Visite nossas Redes Sociais
Curta e siga nossas redes para ter acesso a conteúdos exclusivos, além de manter-se sempre atualizado sobre novos artigos no site.

Analisando o Draft – Ben Bentil

Ben Bentil é o jovem atleta que Danny Ainge, Gerente Geral do Boston Celtics, selecionou com a penúltima escolha da franquia (51º) no NBA Draft 2016, realizado no dia 23 de junho, no Barclays Center, ginásio do Brooklyn Nets. Sendo uma escolha de final de recrutamento, nenhum torcedor celta nutria esperanças pela disponibilidade de algum bom talento remanescente. Eis que surge, contudo, Ben Bentil. O jovem atleta de Providence – mesma universidade de Kris Dunn – dividiu a responsabilidade de comandar a equipe ao lado do talentoso armador selecionado na 5ª posição do recrutamento, e não decepcionou em seus números, sendo o principal pontuador da equipe.

Informações do atleta

Posição Ala-Pivô (PF)
Experiência 21 Anos | Sophomore (2º ano universitário)
Altura 2,03 metros (6’8”)
Envergadura 2,17 metros (7’1.5”)
Peso 103,8 quilos (229 lbs)

A carreira

Bentil é natural de Gana, nascido no dia 29 de março de 1995, e começou sua trajetória na NCAA na temporada 2014/2015. Com um primeiro ano apagado, acumulou médias modestas de 6,4 pontos, 4,9 rebotes e 0,6 assistências. O jovem ala-pivô optou por manter-se mais um ano em sua carreira universitária, o que se mostrou um grande acerto, pois sua evolução foi notória e considerada por muitos analistas como um dos maiores desenvolvimentos deste draft.

O novo camisa 50 celta obteve números expressivos em sua temporada de sophomore, com 21,1 pontos e 7,7 rebotes de média. Sua média de pontuação simplifica todo seu repertório ofensivo, ou seja, Bentil é um pontuador nato – dos 60 selecionados, ficou atrás apenas de Buddy Hield (sexta escolha e considerado o melhor arremessador deste draft) e de Kay Felder (jovem armador selecionado na 54ª escolha pelo Cleveland Cavaliers).

Prós

Ora, se as características de Bentil fossem resumidas em um único verbo, “pontuar” exprimiria todas ações presentes em seu jogo. Bentil pontua quando e como quer – ao menos na faculdade. O jovem não foge do contato dentro do garrafão, aliás, o procura. Com um excelente jump hook, bom movimento de low post e um ótimo toque perto da cesta, Bentil apresenta desenvoltura para pontuar na área pintada.

Agora, se engana quem o define como um bigman estático por sua alta pontuação sob o aro. Seus arremessos de média distância são consistentes – uma de suas principais armas -, não se esconde nos arremessos em catch-and-shoot e tem excelente porcentagem de acerto acima dos 15 pés (4,6m). Como podemos notar por seus números, ainda precisa de um maior polimento nos arremessos de 3 pontos (32,9%), mas demonstra um potencial incrível para ser um scorer na liga.

Independentemente de ser baixo para os padrões atuais – 2,03 metros -, compensa sua falta de altura com boa mobilidade e grande porte físico. Bentil “flutua” em toda a quadra, apresenta uma rápida transição defesa-ataque e, apesar de não ter um atleticismo excepcional – não irá sobrecarregar e ganhar “na marra” de seus marcadores na liga -, tem um perfil sólido para sua posição.

Contras

Bom, após todos esses elogios ao jovem atleta você deve estar perguntando-se: “Como então ele acabou selecionado apenas no fim da segunda rodada?”. Infelizmente, para nós celtas, nem tudo são flores quando o assunto é Ben Bentil. Dono de uma defesa limitada e desligada, Bentil não consegue manter o foco em todas as jogadas defensivas, e, por diversas vezes, perde para seu matchup no box-out e o adversário aproveita-se para, com caminho livre, angariar o rebote ofensivo e, consequentemente, conseguir a cesta.

Sua visão de jogo é deficiente. Por diversas vezes seus companheiros estão desmarcados e Bentil visa apenas a finalização da jogada, desperdiçando assim excelentes situações coletivas de pontuação. Sua pontuação é prioridade número um, dois e até três, e, com essa mentalidade, seus companheiros vêm em último plano. Ou seja, individualista no que tange sua pontuação e seus números individuais. Aliado a isso, seu passe é deficiente e precisa ser melhor trabalhado, para tornar-se, então, um jogador coletivo e não um caçador de estatísticas.

Opinião

Ben Bentil é jovem – tem apenas 21 anos – e seus defeitos, apesar de serem gritantes, não são incorrigíveis. Certo, já ouvi o ditado que “uma vez soft, sempre soft”; sua defesa, entretanto, não é inexistente, Bentil simplesmente “apaga”, mostrando desleixo em relação a concentração necessária para limitar seu adversário. O Boston Celtics possui um técnico que sabe trabalhar bem os jovens, com um grupo de atletas focados na defesa. Portanto, essa atmosfera defensiva pode moldá-lo. Por que não? Já observamos uma melhora defensiva considerável em alguns atletas do nosso elenco, então Bentil não seria o primeiro a absorver esse “espírito defensivo celta”.

O talento está lá, a pontuação e seus números demonstram isso, falta um maior polimento em seu ataque para a NBA e jogo coletivo, e uma defesa mais consistente e atenta. Agora, a evolução para que isso ocorra depende apenas da vontade e determinação do jovem atleta celta.

Médias em 2015/2016 (35 jogos)

Minutos Pts Reb Ast Stl Blk FG 3Pts FT
34,2 min 21,1 7,7 1,1 0,9 1,0 46,2% 32,9% 78,2%
Author avatar
Redação Celtics Brasil

2 comentários

  1. goatei dele B.Bentil vai ser melhor que o francês ??

  2. Celso Cachali Jr

    O frances acho que vai ser mais para fazer o trabalho SUJO… nao critico o Ainge, talento ta la, pode ser que a aconteca o mesmo com o Young, quando o Young foi selecionado na 17º achei que estavamos feito ganhamos na loteria, ele jogou muito no final Four ate mais que o RUNDLE… mas olha o morto que ele é… nao o Critico por que ele pegou bons jogadores depois nas outras picks.

Postar comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *