Visite nossas Redes Sociais
Curta e siga nossas redes para ter acesso a conteúdos exclusivos, além de manter-se sempre atualizado sobre novos artigos no site.

Jogo 1 – Hawks 102 x 101 Celtics

Torcer para uma Montanha Russa. Essa tem sido a sensação que muitos torcedores do Celtics vem tendo nos últimos dias.

Após terminar o primeiro tempo perdendo por 24 pontos e virar o jogo no segundo tempo, o Celtics parece não ter aprendido com seus erros e voltou a fazer uma partida de dois tempos distintos.

Claramente sentindo a pressão de estrear nos playoffs fora de casa, a equipe de Boston começou muito mau, tanto no ataque quanto na defesa.

Isaiah Thomas não demonstrava confiança nenhuma no ataque e Crowder surpreendentemente era quase nulo, não só no ataque, como na defesa, seu carro chefe.

Sufocado pela defesa do Hawks, o Celtics apostava na bola de três pontos, que teimava em não cair. Sabedor disso o Hawks fechava seu garrafão, as vezes até com quatro jogadores para impedir as infiltrações de Thomas e deixava o Celtics livre pra 3, já que a eficiência no quesito era terrível.

Ao final do primeiro tempo o placar já apontava 17 pontos de vantagem para a equipe da casa (51×34), placar que poderia ser pior se não fosse a grande atuação e empenho defensivo de Bradley, único jogador que se destacava pela equipe verde.

Após o retorno do intervalo, a duvida que estava no ar é se um raio podia cair duas vezes no mesmo lugar, na mesma semana, e o Celtics poderia virar o placar. A resposta foi sim!

Stevens fez diversas mudanças táticas na equipe. Colocou Crowder de PF para marcar Milsap, lançou Smart e Turner na quadra para acelerar o ritmo do jogo e o Celtics rapidamente foi cortando a vantagem da equipe da casa até que restando 6 minutos para o final, uma cesta de 3 pontos de Crowder colocou o Celtics finalmente na liderança da partida (83×80).

A sorte por outro lado, não parecia estar ao lado de Boston nessa noite. Na jogada seguinte, Avery Bradley, melhor jogador celta até então sentiu uma lesão na coxa e foi ao chão agonizando. O atleta teve que sair de quadra carregado e é inclusive dúvida para os jogos restantes da serie.

Sem Bradley para marca-lo, Jeff Teague tomou as rédeas da partida e recolocou o Hawks no caminho da vitória.

O Celtics até tentou o impossível no final, acertando duas cestas de 3 seguidas para ficar a 1 ponto do adversário, mas já não havia mais tempo para uma nova reação.

A equipe de Boston volta a quadra para o segundo confronto contra o Hawks na terça-feira, dia 19 às 20:00hs mais uma vez em Atlanta.

Destaques do Celtics

Isaiah Thomas: 27 pontos | 8 assistências | 3 Rebotes
Avery Bradley: 18 pontos | 1 assistências | 3 Rebotes
Marcus Smart: 15 pontos | 2 assistências | 5 Rebotes

Destaques do Hawks

Al Horford: 24 pontos | 2 assistências | 12 Rebotes
Jeff Teague: 23 pontos | 12 assistências | 4 Rebotes
Kent Bazemore: 23 pontos | 8 Rebotes

Author avatar
Daniel Emiliano
Daniel é publicitário, web designer e ilustrador residente em Campinas/SP. Em 2008 uniu paixão e profissão e deu vida a um Blog de notícias e opiniões sobre o Boston Celtics. Com ajuda de outros apaixonados o Blog foi tomando proporções inimagináveis e hoje é este Celtics Brasil, o maior site sobre uma equipe da NBA no Brasil.

32 comentários

  1. Lafaiete Cruz

    O time se mostrou muito nervoso no início de jogo, e quando parecia que iríamos vencer acontece a lesão do Bradley…realmente uma noite que praticamente nada deu certo 🙁

  2. PHABIO SANTOS PASSOS

    OK, FALTOU SO UMA CESTA, OU SE ACERTAMOS DOIS LANCES LIVRES, QUE PERDEMOS,,,, TEMOS QUE JOGAR MELHOR NO PRIMEIRO TEMPO, FICA CORRENDO ATRAS NO PLACAR NAO DAR MUITO CERTO…. VAMOS CELTICS,,,,

  3. Renato

    Smart se saiu muito bem, mas sem Bradley a série acaba pra gente, pq Teague tende a levar vantagem com outros defensores. Olynyk me decepcionou, 2 pontos e uma contribuição patética para seu potencial ofensivo.

    • Daniel Emiliano

      Olynyk foi filmado várias vezes com ombreira e gelo no ombro.
      Certamente ele ta jogando no sacrifício, assim como o Crowder.

      Smart tmb jogou com o dedo indicador quebrado

      Infelizmente chegamos meio quebrados pra esse playoff

  4. Fernando C. da Silva

    Na minha opinião, depois da lesão do AB a marcação sobre o Teague deveria ser o Smart e não do Turner. Tomamos pontos bobos que decidiram o jogo.

    Desta vez isento o KO que está derrubado.

    Achei o Amir esforçado na defesa, mas precisa melhorar no ataque.

    Sully perdido na defesa em alguns momentos.

    Duro ver o Scott, atleta mediano, ter impacto no nosso garrafão.

  5. André Frenhane

    Perdemos o jogo, mas temos que lembrar que o jogo foi em Atlanta e perdemos somente por 1 ponto. O espírito Celta está presente, um time guerreiro que não entrega o jogo mesmo que perdendo por 19 pontos. Avery Bradley vai voltar, tenham fé, e vamos reverter esse jogo.

  6. Francisco

    Temos um bom perímetro e um péssimo garrafão.
    Eles tem um bom perímetro e um bom garrafão.
    O time dos caras coletivo, igual o nosso, só que mais equilibrado.
    Mas é só isso tbm, eles não tem nenhum monstro, tipo LeBron, acima da média e que sempre joga muito contra o Celtics.
    Ainda dá, mas vai depender do Bradley.
    2 coisas que me incomodaram, foi que estamos deixando abrir o adversário abrir vantagem, pra depois correr atrás do placar. Se for assim, começa o jogo dando 20 pontos de vantagem pros caras, assim começamos a jogar desde o início, e não deixamos para o terceiro quarto.
    Outra coisa são esses arremesso lokos de 3. Se vai pra essa estratégia, deveria ter passado a temporada toda preparando o Hunter, e não deixando ele no banco em jogos ganhos, ou colocando ele pra jogar 1 minuto e alguns quebrados.

  7. David Pessoa

    Smart jogou muito bem,espero que ele marque o teague nos proximos jogos, quase acerta uma bola impossivel.

  8. Lucas Oliveira

    Concordo que sem o Bradley vamos ter muitos problemas, mas pessoal tá desanimado por uma derrota por um ponto, na primeira partida da série e fora de casa! Os exemplos de superação que está equipe mostrou ao longo do campeonato não foram poucos.

    Cada um vai ter que se doar um pouco mais, parar de fazer burrada no começo do jogo e apostar na defesa Rozier na rotação.

    • David Pessoa

      Concordo Lucas, mas prefiro que o rj hunter tenha mais minutos,rozier não estava jogando tão bem na temporada,na minha opinião,hunter arremessa melhor e pode melhorar um pouco a nossa porcentagem de acertos de arremessos de quadra,que foi pifia no jogo passado.Além disso Hunter também defende bem o perimetro e ja mostrou que também pode ajudar com as assistencias.Não que o rozier não deva jogar,mas acho que o rj hunter merece mais minutos que o rozier na situaçao que nos encontramos.

