Visite nossas Redes Sociais
Curta e siga nossas redes para ter acesso a conteúdos exclusivos, além de manter-se sempre atualizado sobre novos artigos no site.

O ano de Yabusele e seu desenvolvimento na China

Na noite de 23 de Junho de 2016, Guerschon Yabusele seria anunciado como a 16ª escolha do NBA Draft, sendo escolhido por nada mais nada menos do que o vitorioso Boston Celtics. Passada a alegria inicial, Yabusele precisou mostrar trabalho logo de cara nos treinos com a equipe e nos jogos da Summer League. Foi jogando na liga de verão da NBA no ano passado em Las Vegas que “Yabu” rapidamente impressionou dois treinadores do Shangai Sharks que estudavam a opção de importar alguns estrangeiros para a equipe na próxima temporada da CBA (Liga Chinesa). Como não havia lugar no elenco celta para esta temporada, Yabusele assinou com Shangai por um ano, e foi jogar ao lado do ex-armador da NBA Jimmer Fredette. Yabu acabou de completar sua temporada na China registrando médias de 20,9 pontos, 9,4 rebotes e 2 assistências por jogo, em 43 partidas. O “urso dançarino” deixou sua marca no continente asiático.

À propósito, o francês de 21 anos que cresceu como fã de Kobe Bryant e do Los Angeles Lakers, está perfeitamente bem com o fato de ser chamado de “dancing bear” de Boston, como o assistente técnico do Celtics Micah Shrewsberry, e agora muitos outros o apelidaram, devido à seu tamanho e agilidade.

Esse garoto é uma aberração da natureza, nunca vi nada igual, alguém tão grande com aquela mobilidade”, disse o calouro Jaylen Brown, amigo de Yabusele.

Austin Ainge, diretor de desenvolvimento do Celtics que viajou para a China em Dezembro passado para assistir Guerschon jogar, também teceu elogios ao francês:

“Fiquei muito satisfeito com a forma que ele jogou na China, acho que os pontos fortes de Guerschon são seu tamanho e sua versatilidade de jogar na 4 ou na 5. Seu arremesso de 3 pontos e seus passes são maravilhosos para um cara grande como ele.”

Yabusele estranhou estar tão longe de casa em um período relativamente grande: “Foi a minha primeira vez jogando basquete fora da minha cidade natal na França”, disse Yabu três dias depois que sua equipe foi eliminada da primeira rodada dos playoffs da CBA. Ele agora está planejado para voar de volta para Dreux, no norte da França, e se reunir com a família, finalmente.

Yabusele costumava aproveitar Shangai jantando na churrascaria próxima aonde morava, e visitando a Torre de Shangai, o segundo edifício mais alto do mundo, tudo isso respeitando uma agenda que incluía três jogos por semana. Mesmo aprendendo milhares de coisas novas, estar a milhares de quilômetros de casa por sete meses continua não sendo fácil.

“Você vem para uma cidade nova e encara uma cultura muito diferente”, disse Yabusele. “E ainda não está com seus amigos e família, a comida não é a mesma… é realmente um desafio, nem todos conseguem passar por isso”.

Mas ele passou por isso, e muito bem.

“Ele é um dos melhores garotos, muito espirituoso e autêntico “, disse Matt Beyer, agente de Yabusele.

“Quando eu estava lá, todos me contaram da alegria contagiante que Yabu trazia quando estava por perto”, disse Ainge. “Eles adoram seu grande sorriso e essa sua personalidade feliz. Eu achei muito divertido andar por aí em Shangai com Guerschon com tantas pessoas o reconhecendo.

“Eu estava brincando com Yabu que, quando ele estava na França, nunca foi de fazer um monte de comemorações, mas na China, depois de cada arremesso ou enterrada, ele faz uma dança ou uma celebração diferente.”

Nascido em uma família de imigrantes da República Democrática do Congo, Yabusele cresceu treinando com seu pai, um pugilista profissional que veio para a França com apenas 20 anos.

Para Guerschon, que tem duas irmãs mais velhas e dois irmãos mais novos, seus primeiros anos se passaram dentro do boxe e do futebol até que ele atingiu a idade de 7 anos.

“Eu já era uma criança grande”, disse Yabusele. “Eu estava jogando futebol com meu pai, e um dia, ele me disse, ‘Você está ficando grande, bem acima da média. Você poderia tentar jogar basquete, e acho que vai gostar. Então, a partir desse momento, comecei a treinar basquete. ”

Yabusele está atualmente se recuperando de um tornozelo torcido nos playoffs da CBA. Ele vai ficar na França por algum tempo antes de voltar à Boston, onde ele irá passar por uma avaliação sobre a lesão com os médicos da equipe, e ficar com o Maine Red Claws da D-League (liga de desenvolvimento da NBA) para o resto da temporada.

“Isso vai ajudá-lo a aprender um pouco sobre o nosso sistema e se preparar para a próxima Summer League”, disse Austin Ainge.

De acordo com a projeção do especialista Kevin Pelton da ESPN, dados os números de Yabusele na liga chinesa desta temporada, ele deverá ter uma média de 13,7 pontos, 7,9 rebotes e 2,1 assistências por 36 minutos na NBA.

“Eu diria que a chave para seu desenvolvimento provavelmente reside em melhorar nos rebotes defensivos”, disse Pelton. “Sua porcentagem de rebote defensivo é de 16,9%, número que está abaixo da média para a posição de ala-pivô (18,4%), mas seu alto percentual de finalizar jogadas, a capacidade de arremessar da longa distância e seus números de tocos, são todos encorajadores para o torcedor celta”.

Ao discutir o desempenho de estrangeiros na CBA, o especialista argumenta que suas estatísticas impressionantes devem ser vistas com cautela, e aponta a falta de competitividade da liga como justificativa.

Mas Ainge, que observou Yabusele de perto durante a temporada e falou com ele pelo menos uma vez por semana, gostou do que viu no jovem francês.

“A CBA não é a melhor liga do mundo, mas tem jogadores estrangeiros muito bons”, disse Ainge. “Os bigs estrangeiros que Guerschon enfrentou por exemplo, incluíam jogadores de alto nível.”

Yabusele disse: “É importante lembrar que, em cada liga, você pode encontrar pessoas que jogam defesa e pessoas que não jogam. Acredito que a CBA é uma liga boa. As pessoas dizem que por aqui não se joga defesa e coisas assim, mas pense nisso – se você tem alguns jogadores que podem jogar em alto nível nesta liga, eles também podem fazer isso em outro lugar. Eles são bons, independente da liga. É como quando você via alguém marcando Kobe Bryant e ele ainda sim marcava muitos pontos, isso não significa necessariamente que a defesa foi ruim. Eu realmente acredito que muitos jogadores aqui na CBA podem fazer a mesma coisa em outras ligas onde há, definitivamente, defesa.”

Por agora, o Celtics se mostra otimista em seu retorno à NBA.

“Ele fez um monte de amigos em um curto espaço de tempo na última Summer League, e os nossos treinadores e jogadores gostaram muito dele.” Ainge disse. “Nós estamos otimistas, esperamos que ele esteja conosco no próximo ano e nos ajude”.

 

Author avatar
Bruno Penna
Nascido e criado no Rio de Janeiro, é formado em Administração e apaixonado por esportes. Começou a se interessar por basquete em 2005 ao assistir um monstro chamado Kevin Garnett em quadra. Se apaixonou pela história do Boston Celtics e desde então dividiu o fanatismo que antes era ocupado só com o Botafogo.

6 comentários

  1. Francisco Machado

    Depois da esperança q tive no Young e no Mickey, esse eu passo…….

  2. drakes

    Eu estou curioso o que o celtics irá fazer nesse fim de temporada, por que tem muita gente para as 15 vagas. Quanto ao Yabu, não me entusiasma.

  3. PHABIO PASSOS

    BEM, SEI QUE CELTICS, DEVE FAZER NEGOCIO, COM YOUNG, ZELLER, MICKEY, JACKSON , JOHONSON,ESTAO CERTO PRA NEGOCIAR
    GREEN E JONAS, YAKU, VAI DEPENDE DA NEGOCIAÇAO QUE TIVER
    POIS
    2017/2018
    THOMAS, BRADLEY, HARFORD, OLYNYK,SMART,ROZIER,BROWN, CROWDE( CASO NAO ENTRE NEGOCIAÇAO, ELS 50/50 PRA FICA E SAIR), TEM ZIZIC E CALOURO DO NETS E O NADER QUE PODE ENTRA NO ELENCO..
    SE TIVER CERTO, DEVE ISSO , QUE VAI ACONTECER

  4. Eduardo Rocha

    Quanto ao elenco do ano que vem, acredito que Young, Jerebko, e o Johnson se não aceitar receber bem menos, vão ser desligados do time. O Zeller ainda tem um bom salario para ser trocado, então pode ser que o Ainge o segure até a tradedeadline do ano que vem, ou não, nunca se sabe quanto ao Ainge. Mas eu ouvi um podcast da CSNNE onde o Austin Ainge é o convidado, e ele fala a respeito do Zizic e do Yabusele, e a maneira como ele descreve ele (Yabu) é realmente de se criar expectativas. Já o Zizic me parece que vai ser utilizado logo de cara. Nos resta aguardar.

  5. Maurício Green

    Um prospecto q tem todas as características físicas necessárias p ser jogador de NBA, até sobra o cara é um armário e se mexe muito bem. Sua presença no elenco vai depender muito dos caminhos que vamos tomar e das negociações que vão sair na pôs temporada. Além disso ele vai precisar provar qualidades técnicas na Summer e no Camp. Não te fácil de ficar entre os 15 da temporada q vem não. Acho que ele se enquadra na categoria de “jogador associado” do no CBA, pode ser que passe a temporada que vem em Maine. Só o futuro dirá, muito difícil de prever.

Postar comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.