Visite nossas Redes Sociais
Curta e siga nossas redes para ter acesso a conteúdos exclusivos, além de manter-se sempre atualizado sobre novos artigos no site.

Brad Stevens está pronto para primeira experiência no All-Star Game

Aos 40 anos, o técnico Brad Stevens, do Boston Celtics, viverá uma experiência inédita na noite deste domingo (19): comandar o time da Conferência Leste no All-Star Game. Em sua quarta temporada na NBA, Stevens impressiona o mundo do basquete com seus resultados, que são muito expressivos para quem tem pouca experiência profissional e lida com o delicado processo de reconstrução da franquia de Massachusetts. Na temporada 2016/2017, o Boston Celtics já está na vice-liderança do Leste e ocupa a quinta posição na classificação geral.

Nesse All-Star Game, Brad Stevens só trabalhou com dois dos 24 atletas selecionados para o jogo festivo. Além de Isaiah Thomas, armador do Celtics, Stevens já comandou o ala Gordon Hayward, atualmente no Utah Jazz, quando treinou o Butler Bulldogs, da NCAA. Até por isso, alguns atletas já manifestaram a vontade de conhecer mais de perto a revelação celta. “É engraçado, eu sempre tive um respeito de longe por Brad. Estou realmente ansioso para sentar com ele, conversar e ver a sua personalidade”, afirmou o armador Kyle Lowry, do Toronto Raptors, que irá disputar o seu terceiro Jogo das Estrelas.

Isaiah Thomas, sempre entusiasmado, é o principal cabo eleitoral de Brad Stevens, e destacou as qualidades de seu treinador para a imprensa presente em New Orleans, onde será realizado o All-Star Game. “Ele não é falso em nenhum sentido, é realmente um cara genuíno. Ele é jovem, ama o jogo, está vendo esses jogadores atuarem por anos. Eles vão ver o quanto Stevens é um cara legal. Com ele, é bem mais do que jogar basquete. Não se trata apenas de ser um jogador melhor, se trata também de ser uma melhor pessoa, isso vai mais longe do que qualquer outra coisa”, elogiou o armador.

Conhecido por seu estilo discreto, Brad Stevens fez uma brincadeira ao comentar seu papel no All-Star Game, mas disse que irá aproveitar o momento da melhor maneira possível. “Eu vou ficar fora do caminho do show. Eu sei qual é o meu lugar (risos). Mas eu acho que essa é uma grande oportunidade para todos nós, para nossas famílias. Vamos aproveitar essa oportunidade, vamos apreciá-la e vamos nos divertir”, afirmou o treinador. Vale lembrar: o All-Star Game será disputado na noite deste domingo (19), às 22h (horário de Brasília), no Smoothie King Center.

Author avatar
Gustavo Arruda
Gustavo, 28 anos, é maranhense de São Luís, jornalista formado pela UFMA e repórter do Imirante.com. Fanático por esportes, principalmente futebol e basquete, é torcedor celta desde 2003, quando ouviu pela primeira vez o TD Garden lotado entoando "Let's go, Celtics!", e escreve no Celtics Brasil desde julho de 2011, com mais de 1.700 textos publicados. Nas horas vagas, é goleiro, armador, tio do João Gabriel e da Alice, e também dá seus pitacos sobre o maior campeão da NBA no Twitter: @gustavoarruda01.

11 comentários

  1. Barros

    Ainda não caiu a ficha, que deixamos de draftar o Murray pra ter o Brown, esse guri vai ser um all-star logo logo, é um gatilho de 3 pts, pq Ainge pq?

    • David Pessoa

      Brown também tem muito potencial, mas os dois tem estilos de jogo diferentes. Murray é um grande arremessador da linha de 3, enquanto Brown é o cara atlético e bom defensor. Os dois são talentosos e tem muito a evoluir, mas ainda não da pra dizer qual é o melhor.

      • Sander

        Lembrando que nos treinos para os Celtics, o Brown foi muito bem nos arremessos de 3, inclusive chegando bem perto do Murray. Por isso o Brown foi o escolhido, ele é atlético, bom defensor, joga em 3 posições e ainda pode evoluir muito ofensivamente.