    • Daniel Emiliano

      O povo ta desanimado, mas não é por uma derrota por um ponto e sim pela lesão do Bradley.
      Garanto que se tivéssemos terminado o jogo com ele, estaria todo mundo eufórico, acreditando como nunca.

      Mas sem ele, complica, já que ele é PEÇA CHAVE nesse confronto.

    • Lucas Oliveira

      Eu concordo Daniel, na verdade é pelos dois, porque perdeu a partida e o Bradley… E para ser sincero na hora da contusão eu também pensei “ferrou”, mas, até ver o comportamento do time no próximo jogo, temos que confiar no nosso treinador e nos nossos jogadores.

      Até porque, considerando a situação, perder o Bradley contra o Atlanta não é o fim do mundo… O primordial continua sendo parar o Al Horford e o Millsap, e o Bradley não responsável para marcação de nenhum dos dois.

      David, quanto ao Hunter, de fato ele é um shooter muito melhor que o Rozier, mas eu vejo o Rozier mais preparado para um jogo de playoffs. Desde que ele começou a entrar na rotação ele vem mostrando personalidade e incendiando o jogo. Só por isso eu escolheria o Rozier, mas é uma questão de preferencia pessoal mesmo.

  9. Gbrunus

    Acho q o maior erro desta partida foi não comessar no smallball nervoso do 3 e 4 quarto, com as dobras de marcação quando um jogador como o holford e milsap entravam no garafão, creio que para proxima partida o AB n deve voltar só para a 3 em Boston então acho q a melhor opição de quinteto titular para a proxima partida deve ser:
    IT-Smart-Turner-Crowder-Amir

  10. Jota

    Gostei da recuperação do time, mas é inegável que o Stevens estava tomando um baile do Budenholzer, e isso desde o nosso jogo contra eles na regular.

    Hawks, apesar de bem treinado, usa e abusa de uma só jogada: pick and roll, que chama a dupla marcação para fechar o garrafão, e eles passa para o mid range ou perímetro para 3 pts. Eles usaram e abusara disso nas duas partidas.

    Ontem, depois do halftime, o Stevens conseguiu colocar mais consistência na marcação, em que nossos jogadores não dobravam tanto a saída do pick and roll e conseguiam contestar o perímetro. Assim o jogo deles acabaram. Tiveram que contar com as infiltrações fora de contexto do Muscala, Bazemore, Scott e o jogo do Horford e MIllsap no garrafão.

    Eu gostei da recuperação porque me pareceu que o Stevens conseguiu arrumar a marcação depois do halftime. Amir e Sullinger não conseguirão marcar esse pick’roll e bola para o mid ou 3pts. Ele vai ter que arrumar outro ajuste, talvez com Jerebko, Mickey, Turner ou Crowder.

    Quem sabe colocar um time mais baixo, para rodar mais rápido a bola no ataque e surpreender com as infiltrações, esquecendo os chutes de média e longa distância que não deram certo nos 3 primeiros quartos ontem. Talvez colocar uma marcação mais rápida para defender esse garrafão espaçador dos Hawks.

    Eu não sei! Só sei que o Stevens quase nunca decepciona quando o assunto é conseguir respostas para formações diferentes. Ontem ele fez todos os testes possíveis e conseguimos virar o jogo .Arrisco a dizer que se não fosse a lesão do Bradley nós teríamos vencido. O perímetro deles estava marcado, mid e 3 pts não caía mais. E estávamos forçando e defendendo bem o garrafão, impedindo rebotes.

    Esse time tá jogando no sacrifício, ainda mais agora sem o Bradley.

    • Fernando C. da Silva

      Jota, eu acredito sim que venceríamos com o AB em quadra. O Teague conseguiu alguns pontos fáceis que bloquearam nossa reação.

      Achei que a bola de 3 pts a 1min e pouco do final foi uma precipitação. Neste momento, o Stevens errou.

      Ao invés de carregar o Amir e o Sully em faltas, poderia dar este papel ao Zeller.

      De toda forma, confio no Stevens. Como você.observou, ele não decepciona ao encontrar as variáveis.

      Nosso jogo vai melhorar na segunda partida.

    • Alefe Miranda

      Discordo! Todos estes argumentos cairiam por terra, se tivessemos convertido nossos arremessos – na maioria das vezes, sem marcação.
      O ponto é, Stevens não tomou baile de Budenholzer. Ele se adaptou ao fato de que nossas bolas não caiam, e nossa equipe estava frustrada. Nossa reação foi mais motivacional, do que tática. Era notório que Budenholzer estava pagando para ver, Hawks chegou a colocar quatro jogadores fechando o paint, e o perimetro livre. Devemos vir com formações baixas por mais tempo, e continuar a arremessar, o trabalho mais enfático que tem de se feito, é psicológico.

      • Marcos

        Qualquer um paga para ver um time que arremessa de fora < 25% e cujos "pivôs" Sullinger e KO são "arremessadores" de longa distância e deixam o rebote livre.

        A bola do Hawks também não caiu.
        Especialmente a bola de 3.
        O Korver fez uma partida horrorosa com apenas 2 pontos.
        Do contrario, era para ter sido mais de 30 pontos de vantagem no primeiro quarto.

        []s verdes

    • Daniel Emiliano

      Não acho que o Stevens tomou baile do Budenholzer, na boa.
      O problema é que não se faz ovos sem omelete.
      Como eu já tinha dito na minha análise do confronto, antes da partida, nós simplesmente NÃO TEMOS material humano pra defender o garrafão do Hawks.
      Não é questão de tomar nó tático nem nada. É falta de qualificação, mesmo.

    • Maurício Green

      Acho que é muito mais encaixe dos times do que baile. O Celtics sofre com garrafões fortes e por isso sofre com o Atlanta.
      Mal comparando o Stevens deu baile no Kerr pq o ganhamos o Golden State em casa? Não o nosso jogo encaixa no deles…

    • Marcos

      Concordo 100% Jota,

      O Stevens estava perdido como cego em tiroteio, até ver que não dá para jogar com a falta de atleticismo (o pancinha Sully não reboteava nada) e a falta de vontade (Amir/KO) juntos nos mesmo quinteto contra o Hawks.

      A solução foi abaixar o time Thomas/Turner, AB, SMart, Crowder, Jhonson foi esse o quinteto que ganhou o 3o quarto por ampla margem.
      Eu estava torcendo para que acabasse o primeiro tempo e estivessemos perdendo “só” de 20 pontos.

      AB tinha feito a melhor temporada da carreira. Arremessos conscientes e marcação boa quando o adversário não tinha altura ou físico superior. É uma pena, pois o nosso time é fraco e qualquer jogador titular que sai é uma perda irreparável.

      Ponto importante: Fomos massacrados nos rebotes. Foi uma vergonha. Sem o AB, o Stevens já pode pensar em entrar com o Crowder de PF (o Smart é um bom match-up na 3 contra o Bazemore, que é baixinho) e revezar o pancinha e o Amir de pivô.
      KO estpa baleado. Nesse caso, ao invés de usar o bonecão de posto canadense, o Stevens pode tentar um pouco mais de minutos para o Mickey. Certamente, nossos rebotes devem melhorar.
      Ah, e Evan Turner será crucial no ataque. Precisamos de pelo menos 15 ppg dele se quisermos não ser varridos dessa série.

      []s verdes

  11. Fernando C. da Silva

    Quero registrar que não estou desanimado para a série. Mas… perdemos sim uma ÓTIMA chance de reverter o mando de quadra (e vai lá saber se teremos outra chance tão boa).

    Confio no time. Se o AB sofreu uma contratura, talvez volte somente para o jogo 3 ou 4. Mas se o Smart estiver bem (que enfaixe esse dedo e jogue firme) ele vai atrapalhar o Teague, certamente.

    Quem estiver no matchup contra o Corver tem que pontuar muito. Quem estiver contra o Scot, tem que pontuar (uma pena o KO estar lesionado pois é muito mais técnico, aliás é uma contusão já antiga e ainda não recuperada).

    Acredito que o Amir pode atrapalhar bem o Horford. Então precisamos ser efetivos contra o Millsap e o Teague.

    No mais, trabalhar melhor a bola e saber quando chutar de 3.

    O fator nervosismo creio que não será tão determinante no próximo jogo (a falta do AB pode ser a depender do Smart).

  12. Jean Alesi

    O problemas foram as (MUITAS) tentativas de cesta de 3 que o Celtics tentou, acarretando no rebote dos Hawks e consequentemente, marcando pontos, foram pelo menos umas 5 vezes, só ai foram mais de 10 pontos pros Hawks, sem essas falhas, teriamos levado essa.

  13. Ranieri

    Eu acho que ao ver que as bolas de média e longa distância do celtics não estavam caindo Budenholzer fechou o garrafão e abriu espaço para o chutes do boston então se fazia necessário um jogador mais confiável na área pintada pra atrair a atenção dos marcadores e abrir espaço para as infiltrações e chutes de média distância com isso o numero de acertos seriam maior, a confiança aumentaria e os chutes de 3 tbm, e na minha opinião o melhor pra fazer esse papel seria o Zeller, eu acho ele nosso melhor pivô na área pintada no lado ofensivo, e no lado defensivo é equivalente ao outros. Quanto aos próximos jogos tem que torcer pra o Bradley voltar com certeza e por favor Turner no Teague não dá né!!!
    #euacredito

    • Alefe Miranda

      Ao meu ver Zeller não será muito utilizado, por caractéristica ele não espaça a quadra. O esquema que pode diminuir a soberania do Hawks no garrafão, é justamente o Small Ball, e seria mais sábio faze-lo com Amir ou Olynyk na 5. Pois não confio em Zeller contra Horford e Milsap no paint; acredito que só ficará grande periodo em quadra, se tiver uma atuação exepcional desde do inicio de sua chamada.

      • Ranieri

        Porém não adianta a gente espaçar a quadra com um percentual tão baixo nos chutes de média e longa distância, ainda mais sem o Bradley que é um dos melhores do time nesse quesito, Juntando isso ao fato Olynyk está baleado sem conseguir contribuir da forma que faz normalmente fica mais difícil, não adianta a gente colocar small se as infiltrações estiverem marcadas pelo o Hawks fechando o garrafão e se o chutes continuarem ruins, por isso acho que colocando o Zelle na área pintada vai criar dois problemas pra defesa deles o jogo de garrafão do Zeller que repito é o melhor da equipe e tbm vai abrir espaço para os chutes de média distância pra os nossos jogadores de perímetro que mesmo num dia ruim teria mais chances de acerto nos chutes de média distância e não no de longa

  14. Fernando C. da Silva

    Sobre as tentativas de 3 pts, tanto as nossas quanto às do Atlanta foram abaixo da média.

    Se nosso time estivesse completo e saudável, eu não veria uma diferença tão significativa no material humano com o adversário.

    Não acho que o Stevens tomou baile, mas eu trabalharia com o Zeller (o KO está baqueado) e foi equivocada a decisão de partir para a bola de 3pts, tendo tempo para 2 ataques de 2 pts, considerando o histórico da partida nas bolas 3 pts.

    Levando em conta a dificuldade da série, perdemos uma ótima chance.

    PASSADO! Bola para frente, jogamos bem e podemos surpreender.

  15. Maxwell Eugenio

    Esse time ta precisando da entrada do Mickey,ele se duvidar é o nosso melhor protetor de aro, sem contar a garra que o muleke tem o que é tão importante numa serie de playoffs difícil como essa!

  16. […] Hawks 102 x 101 Celtics […]

Postar comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *