Marchall disse:

    Lucas Oliveira

    Eu concordo em tudo com você! Eu não sugeri não, foi um rapaz ali em cima que sugeriu ou em outro post.

    Também acho inviável deixar Horford no banco, que na minha opinião, é o nosso terceiro melhor jogador.

    Infelizmente o físico dele não ajuda tantas partidas seguidas. Negócio é tentar trocar o mesmo na próxima temporada!

    PS: Fico imaginando se fosse um Aldridge da vida (Eu sei que é impossível) no lugar do Horford.

    Hayward – Brown – Tatum – Irving e Aldridge

    Faríamos um estrago! Hahaha

    0

    0

Deixe um comentário