Visite nossas Redes Sociais
Curta e siga nossas redes para ter acesso a conteúdos exclusivos, além de manter-se sempre atualizado sobre novos artigos no site.

Rockets 95 x 111 Celtics

Quando os torcedores do Boston Celtics olharam a tabela da temporada 2015/2016 da NBA, foi difícil não lamentar a sequência de jogos nos dias 15 e 16 de novembro. Afinal de contas, o Alviverde enfrentaria duas franquias dominantes na Conferência Oeste, teria a missão de parar dois dos maiores pontuadores da liga, fora de casa, tendo pouco tempo de descanso entre um confronto e outro, ao mesmo tempo em que tentava se organizar e subir na tabela da Conferência Leste. Diante desse cenário, nem o mais otimista dos celtas acreditaria que o desfecho seria tão favorável: na noite desta segunda-feira (16), no Toyota Center, o Celtics colocou o coração de campeão na ponta dos dedos e venceu o Houston Rockets por 111 a 95, poucas horas depois de ter passado pelo Oklahoma City Thunder.

Apesar da excelente produção do ataque, a vitória do Boston Celtics foi construída graças a uma característica dos grandes times da história da franquia: a forte defesa. Diante do Rockets, o Alviverde venceu a batalha dos rebotes (49 a 46) e conseguiu 16 roubadas de bola, cinco delas através do armador Marcus Smart, que não repetiu o bom desempenho ofensivo que teve contra o Thunder (marcou apenas quatro pontos), mas comandou a defesa celta. No terceiro período de jogo, o Celtics limitou o Rockets a apenas 13 pontos.

Com a defesa celta funcionando, restou ao armador Isaiah Thomas, principal pontuador da equipe na temporada, fazer o seu papel. Com nove acertos em 12 arremessos, sendo quatro deles em lances de longa distância, o camisa 4 encerrou o jogo no Texas com 23 pontos. Mesmo começando o jogo entre os reservas, o ala-armador Avery Bradley mostrou que está plenamente recuperado e contribuiu com 21 pontos. O ala Jae Crowder, que também teve participação decisiva na defesa, fez 16 pontos.

O Houston Rockets, por sua vez, sentiu a forte marcação sobre o ala-armador James Harden. Acostumado a ser o destaque de sua franquia, o Barba não teve sossego no duelo contra Smart e anotou apenas 16 pontos. O cestinha dos donos da casa foi o ala Trevor Ariza, que registrou 19 pontos e foi o destaque solitário de sua equipe, ajudando também na defesa. O pivô Dwight Howard até pegou 12 rebotes, mas fez apenas cinco pontos.

Com a vitória em Houston, a terceira seguida e a quinta nos últimos seis jogos, o Boston Celtics se consolidou na zona de classificação para os playoffs da Conferência Leste. Com um aproveitamento de 60%, a franquia de Massachusetts ocupa o sexto lugar. O Houston Rockets, com sete derrotas em 11 partidas, é o 11º colocado da Conferência Oeste.

O Boston Celtics volta a enfrentar uma equipe da Conferência Oeste nesta quarta-feira (18), mas desta vez o duelo será no TD Garden, em Boston. O próximo oponente do Alviverde será o Dallas Mavericks, às 22h30 (horário de Brasília). Também na sexta, o Houston Rockets recebe o Portland Trail Blazers, no Toyota Center.

O jogo

Embalado pela grande vitória sobre o Oklahoma City Thunder, o Boston Celtics impôs seu ritmo nos primeiros minutos de jogo e rapidamente abriu uma diferença de seis pontos. O Houston Rockets, que contava com o apoio da torcida, reagiu rápido: com Harden e Ariza combinando cinco arremessos certeiros de três pontos, a franquia texana assumiu a liderança no placar. Corey Brewer, também de longa distância, foi o responsável por fechar a vitória do Rockets no primeiro período: 28 a 24.

Nos primeiros minutos do segundo período, o Rockets continuou dominante, enquanto o Celtics, que parecia sentir o cansaço da última jornada, sofria para segurar os ataques adversários: enquanto David Lee e Tyler Zeller se revezavam no garrafão, a franquia de Houston abriu 15 pontos de vantagem. Com o retorno de todo o quinteto titular, a história começou a mudar a favor do Boston Celtics, que forçou vários erros do ataque do Rockets, marcou 15 pontos nos últimos três minutos e virou o jogo. Trevor Ariza, porém, salvou a sua franquia e deixou tudo igual antes do intervalo.

Na volta do intervalo, James Harden tentou mostrar que ele e o Rockets estavam vivos no jogo, com um acerto de longa distância, mas o Celtics já tinha encontrado o caminho para a vitória: dominante nos rebotes, roubando bolas importantes, com contra-ataques rápidos e Thomas brilhando nos arremessos, o Alviverde criou sérios problemas para Houston. Nos minutos finais, o Celtics emplacou uma sequência de 15 pontos, seis deles em arremessos longos de Avery Bradley, e disparou na liderança do jogo.

Diante de um atônito Rockets, o Celtics continuou fazendo o seu papel no último quarto, com destaque para os sete pontos de Avery Bradley em pouco mais de três minutos. Depois de abrir 29 pontos para Houston, enfim o Alviverde tirou o pé e colocou a formação reserva, que contou com a presença dos calouros Terry Rozier e R. J. Hunter. Os donos da casa, comandados por Terrence Jones, ainda esboçaram uma reação nos últimos minutos, mas já era tarde para impedir mais uma vitória maiúscula do Boston Celtics no Oeste.

Destaques do Rockets

Trevor Ariza (19 pontos e nove rebotes)

James Harden (16 pontos e quatro assistências)

Terrence Jones (15 pontos e oito rebotes)

Destaques do Celtics

Isaiah Thomas (23 pontos e seis assistências)

Avery Bradley (21 pontos e duas assistências)

Jae Crowder (16 pontos e três rebotes)

Author avatar
Gustavo Arruda
Gustavo, 28 anos, é maranhense de São Luís, jornalista formado pela UFMA e repórter do Imirante.com. Fanático por esportes, principalmente futebol e basquete, é torcedor celta desde 2003, quando ouviu pela primeira vez o TD Garden lotado entoando "Let's go, Celtics!", e escreve no Celtics Brasil desde julho de 2011, com mais de 1.700 textos publicados. Nas horas vagas, é goleiro, armador, tio do João Gabriel e da Alice, e também dá seus pitacos sobre o maior campeão da NBA no Twitter: @gustavoarruda01.

14 comentários

  1. Walisson

    O melhor de tudo nem é a reconstrução em si, É a reconstrução com um time com a nossa cara: aguerrido e com defesa forte!

  2. Jota

    Que baita vitória.

    Como os americanos sempre dizem: “ataques ganhamo jogos, mas defesa ganham campeonatos!”. Não dá nem para explicar o quanto a defesa jogou. Até comentei no twitter que é impressionante como os times obrigam as trocas defensivas (Com screens) e mesmo assim, quase todo mundo consegue marcar mais de 1 posição. Teve horas de troca que o Crowder marcava os armadores, por exemplo.

    Teve outros momentos, até, que a rotação deixava o time sem um armador de ofício, mesmo tendo 3 (Thomas, Rozier e Smart). É impressionante o que o Stevens vem fazendo na rotação do time. Time extremamente aplicado, no ataque e na defesa. Todo muito ciente do que tem que fazer, ninguém fica inventando. O Bradley, que queimava 300 bolas por jogo, fazendo uma seleção horrível de arremesso, veja a diferença dele agora. Só catch and shot ou off screen e off drible. Sensacional MESMO o trabalho do Stevens.

    Smart não teve um jogo como o contra o OKC. Fez apenas 4 pontos, cometeu 5 TO e fez 4 faltas. Mas teve um +/- de +30 (MAIS 30). O maior do time e do jogo inteiro. James Harden teve -27, Ty Lawson -12 e o Jason Terry – 19. Só para ter uma ideia do impacto defensivo dele e do Bradley. Porém, o time inteiro tá aplicado defensivamente. Até o Thomas marcou bem ontem. Sullinger também jogou bem de C, em um duelo bom de ver contra o Howard.

    Baita vitória contra 2 contenders do Oeste. Realmente estamos mostrando a nossa força, sem precisa lotar o time de veteranos. Era disso que eu tinha medo e não aconteceu.

  3. Renato

    Antes do início da temporada fiz uma previsão de que o Celtics ficaria em 5º lugar na conferência leste com aproximadamente 50 Vitórias.

    A lógica foi a seguinte, a cada 10 Jogos o time teria que ganhar 6 Jogos, e venceria as 2 últimas partidas , ou seja, 82 jogos 6 vitórias x 8 sequências de 10 jogos = 48 + 2 = 50 vitórias

    A primeira sequência de 10 jogos era uma das mais difíceis, logo imaginei que seria aceitável 5 Vitórias e 5 derrotas, mas fechamos em 6-4

    A Segunda sequência de 10 jogos era mais fácil, e imaginei 7-3 para comensar a primeira, mas como fizemos 6-4 na primeira, agora a meta seria 6-4, o resto é lucro, vamos analisar os jogos:

    11/18/15 10:30 PM vs DAL – – TD Garden (Vitória)
    11/20/15 10:30 PM vs BKN – – TD Garden (Vitória)
    11/22/15 9:00 PM En BKN – – Barclays Center (Vitória)
    11/24/15 11:00 PM En ATL – – Philips Arena (Difícil)
    11/25/15 10:30 PM vs PHI – – TD Garden (Vitória)
    11/27/15 10:30 PM vs WAS – – TD Garden (Difícil)
    11/29/15 9:00 PM En ORL – – Amway Center (Difícil)
    11/30/15 10:30 PM En MIA – – AmericanAirlines Arena (Derrota)
    12/4/15 1:00 AM En SAC – – Mexico City Arena (Vitória)
    12/5/15 11:30 PM En SAS – – AT&T Center (Derrota)

    Ou seja,

    No meu entendimento 5 vitórias são garantidas , 2 derrotas bem prováveis e 3 jogos são uma incógnita.

    Se tudo correr bem acho possível sair dessa sequência de jogos com 7-3

    Rumo as 50 vitórias para quem sabe ter chance de mando de quadra nos playoffs.

    Go Celtics.

    • Sério que vc gastou tempo fazendo planejamentos de etapas de 10 jogos pra chegar a um palpite? hahahahaha

      Nem eu que sou viciado em estatísticas e projeções, fiz isso…hahahah
      😀

      • Renato

        Trabalho no setor financeiro, faz parte do meu dia a dia estatística e elaboração de planilhas de controle .

        Nesse caso é exemplo de planejamento operacional no item produto final esperado rs.

        Ta achando doentio, e se te disser que fiz até uma do Nets kkkkkkkkkkkkkk.

        Nas minhas projeções ganham de 2 a 3 jogos em cada 10, o que daria algo entre 16 e 25 vitórias, aí fica a torcida se for 16 jogos TOP 3 draft com certeza, se for 25 jogos TOP 8, se for no meio 20 jogos TOP 5.

    • Marcos

      Boa Renato!

      Jogos contra Mia, Sac e Atl podem terminar em vitórias lindas ou derrotas vexatórias.
      Contra o SAS, a derrota é certa e liquída.

      Com essas projeções estamos brigando pelo top-4 no Leste!

      []s verdes

  4. Luiz Eduardo

    O time se encontrou quando parou de jogar o jogo dos rockets, em chutar de.3 todda hora. É de da orgulho ver o time jogar assim, defesa forte é a cara da nossa franquia.

  5. Chiovato

    Renato essa projeção sua é bem interessante e não é equivocada em nenhum tópico! Gostei do modo que organizou e a ‘porcentagem’ de vitórias que almejou! Mas é lógico que tudo é projeção e mero palpite porque cada jogo é uma história e o calor da quadra as vezes varia o desempenho do time!
    Eu nessa projeção sua vejo com bons olhos 2 jogos e acho que o time pode ser seguro e obter a vitória, que são no TD vs WAS…vs MIA…vs ORL… o jogo vs MIA é muito difícil, mas os celtics sempre fazem grandes jogos e com a confiança que estão, creio que talvez haja surpresa…não significa que o Celtics vençam, só digo que estou otimista com o jogo…
    BKN creio em vitórias, mas esses 2 jogos em sequência sempre fico com o pé atrás em garantir algo…mas o celtics tem tudo pra vencer…curti a projeção e tomara que ao menos 6-4 que disse venha…seria ótimo!!! parabéns Renato…

    • Renato

      A idéia é fazer uma projeção realista

      Jogo contra o Wizards apesar de ser no TD Garden, eles vem mordido do vareio que tomaram para gente e tem uma equipe melhor técnicamente, ou seja, difícil.

      Jogo contra o Heat é o mais difícil de todos, eles tem um elenco muito melhor, jogam em casa, e tem um garrafão muito difícil de ser marcado, só se tudo der muito certo para gente ganhar, por isso derrota.

      Jogo contra o Magic, coloquei como difícil pq além do talento deles, o Vucevic dentro do garrafão tende a causar estrago, além deles estarem jogando em casa.

      Uma forma mais divertida de acompanhar a NBA, usando etapas, até para analisar desempenho e desgaste dos jogadores, ver quem rende e os períodos.

  6. Renato

    Nets FDP ganhou do Hawks com um TO ridículo do Millsap em um contra ataque faltando 1.6 segundos, o Young recebeu falta e converteu os lances livres.

    Agora seguindo as estatísticas, calculei 50 vitórias para ficar em quinto ou quarto lugar, fui olhar no nba brasil e após 10 jogos estamos em quinto lugar kkkkk matemática é genial mesmo.

  7. Daniel Emiliano

    Minha previsão ainda é entre 42 e 44 vitórias.
    Por mais que tenhamos começado muito bem, ainda prefiro não me iludir.
    Nosso elenco tem muitas opções e tal, mas ainda falta poderio ofensivo.

    A equipe tem jogado em uma intensidade absurda e eu creio que vai chegar uma hora em que vai bater uma fadiga, tmb…e daí vamos pegar uma ou duas semanas de maus resultados.

    No entanto, creio que no ultimo mês da temporada, estaremos melhor fisicamente que muitas equipes e isso pode render várias vitórias inesperadas, assim como foi no ano passado.

    • Renato

      Concordo com você essa intensidade da equipe assusta um pouco pela questão do desgaste físico, mas ainda sim vejo totais condições de alcançar 50 vitórias.

      Nosso elenco é muito homogêneo, logo temos uma vantagem em relação aos demais, o único que não pode se lesionar é o Thomas, pois não temos ninguém com sua característas.

  8. drakes

    A derrota para Celtics precipitou a queda do Kevin Mchale pelo GM Daryl Morey. Lawson parece-me que foi a razão, por que pelo que vi a defesa dele está terrível com isso já tendo um time que tem o Harden que não se esforça nesse setor…o time afundou.

Postar comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.