    • Simplesmente por opção! São estilos totalmente diferentes, o Celtics buscava em primeiro lugar um jogador atlético com infiltração, que fosse pra dentro forçando e pontuando, no Brown temos isso! Já no Murray vemos um cara típico do arremesso de fora, que cairia como uma luva no Celtics também, mas não era a prioridade naquele momento!

      Tínhamos Thomas, Smart, Bradley, Rozier pras posições 1 e 2… o foco era buscar um cara pra 3 e foi feito! Gostei da escolha, vejo-o como ótimo defensor, análises mostram que quem ele marca vê seu app cair em 30%, isso é muito!

      *nunca esqueçamos que o Celtics veria no Murray um jogador razoável perto do que viria no próximo draft, por isso talvez a opção num defensor e jogador de contato e atlético, pra no outro draft buscar um cara que tem chances de allstar na posição mais altas que Murray! Resumo, to muito satisfeito com Brown, é só comparar os minutos dele e Murray, veremos que a diferença tende a Murray, mas é mínima!

    • Renato

      Ainda hoje iria de Brown. Murray jogando All star game é uma coisa na NBA com marcação em cima não tem feito nada demais. Brown substituiu o Bradley muito bem como titular, tem grande explosão, arremesso com potencial, é forte mas ágil, logo se encaixa em várias posições do jogo, tem ótimo lance livre, foi uma excelente escolha, inclusive na minha opinião melhor que o Ingram, e muito melhor que Murray ou Hield

    • Renato

      Para não desvirtuar a matéria, segue os parabéns a nosso mito das pranchetas, um cara que desde a primeira temporada já foi implantando sua metodologia de jogo, de abrir o perímetro e focar nos arremessos de longe, e hoje prova que estava certo já que isso virou uma tendência e o Celtics evoluiu demais utilizando esse estilo de jogo. Para se tornar ainda mais ídolo, basta seduzir mais 1 All Star pra gente.

  2. Lucas Oliveira

    Brown foi escolhido pq era o melhor prospecto para a terceira posição e isso era o máximo que se podia tirar do tempo de universidade.
    Ingram tem muito mais tempo de quadra do que o Brown e até agora não mostrou nada do potencial que têm.
    Simmons está até agora fora por uma lesão no pé durante a Summer League… Ter uma lesão de pé que está demorando tanto tempo assim para curar acende um belo alerta sobre o atleta!
    No fim das contas fica a máxima “Draft é uma aposta!”, pode ser o primeiro ou o último atleta a ser escolhido (não é Isaiah?), sempre pode dar algo muito errado ou muito certo, os GMs só podem tentar minimizar os riscos, e no caso o Brown era o mais atlético do draft.

    Dito isso, acreditem no menino, como falei a respeito do Smart… Muitas lendas da NBA só deslancharam na 4° temporada, em uma época em que o normal era draftar atletas de 22 anos (Brown foi draftado com 19).

    • Sander

      Lucas concordo plenamente. Brown foi a escolha de segurança. Ele já deu provas que tem futuro, inclusive o LeBron já o elogiou.
      A partir das próxima temporada, o Crowder já vai começar a sofrer uma pressão do Brown pela titularidade.

  3. Jefferson Pires

    Não entendo essa crítica ao Brown, o cara defende bem, é muito atlético, invade garrafão e por isso sofre muitas faltas, acho que as pessoas estão sempre procurando motivos para criticar as escolhas de draft do Ainge. Semelhante ao Smart, o cara defende qualquer jogador adversário, comanda bem a segunda unidade é a alma do time, não desiste de nenhum lance, e mesmo assim muitos criticam sua escolha;
    Torço para que estes queimem a língua igual queimaram com relação ao Avery, quando o contrato dele foi assinado lembro de te lido muitos criticando, que era um valor absurdo por ele etc, agora todos reclamam que ele está machucado e que faz falta ao time, resumindo gostam muito de criticar as escolhas, lembrando que o Stevens também palpita sobre as escolhas.

    • Sander

      Jefferson, a vdd é que as pessoas sempre querem arrumar pretexto para criticar né mano. Aqueles ditados ” A grama do vizinho é sempre mais verde” e ” É muito mais fácil criticar do que elogiar”.

  4. Brenno

    Que seja o primeiro de muitos!

Postar comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.