Visite nossas Redes Sociais
Curta e siga nossas redes para ter acesso a conteúdos exclusivos, além de manter-se sempre atualizado sobre novos artigos no site.

Knicks 114 x 119 Celtics

Então é Natal!
E o que você fez?
Derrotei os Knicks
Só mais uma vez

O Celtics não jogava um jogo no dia de Natal desde o ano de 2012, quando derrotou o Nets, no Barclays Center, por 93 a 76. Naquela ocasião, Rajon Rondo, Paul Pierce e Kevin Garnett ainda eram titulares da equipe de Boston. Nestes quatro anos de ausência em uma data tão especial para a NBA, dezenas de jogadores passaram pelo Celtics durante sua reconstrução, até que a equipe tornou-se novamente atraente para ser selecionada para a programação do dia 25 de Dezembro.

Neste feriado natalino de 2016, o Celtics viajou até Nova Iorque, para enfrentar o tradicionalíssimo rival de divisão New York Knicks. As equipes já enfrentaram-se algumas vezes nesta data, sendo o último confronto ainda recente, no ano de 2011, quando a equipe de Boston foi derrotada pelo Knicks, no Madison Square Garden. Na partida deste domingo, no mesmo palco, apenas Avery Bradley, do lado do Celtics e Carmelo Anthony, do lado do Knicks, são remanescentes deste último embate natalino. Só que desta vez, o Celtics teve melhor sorte, e acabou derrotando a equipe de Nova Iorque pelo placar de 119 a 114.

No primeiro quarto de partida, o Knicks aproveitou-se de inúmeras falhas defensivas do garrafão do Boston Celtics, e logo abriu boa liderança no placar. Sofrendo com situações de outrebound, o Celtics permitiu inúmeros rebotes ofensivos à equipe de Nova Iorque, que capitalizava estas oportunidades em cestas fáceis. Além disso, a equipe de Boston sofreu bastante ofensivamente com os arremessos de 3 pontos. Foram oito tentativas de arremessos longos no período e apenas duas conversões. Com isso, o Knicks terminou o quarto com a liderança do placar, por 28 a 22.

No segundo período de partida, o Celtics continuou com os problemas defensivos do garrafão e permitindo pontuações fáceis próximas à cesta, muitas delas surgindo de rebotes ofensivos. E estas falhas defensivas foram escancaradas quando o treinador do Boston Celtics, Brad Stevens, resolveu colocar Jonas Jerebko e Kelly Olynyk ao mesmo tempo na quadra. Jerebko já havia sofrido bastante defensivamente no primeiro quarto e errou todos os arremessos que tentara até o momento na partida. Já Olynyk, conhecido pelo péssimo desempenho defensivo, não surpreendeu a ninguém e manteve o baixíssimo padrão de sua defesa.

Quando Stevens finalmente tirou Jerebko e Olynyk de quadra, voltando com Amir Johnson e Al Horford, no meio do segundo período, a equipe do Celtics foi completamente diferente. Os dois jogadores, com maior destaque para Johnson, elevaram o nível da defesa de Boston, que passou a não tomar mais pontos dos Knicks. Com a apatia da equipe de Nova Iorque em pontuar, o seu principal jogador, Carmelo Anthony, tentou assumir a responsabilidade da partida. Mas o ala foi defendido com absoluta maestria por Jae Crowder, terminando o primeiro tempo com apenas um arremesso convertido em nove tentativas.

Além da melhora defensiva, a equipe de Boston também elevou o aproveitamento de seus arremessos, principalmente nas bolas longas. Em dado momento do período, o ala do Celtics, Jae Crowder, acertou três arremessos consecutivos para três pontos, que acabaram colocando Boston na liderança do placar. Outro ponto que melhorou bastante do meio pro fim do segundo período, foram os rebotes ofensivos do Celtics. Os brigadores natos, Amir Johnson e Marcus Smart, deram novas oportunidade da equipe pontuar. Ao fim do período, o Celtics já liderava o placar, com parcial de 56 a 48.

