Visite nossas Redes Sociais
Curta e siga nossas redes para ter acesso a conteúdos exclusivos, além de manter-se sempre atualizado sobre novos artigos no site.

Pré-temporada 2016: Celtics 120 x 99 Nets

De volta ao TD Garden após cinco partidas de pré-temporada em outros ginásios, o Boston Celtics queria mostrar aos seus torcedores, na noite de segunda-feira (17), que está no caminho certo para fazer uma boa campanha na edição 2016/2017 da NBA. Diante do Brooklyn Nets, adversário derrotado em um amistoso eletrizante na última quinta-feira (13), o Alviverde poupou os seus titulares, sofreu um pouco no terceiro quarto, mas foi dominante em boa parte do confronto e venceu por 120 a 99, proporcionando o primeiro “Gino Time” nesta temporada. A partida também marcou a estreia de Jaylen Brown e Al Horford na arena celta.

Contra o Brooklyn Nets, o técnico Brad Stevens não utilizou os principais atletas do Boston Celtics por muito tempo, até por ser um jogo de pré-temporada, mas dois titulares ficaram entre os maiores pontuadores: o armador Isaiah Thomas, recuperado de uma pequena lesão no pulso esquerdo, acertou todos os seis arremessos que tentou e encerrou o jogo com 19 pontos em apenas 15 minutos, enquanto o ala Jae Crowder contribuiu com 11 pontos. Al Horford atuou apenas no primeiro quarto e fez cinco pontos.

Na rotação do Celtics, destaque para mais uma ótima atuação do ala calouro Jaylen Brown, que mostrou um pouco de nervosismo durante a sua estreia no TD Garden, mas fez 12 pontos em 20 minutos. O armador Terry Rozier, um dos grandes nomes da pré-temporada, anotou 10 pontos, mesma marca do ala-armador James Young. Principal concorrente de Young pela última vaga no elenco celta, R. J. Hunter marcou seis pontos.

Surpresa do técnico Kenny Atkinson no quinteto titular do Brooklyn Nets, o ala-armador Sean Kilpatrick foi o cestinha de sua equipe, com 15 pontos, enquanto o armador Jeremy Lin, principal contratação alvinegra para 2016/2017, fez 13 pontos. Entre os reservas, destaque para os 12 pontos do ala croata Bojan Bogdanovic.

Com cinco vitórias em seis jogos, o Boston Celtics encerra a sua pré-temporada nesta quarta-feira (19), às 21h30 (horário de Brasília), quando recebe o New York Knicks no TD Garden. O duelo contra o rival nova-iorquino terá transmissão da ESPN. Já o Brooklyn Nets, que perdeu quatro dos cinco amistosos que disputou, também fará o seu último amistoso contra o Knicks, nesta quinta-feira (20), no Barclays Center. Celtics e Nets voltam a se enfrentar na próxima quarta-feira (26), às 21h30, no TD Garden, já pela temporada 2016/2017 da NBA.

Destaques do Celtics

Isaiah Thomas (19 pontos e uma roubada de bola)

Jaylen Brown (12 pontos, uma assistência e uma roubada de bola)

Jae Crowder (11 pontos e cinco rebotes)

Destaques do Nets

Sean Kilpatrick (15 pontos e três rebotes)

Jeremy Lin (13 pontos e cinco assistências)

Bojan Bogdanovic (12 pontos, dois rebotes e duas assistências)

Author avatar
Gustavo Arruda
Gustavo, 28 anos, é maranhense de São Luís, jornalista formado pela UFMA e repórter do Imirante.com. Fanático por esportes, principalmente futebol e basquete, é torcedor celta desde 2003, quando ouviu pela primeira vez o TD Garden lotado entoando "Let's go, Celtics!", e escreve no Celtics Brasil desde julho de 2011, com mais de 1.700 textos publicados. Nas horas vagas, é goleiro, armador, tio do João Gabriel e da Alice, e também dá seus pitacos sobre o maior campeão da NBA no Twitter: @gustavoarruda01.

11 comentários

  1. Renato

    Thomas 19 pontos em 15 minutos, não preciso comentar mais nada, agora os outros destaques foram Young e Hunter, a briga esquentou e despertou o desejo de sobrevivência, foram destaques na terceira unidade contra a segunda unidade dos Nets. Nosso elenco está muito forte para temporada.

    • David Pessoa

      Acho que o ideal é trancar esses dois em um quartinho com uma foice dentro, quem sair do quarto permanece no time. Acho que eu manteria o RJ Hunter, por defender um pouco melhor que o Young, sem falar que ainda acho que esse garoto tenha um potencial absurdo como arremessador e ainda pode corresponder com a expectativa. Ainda sonho com o Hunter se transformando em um khris middleton da vida.

