Visite nossas Redes Sociais
Curta e siga nossas redes para ter acesso a conteúdos exclusivos, além de manter-se sempre atualizado sobre novos artigos no site.

Celtics 92 x 104 Spurs

Na sua ‘saideira’ antes da parada para o All-Star Weekend, o Boston Celtics recebeu o San Antonio Spurs em seu TD Garden, na noite de quarta-feira (12), disposto a continuar a arrancada na conferência Leste e manter-se na briga por uma vaga na pós-temporada. Apesar da raça dos atletas celtas, que fizeram uma apresentação regular diante dos seus torcedores, a experiência e a eficiência dos texanos prevaleceu: com vitórias em três dos quatro períodos de jogo, o Spurs acabou vencendo por 104 a 92.

Tim Duncan, mais uma vez, foi o grande líder e destaque dos texanos em mais uma vitória: com 25 pontos e nove rebotes, o ala-pivô ficou próximo de registrar um duplo-duplo, algo que o italiano Marco Belinelli conseguiu: com 16 pontos e 11 rebotes, faltou apenas duas assistências para que o ala terminasse o jogo com o triplo-duplo. No Celtics, destaque para a ótima partida de Rajon Rondo (16 pontos e 4-5 nos arremessos de longa distância) e para o duplo-duplo do calouro Kelly Olynyk (15 pontos e 10 rebotes).

A vitória foi fundamental para que a franquia do Texas continue na briga pela liderança do Oeste: no momento o Oklahoma City Thunder ocupa a primeira posição, com quatro vitórias e um jogo a mais que o Spurs. Enquanto isso, em Boston, a derrota não alterou muito a situação da franquia: com 35 derrotas em 54 jogos, os celtas estão com 35,2% de aproveitamento e na 12ª colocação do Leste.

Por causa da All-Star Weekend, que acontecerá em New Orleans, os atletas de Celtics e Spurs que não participarão do evento festivo terão uma semana de descanso até os seus próximos duelos. O Celtics vai pegar a estrada e encarar uma nova ‘Marcha para o Oeste’, desta vez de quatro jogos, cuja primeira partida será contra o Phoenix Suns, na próxima quarta-feira (19). No dia anterior, o Spurs irá até Los Angeles enfrentar o Clippers, no Staples Center.

O jogo

Antes do início de partida no TD Garden, surpresas nas duas escalações: o Celtics confirmou a ausência de Avery Bradley, substituído por Gerald Wallace, e o Spurs anunciou que Tony Parker e Manu Ginobili desfalcariam a equipe em Boston. Com apenas Green e Duncan de titulares, o Alvinegro não demorou a mostrar a força de seu conjunto, abrindo 11 pontos em apenas meio período, contra apenas dois do Celtics. Rondo, com dois arremessos precisos de longa distância, aproximou os celtas do empate e Olynyk entrou bem na partida, mas os esforços da dupla não bastaram para compensar o péssimo início de jogo.

Com os reservas e no mesmo ritmo do final do Q1, o Celtics não demorou a virar o jogo e só viu o Spurs furar o bloqueio após três minutos de ação. Depois disso, os texanos equilibraram as ações novamente, tornando o jogo bastante disputado, com a liderança alternando por alguns momentos. Os mandantes ainda contaram com uma atuação surpreendente de Jerryd Bayless na armação e com uma cesta de Jeff Green no último segundo para vencer o período e reduzir um pouco o prejuízo para o segundo tempo.

Na volta do intervalo, com os quintetos que iniciaram o jogo, Celtics e Spurs seguiram no mesmo ritmo frenético do período anterior, com bons lances de ataque e equilíbrio até no placar. Na reta final do período, entretanto, o Alviverde cometeu diversos erros de ataque e permitiu que o San Antonio terminasse o período com cinco pontos de vantagem.

Já pelo período final, o Spurs aproveitou-se de sua experiência para, rapidamente, abrir uma diferença de dez pontos sobre os celtas, que pontuavam apenas com os big mans Humphries e Bass. Apesar dos esforços, principalmente de Rondo, o Celtics não soube reagir a uma boa exibição dos texanos, que contaram com Duncan para definir bem a partida.

Destaques do Celtics

Rajon Rondo (16 pontos e quatro assistências)

Kelly Olynyk (15 pontos e 10 rebotes / duplo-duplo)

Jerryd Bayless (11 pontos, nove assistências e cinco rebotes)

Destaques do Spurs

Tim Duncan (25 pontos e nove rebotes)

Boris Diaw (18 pontos e quatro assistências)

Marco Belinelli (16 pontos, 11 rebotes e oito assistências / duplo-duplo)

Author avatar
Gustavo Arruda
Gustavo, 28 anos, é maranhense de São Luís, jornalista formado pela UFMA e repórter do Imirante.com. Fanático por esportes, principalmente futebol e basquete, é torcedor celta desde 2003, quando ouviu pela primeira vez o TD Garden lotado entoando "Let's go, Celtics!", e escreve no Celtics Brasil desde julho de 2011, com mais de 1.700 textos publicados. Nas horas vagas, é goleiro, armador, tio do João Gabriel e da Alice, e também dá seus pitacos sobre o maior campeão da NBA no Twitter: @gustavoarruda01.

12 comentários

  1. Rodrigo

    Tank!

    A merda é que essas vitórias nos colocaram como sexta escolha no draft.

    Espero que tenhamos inteligência na off season.

  2. drakes

    A atual posição da tabela reflete o time que o Celtics tem, e vai ser complicado ser pior só ver quem está na “frente”:
    Bucks, o time é completamente torto, tem Sanders e Henson e só…o futuro pode ser o Giannis, mas é futuro, nessa temporada ele não trás vitórias.

    Sixers até tem um quinteto razoável, mas o banco, vem tankando a anos, é um time que perdeu a noção de vitória, os caras jogam para fazer números quando querem para sair de lá.

    Orlando, tem um center, affalo e olipo, só, é outro time que não deu certo e o GM prefere perder.

    Lakers, aquilo não time é um hospital, hoje o time titular deles é pior que o sixers, tá tudo no estaleiro (Kobe, Gasol, Nash etc).

    Sacramento, quem viu o jogo contra o Celtics notou é um time de dois jogadores com grande talento que ninguém é um marcador médio…

    Eu acho o Jazz, agora depois das trocas mais time depois do retorno do burke, mas logo com o rondo melhor vamos passar eles. E eles são tank.

    Quem pode nos passar é o Sacramento, nós o Jazz, e talvez o Cavs (por ser uma zona).

    Nada mudando o time deve ficar entre as cinco ou sete piores campanhas.

    Acho que playoffs só agora é quase um milagre.

  3. Renato

    Drakes,

    Pode me cobrar o Ainge irá fazer esse time pior até a data limite da Trade,ou seja, irá negociar 1 ou 2 jogadores que ajudam nas vitórias.

    O Lakers ainda devem ter retorno de Gasol e Kobe isso vai fazer eles ganharem jogos

    Kings Com Gay e Cousins vai ganhar jogos

    Cavaliers – Se acertarem tem time para ganhar jogos.

    Em resumo se o Celtics tirar da equipe Bass + Green que suponho que será isso, ficaremos na quarta ou quinta posição que émuitobom

    • drakes

      Renato, acredito que o Kobe não volta 100% esse ano se retornar e o Gasol irá ser trocado por nada mesmo, a trade do Okafor é com o time de LA, pelo menos é o que faz mais sentido para Phoenix, mas eles estão esperando o estado de saúde do mesmo.

      Mas, colocando os jogadores mais fortes do draft para projetar:
      Parker, Wiggins, Randle, Vonleh, Exum, Ennis, Saric, Embiid, Smart , Aaron Gordon

      A grande vantagem é o Embiid ser pivo, o resto é muito igual, são todos projetos, que podem virar ou não, não tem aí um Lebron ou um Carmelo, só procurar na internet que se encontra as partidas dele por Syracuse e comparar com esse pessoal, neste momento antes de março o Melo era já um jogador fantástico até pode dizer que pelo Universitário parecia que ele seria apenas um pouco pior que o Lebron que mesmo entrando via colegial. O lebron teve até uma partida televisionada pela espn, tamanho era a aposta nele.

      Tirando o Embiid, que é uma posição complicada, em termos de qualidade, por isso pivô sempre sai antes, você tem oito jogadores (eu não vi o exum ou não me lembro por causa disso me abstenho de discutir, afinal vídeo de melhores momentos não dá para saber nada) é mais questão de preferência pessoal, a minha é:

      Parker, Saric, Embiid, Ennis, Wiggins, Vonleh, Aaron Gordon, Randle, Smart.

      A chance de ter um ou mais bust nesse grupo é grande. Só ver o Darko que alguns analistas (leia-se chad ford) no final achavam que seria melhor que o Lebron, no nbalive da espn que auxiliou daquele ano o último que joguei, o darko acabava o ano sendo o “melhor” com um baita tiro de três. Um dos maiores bust do draft, segundo o Vitale, seria o novo Hakeem, o nome Michael Olowokandi.

      Nesse draft . a vantagem ao meu é a profundidade no bloco seguinte tem Kyle Anderson, Doug M., Harris etc. Por causa disso estou bem contente com a 18 pick do nets/hawks hoje. Não acho que teremos como ocorreu no draft de 2003 depois do começo pula-se praticamente várias posições para o West, um miolo grande de jogadores que não deram certo.

      Por que existe a minha visão é que é draft profundo, só que diferente não tenho muito certeza que será cheio de franchise players, e estar um pouco mais ou menos na frente tanto faz. mesmo o Aaron Gordon que é um jogador que acho que tem sérios problemas de ataque e seria uma frente dele e sully baixa, é no college um baita defensor, talvez o melhor até aqui da sua turma, mas se ele surpreender com um jump melhor como aconteceu com o MCW, pula para ponta.

      E como colocou o Chad Ford ontem, agora saindo da ideia de draft transcendente, ainda falta março e os treinos para sabermos a qualidade, e depois para confirmar os jogos da NBA, quantos all-star sumiram nos primeiros anos e tornaram-se bust.

  4. Danilo Jeolás

    Se for para piorar o time, deve vir algum machucado na trade. Okafor seria o mais possível.

  5. Renato

    Drakes,

    Respeito sua opiniao, mas acredito que esse Draft COM 100% de certeza irá gerar futuros All Star.

    Embiid – Parker – Wiggins tem tudo para alcançar esse nível, em especial os 2 primeiros.

    Exum e Saric são grandes apostas , que valem o risco, podem ser futuros All Star.

    Os demais jogadores que você citou podem ser bons complementos em sua equipe.

    Em relação a escolha do Nets, acho que a mesma pode ficar em torno de 15 ou 16, já que o Atlanta vai ladeira abaixo e o Nets vai ter um monte de back to back após o All Star Game,

    O Ainge na próxima temporada vai nos oferecer um time competitivo com + 1 all star pelo menos,

  6. RICARDO RJ

    O que vocês acham do ZACH LAVINE? vejo nesse mlk potencial é gatilho nato, pode ser uma aposta tbm.

    • drakes

      Ricardo RJ, eu vi logicamente dois ou três jogos dele, um contra duke, é um cara que impressiona quando liga o motor, tem bola de três, sabe armar, e marca muito bem, fisicamente se impõe, até dá para notar as qualidades dele por que ele jogou ao lado do Adams que é um jogador de UCLA veterano.

      Deve ser outro nome que o Celtics deve chamar para um treino para avaliar, afinal parece ter talento, mas NBA é também cabeça e saúde para aguentar 82 jogos de 48 minutos contra os melhores do planeta.

  7. RICARDO RJ

    Valeu drakes, acho que esse cara poderia seria ser nossa 2ª escolha tem potencial e pode evoluir.

  8. Renato

    Ricardo,

    Segunda escolha??? Ele não chega a posição 15/16 de jeito nenhum, acredito que deva ser TOP 10 escolha.

    Parece ser bom jogador, mas não indica que pode se tornar um futuro All Star, como primeira escolha só iria nele se não tivesse outra opção.

    Agora se por milagre ele chegar até a posição 15/16 e realmente essa for nossa posição de escolha NETS, não pensaria 2 vezes em draftá-lo.

Postar comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.