No terceiro quarto de partida, o principal destaque defensivo da equipe de Boston até então, Amir Johnson, acabou recebendo sua quarta falta muito cedo no período. Em seu lugar, entrou o canadense Olynyk. E as dificuldades defensivas características de Olynyk, e já vistas no primeiro tempo, deram fôlego extra ao Knicks da partida.

Além disso, Carmelo Anthony, que estava amassando o aro até então, resolveu assumir a responsabilidade do jogo novamente, mas dessa vez, com a mão calibrada. Mesmo com especialistas defensivos, como Marcus Smart e Jae Crowder, quase que literalmente pendurados em seu pescoço, Anthony acertava seus arremessos e cortava a diferença do placar. Em outras oportunidades, o Knicks executava jogadas em que, com trocas, Anthony acabava marcado por Olynyk. Daí, apenas cestas fáceis para Melo. O ala da equipe de Nova Iorque acabou o período com 15 pontos.

Só que, apesar de ser uma lacuna defensiva gigantesca para sua equipe, Olynyk resolveu executar aquilo que faz de melhor: assumiu a responsabilidade do ataque da equipe na parte final do terceiro quarto, quando o líder ofensivo da equipe, Isaiah Thomas, não estava em quadra. Com arsenal ofensivo invejável para alguém de sua posição e altura, o bigmen canadense criou inúmeras oportunidades para si e seus companheiros, terminando o período com 10 pontos e duas assistências. Ao final do período, o Celtics ainda liderava, pelo placar de 88 a 82.

No começo do último quarto, vencendo por seis pontos, o Celtics apostou na volta de Amir Johnson, que vinha fazendo ótima partida defensiva. E a aposta deu certo. Com Johnson em quadra, a equipe de Boston foi aumentando a diferença para o Knicks, até que o ala-pivô cometeu sua quinta falta na partida, e teve que ser substituído novamente por Kelly Olynyk.

Com seu principal pontuador, Carmelo Anthony, muito bem marcado por Jae Crowder, e sem conseguir concluir jogadas ofensivas, outras duas peças ofensivas do Knicks resolveram assumir a responsabilidade de tentar cortar a diferença do placar: o armador Derrick Rose e o ala-pivô Kristaps Prozingis. Rose, mostrando alguns flashs do jogador que era no Bulls antes das lesões nos joelhos, fez ótimas jogadas individuais, atacou a cesta e pôs 7 pontos seguidos no marcador.

Já Porzingis, cresceu bastante defensivamente, fazendo jogadas importantes na quadra de defesa, como os quatro tocos e dois roubos de bola que teve no quarto. Em um desses roubos de bola, Porzingis fez seu sexto ponto consecutivo no período, empatando o placar da partida e explodindo o ginásio de Nova Iorque.

No entanto, após importante arremesso de três pontos convertido por Marcus Smart e uma jogada defensiva sensacional de Avery Bradley em Carmelo Anthony, o Celtics abriu cinco pontos de diferença, faltando 17 segundos para o término do embate. O Knicks ainda tentou cortar a diferença no fim da partida, mas em duas jogadas defensivas de impacto do pivô All-Star do Boston Celtics, Al Horford, com um toco em Kristaps Porzingis e um roubo de bola em Justin Holiday, o Celtics confirmou a vitória sobre o rival, pelo placar de 119 a 114.

Com o triunfo, o Celtics mantém-se na terceira colocação da conferência, com a campanha de 18 vitórias e 13 derrotas. É importante ressaltar que, nesta campanha, o Celtics vem notabilizando-se por ser um visitante bastante indigesto. Com a vitória deste domingo em Nova Iorque, o Celtics chega a sua 12ª vitória em 19 partidas longe do TD Harden. Já em seu ginásio, a equipe de Boston tem uma campanha mais modesta, seis vitórias e seis derrotas.

Após esta partida, o Celtics volta para Boston, onde recebe, em seu ginásio, o Memphis Grizzlies, na próxima terça-feira. Já o Knicks, viaja até Atlanta, onde enfrenta o dono da casa, Hawks, na quarta-feira da próxima semana.

Destaques da Partida

New York Knicks

Carmelo Anthony: 29 pontos, 7 rebotes e 9/24 em arremessos de quadra
Kristaps Porzingis: 22 pontos, 12 rebotes e 4 tocos
Derrick Rose: 25 pontos
Joakim Noah: 8 pontos e 12 rebotes

Boston Celtics

Al Horford: 15 pontos, 7 rebotes, 5 assistências, 3 roubos de bola e 2 tocos
Isaiah Thomas: 27 pontos
Marcus Smart: 15 pontos e 7 assistências
Jae Crowder: 16 pontos e 6 rebotes
Avery Bradley: 11 pontos, 6 rebotes e 3 roubos de bola
Kelly Olynyk: 16 pontos, 7/9 em arremessos de quadra

Author avatar
Fábio Malet
Gaúcho de Porto Alegre, bacharel em Ciência da Computação e engenheiro de softwares sênior. Apaixonado por esportes, tem o jornalismo como um hobby e pretende, futuramente, fazer pós-graduação na área. Acompanha NBA desde o começo de 2007 e, pé-quente, viu seu Boston Celtics ser campeão na primeira temporada inteira a que assistiu. Torce também para Grêmio, Tottenham Hotspur, Boston Red Sox e Green Bay Packers.

13 comentários

  1. Francisco Machado

    Ate q enfim o Crowder resolveu acordar.
    Q final de jogo q tivemos, com aquele steal do Bradley e o Block do Horford. Jogaram de mais.
    Olynyk ofensivamente foi bem.
    Smart com 50% de fg, foi o milagre de Natal.
    Q camisa linda.
    Jerebko conseguiu me fazer falar palavão no Natal.
    Precisamos de um pivô titular, um cara experiente pro banco.
    Quem ficou esperando Noel na véspera de Natal? ACORDA AINGE!!!!
    #CHUPA DURANT, como eu ri naquela escurrega……..

  2. Gustavo Miglioretti

    Eu acho que foi o primeiro jogo que todos os principais jogadores tiveram bons jogos. O Crowder precisa ser agressivo igual hj, contra o OKC a bola rodava, chegava na mao dele e ele mal olhava pra cesta e devolvia pro IT, Al ou Bradley. Hoje além de ser agressivo ainda fez uma excelente defesa no Melo, que praticamente só pontuou quando era marcado por outros jogadores

    Estamos bem demais fora de casa, isso é excelente, faz mto tempo que nao temos um recorde desses, ainda mais se levar em conta que temos boas chances de se enfrentar o Raptors, o mando ser deles

    Essa jogada da bola de 3 do Smart é preciso dar crédito pro Horford tbm, que tá mostrando pq era o fit ideal pra esse time, alias lidera os C com 5.0 ast por jogo

    E gostei do Green tbm, praticamente nao joga e segue sem reclamar ou fazer biquinho, até agradeceu a comissao técnica por mante-lo motivado. Gostaria dele com mais tempo em quadra agora ou entrando mais nos jogos, Rozier tá em má fase

  3. Gustavo Miglioretti

    Green teve plus/minus de +17, o melhor do time junto com o Smart.

  4. Gbrunus Boston

    Completando Gustavo o Green é uma ótima adição ao vestiário. O IT e outros jogadores sempre aparecem fazendo piadas junto dele, o thomas até falou q o Gerald é o jogador mais próximo dele no elenco.

  5. Tiago Coelho

    o time ta jogando bem fora de casa, só GSW e SAS tem mais vitorias fora de seus dominios em relação ao nosso Celtics, nossa campanha fora é melhor que nossa campanha total.
    Go Celtics

  6. Maurício Green

    O time melhorou bem agora todos saudáveis. Só que está cansando do dura tabela da ultimas semanas, forma vários jogos fora, muitas viagens e jogos duros. Até o fim de janeiro serão 12 jogos em casa e 5 fora com adversários mais fáceis.

    Aí talvez o pessoal se acalme. Esse time está preparado p ser o 3 do Leste e ir para segunda rodada dos offs, mais que isso só se as coisas não forem bem p o lado de Toronto.

  7. Fernando C Silva

    Minha constatação: no leste estamos claramente atrás de Cavs e Toronto.

    Comparando com o Oeste, claramente atrás de GSW, Spurs e Clippers.

    Um pouco atrás do Houston.

    Creio que estamos no mesmo patamar do OKC e Memphis.

    Somos portanto a sétima força da liga.

    Quais os caminhos para o topo?

    1. Podemos brigar por um All Star. Temos urgência pois logo teremos negociação de contratos de IT e AB, com alguma dificuldade de manutenção da equipe.

    2. Podemos reforçar a segunda unidade de forma a equipara-la às melhores da liga. Foi uma estratégia do Spurs em seu último título. Este caminho em pouquíssimo tempo nos colocaria à frente de Toronto, Houston e Clippers.

    3. Continuar apostando no draft. Este caminho implicará em renovações, provavelmente pelo máximo, com IT e AB.

    Em resumo: podemos trocar as melhores escolhas do draft com equipes que possuem All Star e não aspiram nada demais na season (Kings, 76’s, Portland, Memphis, Detroit, Nets), ou podemos continuar na estratégia de investir no draft e tentar manter a boa equipe que temos.

    Eu tentaria ser mais agressivo. Creio que seja a oportunidade certa. Algo como Jae mais 2 firsts picks (ainda que muito boas) pelo Cousins.

    Se não agradar ao Kings, adicione KO.

    Até o momento eu fui favorável à movimentos mais conservadores em trades.

    Bato o pé que não podemos desmontar o time.

    Mas, temos uma certa urgência em aproveitar o momento que nos é favorável em razão dos contratos do AB e do IT.

    Se dispusermos de 2 picks (das inúmeras que temos), mais o KO e o Jae, acho que vale a pena para trazer o Cousins.

  8. drakes

    Duas breves notícias:
    – Boston Celtics guard Isaiah Thomas was named the Eastern Conference Player of the Week after guiding Boston to a 3-1 record. Thomas led the East in scoring (33.3) and was sixth in assists (7.3). His week included scoring a career-high 44 points in an overtime win over Memphis. This is the first Player of the Week honor this season for Thomas.
    – Zizic foi negociado pelo Cibona com Darüşşafaka Doğuş do técnico David Blatt, o técnico anteriormente no adidas EUROCAMP 2016 usou a história do Croata para inspirar os jovens jogadores do acampamento em sua palestra.

    Três constatações:
    – Celtics foi para terceira campanha do leste conforme indicado pelos analytics,
    – Nets briga com sixers pela pior campanha conforme indicado pelos analytics,
    – Com time completo o Boston tem 12 v e 4d.

    Sobre o jogo, vencemos um time em ascensão o que sempre é bom com grande partida do Smart.

  9. Cbm

    Fascinação que muita gente tem pelo encrenqueiro e peladeiro do cousins e algo que me intriga. Mandar um titular, um reserva e mais picks por este peladeiro que não vai acrescentar muita coisa na equipe não dá

  10. Olynyk, Green e Smart muito bem !
    Finalmente o banco de reservas veio para a temporada !

  11. PHABIO PASSOS

    E NAO ESQUECEMOS DE DO GAROTO BROWN, ESTA BEM, EM SUA PRIMEIRA TEMPORADA,O PESSOAL RECLAMA POR DAR MUITO TEMPO PRA ELE, BRAD ESTA FAZENDO BEM, TEM JOGO JOGADA 10 A 15 MINUTOS, OMTEM FORAM 6 MINUTOS,ELE ESTA JOGANDO CERTO E ERRADO POUCO, ISSO QUE INTERESSANTE…..

Postar comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *