Rozier critica trabalho de Stevens, egoísmo de Irving e já fala em saída de Boston

Desde a eliminação do Boston Celtics nas semifinais da conferência Leste, ante o Milwaukee Bucks, Terry Rozier tem aparecido com bastante frequência na imprensa. E sempre com uma nova polêmica. Nos últimos dias, o jovem armador detalhou com riqueza de informações o que, em sua ótica, ocorrera de errado com o Celtics durante a temporada 2018/19, não poupando companheiros, comissão técnica ou direção da franquia.

Logo após o término do quinto jogo da semifinal do Leste, em que o Celtics foi derrotado pelo Bucks, selando a eliminação da equipe de Boston, Terry Rozier concedeu entrevista ao repórter Vincent Goodwill, do Yahoo Sports, onde esbravejou sobre os sacrifícios que fez durante a temporada.

“Eu não me importo de forma alguma com o que os outros dizem. Eu fui o que mais me sacrifiquei entre todos!”

No mesmo dia, o repórter Jay King, do The Athletic, divulgou uma outra fala do armador do Celtics, em que ele detalha o que irá buscar no próximo mercado de transferências da NBA. Rozier será agente livre restrito na próxima intertemporada, podendo receber ofertas de qualquer equipe que queira contar com seus serviços. No entanto, o Celtics tem o poder de igualar as ofertas recebidas pelo armador, mantendo o jogador em seu elenco.

“Estou buscando uma família, um elenco que me abrace como uma família e que invista em meu talento até o fim. Estarei longe de situações diferentes dessa”, disse Rozier, mostrando guardar mágoas do tratamento recebido no Celtics.

Só que foi na tarde da última terça-feira, 14 de maio, que veio a bomba. Neste dia, Rozier participou de dois programas de esportes da ESPN americana: o papo descontraído do Get Up e o bastante polêmico First Take, com Stephen A. Smith. Com tempo e instigado a falar, o armador aprofundou-se na crise do Celtics durante a última temporada e elencou culpados para o insucesso da equipe alviverde no ano.

Para começar, o armador citou como ele e os mais jovens do elenco, que vinham de atuações destacadas na pós-temporada, onde levaram o Celtics a uma final de conferência, lidaram com as grandes expectativas para a temporada. Em especial ele próprio, que foi quem mais perdeu terreno na rotação da equipe.

“Nós tínhamos grandes expectativas para esta temporada. Caras como eu, Jayson (Tatum), Jaylen (Brown) fizemos uma excelente pós-temporada ano passado. E creio que tentamos fazer a mesma coisa este ano. É difícil para qualquer um estar na posição em que estive. De ser titular em um jogo sete na final de conferência, para voltar a um papel menor e ter a temporada que tive esse ano. É difícil, cara. Qualquer um que estivesse na minha posição diria isso.”

“E já percebemos essa dificuldade nas primeiras cinco partidas da temporada. Nós não estávamos jogando da maneira que queríamos. Todos os nossos jogadores estavam tentando descobrir seus papeis e fazendo menos do que poderiam para ajudar o time a vencer.”

“Eu obviamente sacrifiquei bastante meu talento. Acho que não pude estar lá para dar meu estilo de jogo completo, da maneira como Terry Rozier joga. Eu sinto que não pude ser esta pessoa nesta temporada. Eu estava obviamente na sombra de alguns caras. A bola estava na mão de Kyrie (Irving) ou Gordon (Hayward) grande parte do tempo. Então, eu senti como se o Terry Rozier estivesse apenas em um canto ou, você sabe, apenas no banco.”

Além de citar os sacrifícios que ele e os demais tiveram que fazer ao longo da temporada, e a forma como o elenco era gerenciado, Rozier também fez questão de apontar erros cometidos pela comissão técnica: privilégios para certos jogadores, falta de entrosamento dos jogadores, estratégias mal definidas e outros diagnósticos do trabalho realizado por Brad Stevens e seu staff.

“Eu sinto que a maneira que os treinadores tratavam Gordon e Kyrie – não diria que eles eram tratados diferente dos demais – era como se estivessem em um nível que não havia ajustes que pudessem ser feitos, por eles serem quem são.”

“Nós tínhamos nossos cinco titulares e nossos cinco reservas. Então, quando íamos para os jogos, eu sentia que muitos caras eram misturados e não se conheciam. Não eram apenas os cinco titulares e os cinco reservas. O que falávamos nos treinos não era o que ocorria nos jogos.”

“Eu acho que nós até nos sentíamos bem sobre o que fazíamos nos treinos, em nossas discussões, nas sessões de vídeos. Mas então, toda vez que íamos para os jogos… eu não vou te dizer que não seguíamos o plano de jogo, mas era sempre tudo muito diferente. O que falávamos nos treinos não era o que acontecia durante os jogos. Era algo como, nós precisamos manter o Kyrie ali, com a bola, e colocar outros caras com ele e nos encaixar a isso.”

Sobre seu rival pela titularidade na armação do Celtics, Rozier foi ponderado. Ele elogiou a qualidade e liderança de Kyrie Irving, porém tratou de esclarecer como é difícil de lidar com o armador All-Star, por toda a centralização que era feita em torno do atleta. Ainda, conforme foi expressando suas opiniões sobre Irving, Rozier mostrou uma certa mágoa e descreveu um pouco da personalidade egocêntrica do jogador ex-Duke.

“Ele (Irving) é um cara legal. Um ótimo líder. Você apenas tem que se ajustar ao estilo dele. E é muito difícil. Tudo que o Kyrie quiser que seja feito, ele irá te mostrar. Você tem que se ajustar ao seu estilo de jogo e ao que ele te mostra todos os dias.”

“As coisas estavam boas antes de começarmos a temporada. Eu ainda tinha a mentalidade positiva de que iríamos fazer tudo funcionar. Mas desde aquele dia em que Kyrie anunciou na frente dos fãs que, se eles gostariam de tê-lo de volta na próxima temporada, ele voltaria, eu senti que as coisas mudaram bastante para mim. Comecei a notar a maneira como as pessoas me tratavam com suas atitudes diferentes e eu senti como se tivesse sido jogado no banco de trás. E eu tive que me ajustar a isso. Conversei com Brad (Stevens) muitas vezes. Falei com o pessoal diversas vezes. Mas sinto que não era nada que eles pudessem ajudar.”

Para finalizar, Rozier mais uma vez ponderou sobre seu futuro e deixou claro seu desejo de buscar novos ares.

“Estou procurando apenas jogar basquete. Não me importo para onde irei. Obviamente o Celtics é a única franquia que conheço há quatro anos. Eu adoro estar lá. Mas eu espero ter minha chance, seja no Celtics ou qualquer outro lugar. Eu procuro um lugar onde possa ser eu mesmo e jogar meu jogo. Mas se o time continuar da mesma forma, eu terei que sair.”

Publicidade

Fábio Malet
Fábio Malet
Gaúcho de Porto Alegre, bacharel em Ciência da Computação e engenheiro de softwares sênior. Apaixonado por esportes, tem o jornalismo como um hobby e pretende, futuramente, fazer pós-graduação na área. Acompanha NBA desde o começo de 2007 e, pé-quente, viu seu Boston Celtics ser campeão na primeira temporada inteira a que assistiu. Torce também para Grêmio, Tottenham Hotspur, Boston Red Sox, Green Bay Packers e Washington Capitals.

13 Comentários

  1. Publicidade

  2. Celso Cachali Jr disse:

    Menino esta chateado mesmo.
    Mas ele tem razão em muitas coisas que falou.
    Depois dos playoffs que fez nao deveriam ter sumido com ele, como fizeram ele teve um papel ridiculo no time, porem tambem nao fez nada para merecer neste temporada mais oportunidades.

    Mas é um cara que eu ainda apostaria se o Irving de fato for embora.

    12

    2
  3. Wendel disse:

    ” Era algo como, nós precisamos manter o Kyrie ali, com a bola, e colocar outros caras com ele e nos encaixar a isso. ”

    Concordo demais nessa parte.

    6

    0
  4. Bruno Costa Xavier disse:

    Resumindo ele achou que merecia mais , a comissão achou que não , ele fez biquinho e ao invés de demonstrar que merecia mais a cada minuto em quadra simplesmente jogou como vimos , NADA.

    9

    1
  5. Marcos Pastich disse:

    Foi bem esclarecedora essa entrevista de Rozier. Até agora, era óbvio que tinha algo errado mas eu não sabia exatamente o quê. Espero que o elenco e a comissão consigam aprender com essa temporada e não venha a cometer os mesmos erros na temporada que vem.

    11

    2
  6. Guilherme disse:

    Olha, ao meu ver é muito preferível alguém que dá uma entrevista equivocada mas ao mesmo tempo indignada como o Scary Terry do que o Kyrie, que parece que vive em outro planeta, dizendo que nao deve nada pra ninguém e deveria chutar mais bolas contra o bucks mesmo tendo aquelas atuações vergonhosas.

    O próprio dono da franquia disse que esse time do boston é um dos mais difíceis de gostar que ja tivemos, o que é verdade, foi a temporada mais decepcionante que eu ja vi de Boston, e o ano que menos tive vontade de assistir os jogos.

    Penso que a melhor saída é apostar no Rozier ou em outro pure PG (rubio tem interesse em vir pra boston) e deixar o Kyrie ir embora sem nada em troca, pois apesar de talentoso ele ja demonstrou nao ter o Celtics Pride, e pessoalmente acabar com a vontade de torcer pro Celtics…

    (e ja acompanhei alguma porcaria de time que tivemos…)

    Sdds

    9

    5
    • Sander disse:

      Falou bem mano!! O Irving jamais terá o Celtics Pride. Na próxima temporada insistiria com o Tatum e Brown de FP, pois já fizemos isso ano passado e deu muito certo. Com relação ao Rúbio, se ele vier por um preço justo, seria muito bom, pois defende bem e arma o time, coisa que o Irving nunca fez. Caso o Rúbio não venha, colocaria o GH de PG msm, e iria atrás de um big de respeito tipo o DMC.

      GH – Brown – Tatum – Horford – DMC
      Smart – Ojeleye – Hichimura – Morris – Bol Bol/Bruno Fernandes – R. Will seria unlm Time ruim??

      Rúbio – Brown – Tatum – Morris – Horford
      Smart – GH – Hichimura – Ojeleye – R. Will e etc.. também seria um time fraco??

      2

      3
  7. Sander disse:

    Nessa temporada o Rozier não foi nem sombra do que foi nos offs do ano passado. Mas ter um cara como o Irving de titular deve ser frustrante para eles os caras são quase da mesma idade e um é consagrado e cheio de vontades e o outro querendo o seu lugar ao sol. Acho que a frustração o inibiu, mas também não é desculpa, era para ele ser aquele jogador vibrante coisa que não foi.

    Espero que ele vá bem em uma nova franquia, e com a saída do Irving, será difícil achar um armador top sem ferrar o cap, então efetivados o GH como PG titular e nomearia o Tatum como arma principal. O Tatum também não ficou a vontade jogando com o Irving e depois do que fez nos offs passado, ele merece essa chá ce de ser o nosso FP, pois vimos que o garoto é diferenciado e não foge da responsabilidade. Brown e Tatum tem tudo para ser uma excelente dupla, acho que apostamos demais no Irving e deixamos os nossos verdadeiros melhores jogadores (Tatum e Brown) de lado.

    Para jogar nos Celtics não é só ser uma estrela assim como o Irving é. Mas é jogar com raça, não se omitir, brigar por cada posse de bola e vibrar com o sucesso dos companheiros, coisas que não vimos tão nítido no Irving.

