Visite nossas Redes Sociais
Curta e siga nossas redes para ter acesso a conteúdos exclusivos, além de manter-se sempre atualizado sobre novos artigos no site.

Danny Ainge assume culpa por fracasso do Celtics na temporada 2018/2019 e defende Kyrie Irving

A temporada 2019/2020 já está em andamento, o Boston Celtics faz uma boa campanha e ocupa a vice-liderança da Conferência Leste, mas velhos fantasmas continuam atormentando torcedores e dirigentes do maior campeão da história da NBA. General manager do Celtics, Danny Ainge concedeu entrevista à jornalista Rachel Nichols, da ESPN, e falou sobre os problemas vividos pela franquia de Massachusetts na temporada 2018/2019: favorito ao título, Boston sofreu com o temperamento instável do armador Kyrie Irving e com a incapacidade do técnico Brad Stevens de transformar o time, e esses problemas foram cruciais na queda celta para o Milwaukee Bucks nas semifinais do Leste.

Ainda incomodado com a campanha do Boston Celtics na última temporada, Danny Ainge fez um desabafo e assumiu a responsabilidade pelo fracasso da equipe verde e branca. Além disso, o dirigente celta fez elogios a Kyrie Irving e minimizou as críticas em torno do armador, que, mesmo sem estar em quadra, foi alvo de vaias e ofensas da torcida de Boston na partida contra o Brooklyn Nets na última quarta-feira (27).

“Eu acho bobagem que Kyrie seja o culpado apenas porque não está conosco este ano. No primeiro ano e meio, Kyrie foi ótimo para o nosso time, e eu esperava que fosse um bom casamento depois disso. Mas ele realmente queria ir para casa, essa foi a escolha dele, e não sei porque ele recebe toda a culpa. Sou eu quem deveria ser responsabilizado pelo ano passado. Montamos uma equipe com peças que não se encaixavam. Tínhamos muito talento, muitas expectativas. Não é culpa de Kyrie, certamente”, destacou Ainge.

Perguntado se mudaria algo em seu comportamento na última temporada, Danny Ainge revelou que gostaria de fazer mudanças no elenco, e que não tomou essa decisão na Trade Deadline por causa da boa campanha do Boston Celtics na temporada: na pausa para o All-Star Game, o Alviverde tinha 37 vitórias em 58 jogos.

“Acho que há algumas coisas que eu gostaria de fazer diferente. Deveria ter mudado um pouco o elenco para facilitar as coisas para Brad, dar mais alegria para ele treinar. Seria um pouco mais cuidadoso na construção da equipe, mas tentando manter a profundidade. Simplesmente não deu certo. Foi minha culpa”, disse o manager.

Sem Kyrie Irving e apostando na liderança de Kemba Walker para continuar sendo competitivo na Conferência Leste, o Boston Celtics encara o Brooklyn Nets na tarde desta sexta-feira (29), às 14h (horário de Brasília), no Barclays Center. Com 13 vitórias em 17 jogos e 76,5% de aproveitamento, o Celtics está na caça ao Milwaukee Bucks, líder do Leste, que tem dois triunfos e uma partida a mais na temporada.

Author avatar
Gustavo Arruda
Gustavo, 28 anos, é maranhense de São Luís, jornalista formado pela UFMA e repórter do Imirante.com. Fanático por esportes, principalmente futebol e basquete, é torcedor celta desde 2003, quando ouviu pela primeira vez o TD Garden lotado entoando "Let's go, Celtics!", e escreve no Celtics Brasil desde julho de 2011, com mais de 1.700 textos publicados. Nas horas vagas, é goleiro, armador, tio do João Gabriel e da Alice, e também dá seus pitacos sobre o maior campeão da NBA no Twitter: @gustavoarruda01.

1 comentário

  1. silvio Freitas

    Essa porcaria já deveria ter saído . Enquanto estiver , não vamos ganhar nada Silvio Freitas

Postar comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.