Visite nossas Redes Sociais
Curta e siga nossas redes para ter acesso a conteúdos exclusivos, além de manter-se sempre atualizado sobre novos artigos no site.

Pistons 81 x 91 Celtics

Mais do que manter a vantagem na primeira colocação da Conferência Leste, o Boston Celtics entrou na quadra da Little Caesars Arena, na noite deste domingo (10), para resolver uma questão incômoda com o Detroit Pistons. No dia 27 de novembro, a franquia de Michigan impôs ao time verde e branco uma rara derrota na temporada 2017/2018 da NBA, dentro do TD Garden e anotando 118 pontos, pior marca defensiva dos celtas na competição. Menos de um mês depois, o Celtics se vingou com estilo: em seu primeiro jogo na nova Little Caesars Arena, a equipe de Massachusetts esbanjou seriedade, anulou o Pistons e venceu por 91 a 81. Foi o menor número de pontos sofridos por Boston em uma partida nesta edição da liga.

Criticado pela atuação apagada na derrota para o San Antonio Spurs, o pivô Al Horford voltou a jogar bem diante do Detroit Pistons e encerrou a partida como cestinha do Boston Celtics, com 18 pontos. Além disso, o pivô dominicano ficou bem perto de um triplo-duplo, com nove rebotes e seis assistências. Líder ofensivo do Celtics, o armador Kyrie Irving teve uma partida discreta, mas contribuiu com 16 pontos, três rebotes e três assistências. O ala Jaylen Brown e o armador Marcus Smart, que começou o jogo no banco de reservas, contribuíram com 12 pontos cada, enquanto o pivô Aron Baynes, responsável pela marcação sobre Andre Drummond, pegou 13 rebotes.

Com Andre Drummond anulado por Aron Baynes e contribuindo com apenas seis pontos, o ala-pivô Tobias Harris chamou a responsabilidade pelo Detroit Pistons e fez 19 pontos, mas não foi o suficiente para impedir a derrota dos donos da casa. O veterano ala-pivô Anthony Tolliver, que começou o jogo no banco de reservas, anotou 15 pontos e pegou três rebotes. Já o ex-celta Avery Bradley, por sua vez, fez 12 pontos.

O Boston Celtics chegou a 23 vitórias em 28 compromissos, tem aproveitamento de 82,1% e está isolado na primeira colocação da Conferência Leste, com quatro jogos de vantagem para o vice-líder Toronto Raptors. Já o Detroit Pistons, que sofreu a sexta derrota consecutiva, ocupa a sétima posição do Leste, com 14 vitórias em 26 duelos e 53,8% de aproveitamento.

Depois de vencer o Detroit Pistons, a equipe do Boston Celtics volta a atuar já na noite desta segunda-feira (11), às 23h (horário de Brasília), quando encara o Chicago Bulls no United Center. O Pistons, por sua vez, entra em quadra novamente nesta terça-feira (12), quando encara o Denver Nuggets na Little Caesars Arena.

Destaques do Pistons

Tobias Harris (19 pontos e oito rebotes)

Anthony Tolliver (15 pontos e três rebotes)

Avery Bradley (12 pontos e dois rebotes)

Destaques do Celtics

Al Horford (18 pontos, nove rebotes e seis assistências)

Kyrie Irving (16 pontos, três rebotes e três assistências)

Marcus Smart (12 pontos e três assistências)

Jaylen Brown (12 pontos e três rebotes)

Author avatar
Gustavo Arruda
Gustavo, 28 anos, é maranhense de São Luís, jornalista formado pela UFMA e repórter do Imirante.com. Fanático por esportes, principalmente futebol e basquete, é torcedor celta desde 2003, quando ouviu pela primeira vez o TD Garden lotado entoando "Let's go, Celtics!", e escreve no Celtics Brasil desde julho de 2011, com mais de 1.700 textos publicados. Nas horas vagas, é goleiro, armador, tio do João Gabriel e da Alice, e também dá seus pitacos sobre o maior campeão da NBA no Twitter: @gustavoarruda01.

7 comentários

  1. Marcelo Signori

    O mesmo golpe não funciona duas vezes contra Brad Stevens

  2. Bruno

    Então, cade o Drummond muito melhor que o Horford? rs
    Não da pra confiar em jogador que mais parece eclipse, só aparece uma vez de tempos em tempos…

    Agora sobre o jogo, passamos muito mais sufoco do que deveríamos. Começamos muito bem mas parece que o time está mais inconstante do que no começo da temporada. Acredito que vai ser assim até o final, Brad está fazendo muitos testes e até esse time engrenar vai demorar mais um pouco. Cada vitória é importante pros jogadores se sentirem confiantes.

    Com o Cavs subindo de produção, começamos a ser mais realistas com nossos objetivos nos Playoffs, sem essa de que já ganhamos a conferência, temos muitos defeitos ainda

    • Beto Castro

      Cara, sem críticas ao seu comentário, mas é engraçado como estamos exigentes

      Temos um time formado dois meses atrás, perdemos uma estrela no primeiro jogo, estamos dando muitos minutos a Jayson e Jaylen, colocando na rotação jogadores contratados a preço de banana (theis, baynes, ojeleye, larkin)…

      E mesmo assim temos a melhor campanha da liga. E mesmo assim achamos que o time ainda não engrenou…

      Brown e Tatum certamente vão continuar melhorando, a química de Irving com os companheiros vai aumentar… Fico me perguntando se estamos muito longe do teto deste time

      • Fernando Silva

        Beto, compartilho da sua opinião.

        Assino embaixo.

        Sobre o teto, no momento creio que chegamos nele.

        Porém Brown e Tatum melhoram a cada dia. É um processo quase invisível que vamos perceber a longo prazo.

        Mas a cada erro, cada derrota e correção, ambos amadurecem.

        O Tatum foi certamente a melhor escolha do draft. A equipe do Celtics está de parabéns pela opção e foi muito inteligente na condução da seleção.

        Acho até que as adversidades serão muito importantes para ambos.

      • Bruno

        Fala Beto, não estou sendo exigente, apenas realista. Da mesma forma que vc citou a química, eu disse sobre os testes do Stevens e como o tempo está a nosso favor. Só não podemos ficar de salto alto, pois, como você disse, se estamos longe do teto é pq tem muita coisa para acontecer ainda. Abraco

    • Marco Ferreira

      Do mesmo jeito que defendi o Horford quando criticaram comparando com o Drummond, tenho que fazer o mesmo com o pivo problema de Detroid.

      Não é por que o cara foi mal em um jogo que ele também não tem potencial, é um grande jogador e pode dizer que um All Star fácil, a diferença é que temos um treinador fora do comum que muda seu jeito de jogar conforme a necessidade…

      Pois bem, deu super certo!

      Let’s Go Celtic’s…

    • Tem que manter isso viu?…

      Falando sério, foi o Baynes que segurou o Drummond, não o Horford =S
      Mais créditos para o Brad, mesmo mantendo o Rozier em quadra ontem.

      []s verdes

Postar comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.