    6

    1
  8. Marcos disse:

    Só vejo verdades.
    Um técnico que foi banana em não apontar um líder, não definir um time ou até mesmo esquema – Stevens.
    Um ex-jogador em atividade favorito do técnico que jogava 30m – Gordon.
    Um jogador estrela que achava que era Franchise player, mas nunca foi – Irving.

    Apesar disso, o Rozier complica o Ainge. Ninguém aie jogador bocaroto em troca por 1 ano.

    Att.,

    3

    7
  9. Fernando Silva disse:

    Concordo com quase todas as observações.

    1. Stevens fracassou nesta season e de forma retumbante. Seja porque não evitou mágoas entre os jogadores, seja porque tentou fazer rotações malucas para que todos tivessem tempo de quadra, seja porque não permitiu a disputa limpa pela posição entre KI e Rozier (aliás KI jogou nestes offs MUITO MENOS que Rozier no passado), enfim…

    2. KI foi uma liderança ruim, sem identificação com a franquia. Espero muito que saia.

    3. Nem Brown, nem Tatum, nem Rozier, nem GH jogaram bem com KI. Somente Morris e Smart conseguiram. AH manteve o nível, talvez um.degrau a menos.

    4. Trazer o Rubio para o lugar do KI não é tão ruim, o Conley também acho ok, e nada contra colocar GH na 1.

    5. É possível que Rozier fique e vire a página se KI deixar a equipe.

    6. Porém, Rozier, ao invés de fazer biquinho, sim deveria jogar muito quando entrasse. Não seria tão difícil sentar KI no banco na série contra os Bucks.

    7. Sim, jogamos como galinhas sem cabeça.

    8. Sim, muito jogos dos Celtics, não só contra os Bucks, mas toda a season, foram melancólicos.

    9. Se Rozier sair, ok. A princípio não o achei indelicado nas declarações. Porém, sim, lá está Rozier falando de assuntos internos pela imprensa. Parece que aprendeu com KI.

    5

    0
  10. Jean disse:

    É muito ego pra pouco basquete, fala fala fala mas não ta jogando nada, teve muitos minutos nessa temporada. J. Brown é outro totalmente instável, que só quer saber de mídia. Por mim manda Rozier, Brown, Tatum tudo no mesmo barco pra pegar jogadores como A.Davis.

    3

    5
  11. Robson disse:

    O cara nitidamente fez corpo mole por estar insatisfeito com seu papel. Não tem saída, tem que deixar ir embora. Renovar com ele seria premiar sua péssima atitude e falta de profissionalismo. O seu basquete (ou a falta dele) não justifica. Tchau querido!!

    0

    0
  12. Marchall disse:

    Engraçado que você defendia com unhas e dentes o BAD Stevens né, Marcos! kkkkkkkkkkkkkk.

    Eu falo desde o começo da temporada que a falta de um treinador cascudo foi a principal deficiência para esse elenco não ir mais longe, rs.

    Rozier, se você não está contente no Celtics vai tarde filho, chora na cama que é quentinho.

    Se demitir o BAD STEVENS já é um grande começo. Do resto é contratar jogadores renomados para dar suporte ao nosso time.

    •Marcus Morris
    •Jayson Tatum
    •Kyrie Irving (Se não ficar, vaza! Tem outros bons armadores e pontuadores na liga)
    •Al Horford (Salário diminuído)
    •Anthony Davis

    Com esse time e um coach maduro da pra brincar!

    0

    0
    • Marcos disse:

      Brad Stevens é um ótimo técnico, mas não consegue lidar com estrelas maiores que ele e mostrou um sinal péssimo essa tenporada ao misturar a vida pessoal com a profissional no caso do Hayward.
      O sistema de jogo que ele quis fazer tambem foi ridículo.

      Na minha opinião, se ficar Stevens deve sair o Irving e vice-versa.
      Entre os 2, acho que Brad seria minha escolha (por pouco), mas faria questão de remover o Gordon da influência do técnico.

      Abs verdes,

      1

      3

Deixe um comentário