Visite nossas Redes Sociais
Curta e siga nossas redes para ter acesso a conteúdos exclusivos, além de manter-se sempre atualizado sobre novos artigos no site.

Suns 99 x 102 Celtics

Em sua primeira de cinco partidas em viagem pela conferência oeste, o Celtics visitou o Suns, em Phoenix, na noite do último sábado, 26 de março. Na luta pela terceira colocação da conferência leste com Hawks, Heat e Hornets, e enfrentando a equipe de terceira pior campanha de toda a liga, o Celtics necessitava e tinha a obrigação de conquistar a vitória no confronto. E o triunfo veio, pelo placar de 102 a 99, mas com muito mais dificuldades do que se imaginava.

Com quatro desfalques para a partida (o armador titular Eric Bledsoe, fora da temporada com uma lesão no joelho, o pivô titular Tyson Chandler, com um problema nas costas, o ala-pivô titular Jon Leuer, com um problema estomacal, e o principal pontuador do banco, T.J. Warren, fora da temporada com uma lesão no pé), o treinador interino do Suns, o ex-armador Earl Watson, apostou em uma formação mais baixa, o famoso small lineup. Para isso, Watson alinhou três combo guard’s (Brandon Knight, Devin Booker e John Jenkins), um swingman (P.J. Tucker) e um pivô (Alex Len). Do lado do Celtics, o treinador Brad Stevens continua com o desfalque do ala Jae Crowder, com uma lesão no tornozelo, e, por isso, repetiu a formação utilizada nas três vitórias anteriores.

Por conta do small lineup adotado pelo Suns e da falta de êxito nos arremessos no início de partida, o Celtics jogou o primeiro quarto quase que completo atacando a cesta, abusando de infiltrações e jogadas dentro da área pintada. E essa tática acabou dando muito certo para a equipe de Boston, já que a equipe conseguiu muitos pontos fáceis em bandejas e também cavou muitas faltas em arremessos próximos à cesta, convertendo todos os lances livres cobrados a partir delas (11 de 11 nos lances livres no primeiro quarto). Com quatro minutos jogados, Alex Len e Devin Booker, dois dos melhores jogadores do Suns, já tinham saído de quadra, pendurados com duas faltas. Ainda por causa dessa formação de small ball e dos matchup’s mais baixos, a equipe do Celtics dominou os rebotes, com Turner, Thomas e Johnson acabando o primeiro quarto com quatro rebotes cada. E na defesa, Boston mais uma vez fez jus a uma das melhores defesas da temporada, marcando muito bem a equipe adversária e forçando-a a cometer seis turnover’s no quarto. E o quarto muito bem jogado pelo Celtics traduziu-se também no placar: vitória de 35 a 22 na primeira parcial.

No segundo quarto, o domínio ofensivo de Boston arrefeceu, muito por conta da saída de Isaiah Thomas, que jogara todos os 12 minutos do primeiro quarto. Outro fator a se ressaltar nessa queda de produção do ataque de Boston no segundo período é a mudança de postura na defesa do Phoenix Suns, que conseguiu forçar 4 turnover’s de Boston nos primeiros seis minutos do quarto. Já a defesa de Boston, continuou com ótima atuação, terminando o primeiro tempo com 14 turnover’s forçados. Colaborou com a defesa de Boston, o fato de Devin Booker, que está pegando fogo no mês de Março e é o principal jogador ofensivo do Suns (22,2 pontos por jogo em Março, 19ª maior marca da liga), ter cometido sua terceira falta muito cedo, fazendo com que jogasse apenas 11 minutos e fizesse só dois pontos no primeiro tempo inteiro. A vantagem no quarto foi de apenas quatro pontos, mas a equipe de Boston levou uma boa vantagem de 17 pontos pro vestiário, com uma vitória parcial de 58 a 41.

Voltando do intervalo, o ataque do Boston Celtics continuou impotente, cometendo muitos desperdícios de posse de bola e falhando muito nos arremessos. Nos seis primeiros minutos do terceiro quarto, o Celtics já havia cometido seis turnover’s. Apenas Isaiah Thomas salvou-se nesse quarto, tendo feito 15 dos 23 pontos da equipe no período e mantendo a equipe viva no jogo. Na defesa, a equipe de Boston foi surpreendida por uma formação mais clássica do Suns, saindo do small ball com a entrada do ala-pivô Mirza Teletovic no lugar do ala-armador John Jenkins. E ainda, Devin Booker livrou-se do problema com faltas e fez jus ao grande momento que vem vivendo no mês de Março: acabou o quarto com nove pontos, ajudando muito na vitória parcial de 34 a 23 do Suns no período, cortando a diferença do jogo para apenas seis pontos.

Boston começou muito bem o quarto derradeiro, com Olynyk e Jerebko vindo do banco para revitalizar o ataque e, junto de uma defesa mais forte e coesa – com Rozier e principalmente Smart como protagonistas dessa defesa – , a diferença subiu para dez pontos, com pouco mais de quatro minutos para o fim da partida. Mas a partir daí, o destaque do Suns, Devin Booker, assumiu a liderança do ataque do Suns e, participando ativamente de todas as ações da equipe, fez oito pontos, deu duas assistências e coletou dois rebotes, levando a diferença do jogo para apenas um ponto a favor de Boston, com 1’16” restantes para o fim da partida.

Após alternarem posses de bolas sem pontuação, Marcus Smart, com dois lances livres convertidos, aumentou a vantagem a favor de Boston para três pontos faltando apenas 21,1 segundos para o fim do período. Na jogada seguinte, Booker mais uma vez assumiu a responsabilidade pela equipe do Suns e cortou a diferença do placar novamente para um ponto, restando 15,5 segundos no relógio do jogo. Em seguida, Thomas converteu apenas um de seus dois lances livres cobrados, deixando a diferença em apenas dois pontos para a equipe de Boston. Desta forma, a equipe de Phoenix decidiu tentar empatar o jogo, com Devin Booker atacando a cesta e buscando pontuar em uma infiltração. Só que desta vez o calouro do Suns não teve êxito em sua jogada, sendo rejeitado pelo ala Evan Turner que pôs um ponto final numa suada vitória de 102 a 99 contra a equipe do estado do Arizona.

Após esta vitória sofrida, a equipe de Boston continua sua viagem pela parte ocidental dos Estados Unidos, quando visitará o Clippers, em Los Angeles, na próxima segunda-feira, dia 28 de março, às 23h30, horário de Brasília. Na mesma noite, o Phoenix Suns viaja até Minneapolis para visitar o Timberwolves, às 21h, também horário da capital brasileira.

Destaques da Partida

Boston Celtics
Isaiah Thomas: 28 pontos
Evan Turner: 17 pontos, 11 rebotes
Kelly Olynyk: 16 pontos

Phoenix Suns
Devin Booker: 21 pontos
Brandon Knight: 19 pontos
Mirza Teletovic: 17 pontos, nove rebotes

Melhores Momentos

Author avatar
Fábio Malet
Gaúcho de Porto Alegre, bacharel em Ciência da Computação e engenheiro de softwares sênior. Apaixonado por esportes, tem o jornalismo como um hobby e pretende, futuramente, fazer pós-graduação na área. Acompanha NBA desde o começo de 2007 e, pé-quente, viu seu Boston Celtics ser campeão na primeira temporada inteira a que assistiu. Torce também para Grêmio, Tottenham Hotspur, Boston Red Sox e Green Bay Packers.

1 comentário

  1. LucasOliveira

    Jogo inesperadamente duro… E apesar do domínio de garrafão apontado no resumo, nossos dois bigs titulares terminaram com 6 pontos (4 Sulli – 2 Amir), o que contra uma small lineup deveria ser mais fácil para eles.

    Me incomoda muito o fato do time não conseguir pontuar na ausência do Isaiah (neste período sem o Crowder), especialmente quando a rotação dele bate com a do Turner, aí ferrou.

Postar comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.