Visite nossas Redes Sociais
Curta e siga nossas redes para ter acesso a conteúdos exclusivos, além de manter-se sempre atualizado sobre novos artigos no site.

Celtics 100 x 95 Jazz

Qualquer torcedor do Boston Celtics, do mais recente ao mais experiente, sabe que a maioria das grandes vitórias da franquia verde e branca são conquistadas com muita dificuldade, atenção redobrada na defesa, espírito de luta até o último segundo e vibração nas cadeiras do TD Garden. No duelo de segunda-feira (29), esse roteiro foi obedecido em sua totalidade: diante do jovem e valente time do Utah Jazz, o Alviverde não conseguiu encaixar o seu jogo em boa parte do jogo, mas o espírito celta falou mais alto no último período e os comandados de Brad Stevens venceram por 100 a 95, para delírio da torcida em Boston.

Mostrando evolução a cada jogo, o ala Jae Crowder foi o cestinha do Boston Celtics na partida, com 22 pontos, e foi decisivo com um arremesso de três pontos a 35 segundos do fim, quando o Utah Jazz ainda liderava o placar. O armador Isaiah Thomas não teve uma grande atuação, mas contribuiu com 18 pontos e nove assistências, enquanto o ala-armador Avery Bradley, além de marcar os mesmos 18 pontos, garantiu a vitória com um toco espetacular no ala Gordon Hayward, já nos segundos finais da partida. Entre os reservas, o cestinha foi o pivô Tyler Zeller, com 10 pontos.

Pelo lado do Utah Jazz, destaque para a atuação de dois novatos da franquia: o ala-pivô calouro Trey Lyles saiu do banco de reservas para anotar um duplo-duplo, com 18 pontos e 10 rebotes, enquanto o armador Shelvin Mack, que foi contratado junto ao Atlanta Hawks na última Trade Deadline e tirou a titularidade do brasileiro Raul Neto, também fez 18 pontos. No garrafão, o pivô francês Rudy Gobert, com 12 pontos e 12 rebotes, e o ala-pivô Derrick Favors, com 11 pontos e 16 rebotes, encerraram o jogo com um duplo-duplo cada.

Com a terceira vitória seguida, o Boston Celtics chegou a 11 jogos consecutivos sem derrotas no TD Garden, melhorou o seu aproveitamento para 59% na temporada e abriu uma distância de dois jogos para o quarto colocado Miami Heat na Conferência Leste. O Utah Jazz, com 47,5% de aproveitamento, permanece na nona colocação da Conferência Oeste, fora da zona de classificação para os playoffs.

Boston Celtics e Utah Jazz voltam a jogar pela temporada 2015/2016 na noite desta quarta-feira (2): o Alviverde fará mais uma partida no TD Garden, desta vez contra o embalado Portland Trail Blazers, enquanto o Jazz visitará o Toronto Raptors, no Air Canada Centre.

Destaques do Celtics

Jae Crowder (22 pontos e quatro assistências)

Isaiah Thomas (18 pontos e nove assistências)

Avery Bradley (18 pontos e dois rebotes)

Tyler Zeller (10 pontos e seis rebotes)

Destaques do Jazz

Trey Lyles (18 pontos e 10 rebotes / duplo-duplo)

Shelvin Mack (18 pontos, dois rebotes e duas roubadas de bola)

Rudy Gobert (12 pontos e 12 rebotes / duplo-duplo)

Derrick Favors (11 pontos e 16 rebotes / duplo-duplo)

Author avatar
Gustavo Arruda
Gustavo, 28 anos, é maranhense de São Luís, jornalista formado pela UFMA e repórter do Imirante.com. Fanático por esportes, principalmente futebol e basquete, é torcedor celta desde 2003, quando ouviu pela primeira vez o TD Garden lotado entoando "Let's go, Celtics!", e escreve no Celtics Brasil desde julho de 2011, com mais de 1.700 textos publicados. Nas horas vagas, é goleiro, armador, tio do João Gabriel e da Alice, e também dá seus pitacos sobre o maior campeão da NBA no Twitter: @gustavoarruda01.

9 comentários

  1. Celso Cachali Jr

    Que jogo. Que time. Que treinador. O grupo e foda unidos até o último ali todos estão se ajudando… Volto a ter orgulho de ver o celtão da massa… Bradley deu um toco espetacular. Show de ver esse time guerreiro

  2. Pedro Leôncio

    Cadê os críticos do Bradley? Sumiram

    • David Pessoa

      A alguns jogos atrás,Mickey em 2 minutos fez 2 pontos e deu 2 tocos.Em 7 minutos ele fez 3 pontos,pegou 3 rebotes e deu 2 tocos.Esse muleque é impressionante,merece mais minutos.

    • O que? Não to vendo nada demais, Bradley recebendo o que joga.
      Não nego que é a melhor temporada da vida dele.
      Mas, o mérito das vitórias é pelo estilo de jogo coletivo.
      O único ali que sabe jogar sozinho é o Thomas e isso não mudou.

      Jordan Mickey precisa ganhar massa, mas vem pra completar muito bem a defesa desse time.
      Finalmente um shot blocker consistente, ao que parece.

      []s verdes

      • Lucas Oliveira

        Se por jogar sozinho você quer dizer criar a jogadas do inicio ao fim, podendo infiltrar, arremessar ou passar para alguém livre, eu incluiria o Turner (mesmo que em um nível menor do que o IT) nessa também.

  3. Paulo Sérgio

    Avery Bradley! Que homem.
    Agora o que o nosso treinador faz é espetacular.

  4. Lucas Oliveira

    Bradley sempre causa sentimentos exagerados na galera. Ao mesmo tempo que muitos criticam sem fundamento, também há um exagero quando ele acerta.

    Eu mesmo elogiei ele aqui no site pelo brilhante bloqueio, ainda durante a partida. Mas não vamos nos esquecer que depois disso, se não fosse graças ao Amir, que salvou o arremesso livre errado do proprio Bradley o Jazz teria o shot clock, a 2 pontos atrás e com um pedido de tempo restando para montar a jogada.

    Bradley é importantíssimo para fazer o jogo coletivo do Celtics fluir, por forçar turnovers graças a tremenda pressão que ele impõe na defesa (esse tipo de coisa não aparece nos números) e por ser um dos jogadores que não se esconde nos momentos difíceis. Mas como o Marcos colocou, para um shoting guard, ainda falta desenvolver mais o individual ofensivo (especialmente infiltrações).

  5. Danilo Marques

    O que me impressiona no AB é sua frieza,onde muitos jogadores se escondem em sempre tem aquele arremesso pra matar o jogo…tem sangue no olho…tem muitas limitações mais ele passou a ser um dos meus jogadores favoritos do Celtics…

Postar comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.