  2. Sander

    Alguma coisa me diz que Hunter e Young vão ficar.

  3. Fernando C Silva

    Sander, eu não aposto pipoca no Young, mas tenho pressentimento que ambos ficam. ACHO que o DA vai ter paciência com o Young, a depender do parecer do Stevens.

    • Sander

      Fernando, vejo uns pontos que os favorecem. As vezes viajo nas minhas idéias. Kkkkkk

      1 O projeto proposto pelo Ainge, tem muito mais a ver com paciência. Ele espera até o fim, não queima etapas;

      2 Tanto o Hunter como o Young tem potencial, ambos são novos e, pode serque foi plano do Stevens colocá-los em extrema pressão para ver se eles respondem;

      3 Não tem sentido manter o Zeller no time tendo o Mickey. O cara não tem mais o que evoluir e, o que ele apresentou não acrescenta em nada. E temos o Mickey, está muito próximo dele, tem muito mais teto para crescer e é muito mais barato;

      4 O Ainge é muito orgulhoso para dispensar uma escolha de draft, oriunda do projeto montado por ele.

      Muitos podem ser contra, pois, gostam do Zeller e tal, mas eu não o acho tão útil assim.

      É só achismo meu.

      • Zeller só está no elenco até hoje exatamente porque o Mickey não mostrou NADA com a camisa do Celtics, só com a do Maine.

        Na Summer League o Mickey foi fácil um dos piores jogadores. Uma decepção total.

        Daí veio pra essa pré temporada e parece que não mudou nada.
        Lento, sem vontade, sem pegar rebote, recompondo com lentidão….

        Inclusive se a dispensa se baseasse nas apresentações desse amistoso, é ele quem seria cortado…rs

        Com relação ao Zeller, ele SEMPRE começa a temporada ruim e depois vai evoluindo. Foi assim nos times que passou e tmb foi assim nos dois anos dele em Boston.

      • Mauricio Green

        Sander o Zeller ganhou um contrato de 8 mi. Ele é “moeda de troca” para equiparar cap eum um possível trade na temporada. Etambém mesmo eu não gostando e o Brad tentando lineups sem ele o cara vai ser nosso pivo reserva no inico da temporada. Em trades eles só pode ser envolvido em dezembro.

        Para ficarem Young e Hunter:
        1- Trade envolvendo Mike, Green Jakson, Bentil….
        2- Cortar o Jakson
        3 Cortar o Green

  4. Sander

    Eu tenho uma certa implicância com o Zeller. Não consigo ver basquete no cara.

  5. Mauricio Green

    Podiam botar times “de verdade” nessa pre-temporada. Ta muito fácil de mais , meio chato isso!!!
    Pq não pegamos ning do Oeste? Charlote vai lá um joguinho.. Phli, NY e BK são fracos de mais…. Nossos titulares passeiam (gastam mais energia no banco pilhando a garotada em quadra do que jogando), nosso segundo time páreo a páreo (ganhando) com primeiro time deles e o nosso terceiro time da baile no segundo time deles .

    Só fico com medo de começarmos meio lentos a temporada… ha mais pegamos os BK de novo.

    • Henrique

      Por alguns motivos.
      Primeiro que o foco do time é treinar, recuperar a forma física e o tempo de jogo, além de introduzir os novos jogadores no esquema do Stevens. Se você vai pro Oeste, a viagem é muito longa (o desgaste também) e você perde tempo em que poderia estar treinando. Vamos lembrar que a temporada são 82 jogos, então a hora de absorver conceitos táticos e se preparar fisicamente é agora!!!
      Além disso, esses jogos são cruciais para o teste e definição do elenco pro resto da temporada. Tanto que os principais jogadores jogaram menos de 15, 20 minutos. Do que adianta pegar um Golden State com seu time reserva? seu potencial de avaliação vai ser fortemente comprometido.

  6. Mauricio Green

    Henrique entendo seu ponto, mas não concordo.

    Não vejo problema de uma viagem ao oeste e 2 jogos em 1 semana, tem tempo de treinar e descansar. Mediríamos nossos titulares por 15 minutos contra os tilulares de times diferentes e mais fortes.
    Ou Pq não Cavs ou Toronto?

    Para mim deveria ser um mix de times, de sistemas, de níveis etc. Só assim realmente poderíamos nos medir e corrigir para realmente começar voando.

    Lembro que ano passado começamos 7-7. Na minha visão, pq pegamos times fracos na Europa e nos USA e não foi identificado que com Lee e Zeller não dava p ir a lugar algum.

    Abs

Postar comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *