Visite nossas Redes Sociais
Curta e siga nossas redes para ter acesso a conteúdos exclusivos, além de manter-se sempre atualizado sobre novos artigos no site.

Celtics 109 x 104 Raptors

Quando o jogo entre Celtics e Raptors acabou, o relógio quase passava das 2 horas da madrugada, no horário de Brasília. Hoje, quando você acordou, devia estar se sentindo sonolento, pelas poucas horas dormidas, mas também com a sensação de que valeu a pena brigar com o sono. E como valeu!

Ontem, assistimos a um dos jogos mais importantes do Celtics nos últimos tempos. Para começo de conversa, essa partida valia não apenas a liderança da Divisão do Atlântico, como também a segunda colocação do Leste. As equipes chegaram desfalcadas de seus alas-armadores titulares: Avery Bradley (Celtics) e DeMar DeRozan (Raptors).

Na última partida entre as equipes, disputada em 11.01.2017, a história do confronto foi a supremacia celta pela maior parte do jogo, mas com a equipe de Boston perdendo fôlego no quarto final e permitindo a virada dos canadenses, que saíram de quadra com a vitória, por 114 x 106.

Ontem, o roteiro foi semelhante, mas com personagens invertidos e final diferente e feliz. Para os celtas.

O Raptors, capitaneado pelo all-star Kyle Lowry, deu a impressão que conquistaria a terceira vitória (em três jogos) sobre o Celtics, em 2016/2017. Isaiah Thomas fazia o que podia para recolocar o Celtics na partida. Durante um pedido de tempo de Stevens, o camisa 4 alertou a seus companheiros que o adversário estava em um back-to-back e que a partida valia a segunda posição da conferência. Além das palavras, Thomas tentou liderar pelo exemplo e fez essa cesta ao término do primeiro quarto:

Enquanto a equipe de Toronto dificilmente cometia erros no ataque, o Celtics se viu pouco inspirado e, pouco antes do intervalo, Isaiah Thomas era o único celta com mais de uma cesta de quadra. Para ilustrarmos o péssimo momento da equipe, naquela altura do jogo, Al Horford chegou a ficar 1/9 nos arremessos.

No segundo tempo, embora o Celtics tenha apresentado uma ligeira melhora, com Smart no lugar do Brown e Jerebko entrando no decorrer do terceiro período, o Raptors soube manter a vantagem e chegou a estar na frente por incríveis 18 pontos. O TD Garden estava atônito e triste.

Momentos antes de entrarmos para os doze minutos derradeiros, o Celtics conseguiu ir cortando, aos poucos, a diferença no placar e a deixou em apenas um dígito (8 pontos).

A torcida começava a voltar para o jogo, mas, ainda receosa, sentia falta de dois detalhes para ser um legítimo jogo do Celtics. A primeira, era um lance que lhe incendiasse de vez, algo típico de Boston, como uma jogada ríspida ou de raça. E essa jogada foi proporcionada por Jaylen Brown.

O calouro, mostrando, mais uma vez, sua personalidade, subiu alto demais e preparou-se para uma enterrada monumental, mas sofreu falta de Kylw Lowry, enquanto estava no ar. O camisa 7 do Celtics não gostou do comportamento do camisa 7 do Raptors e as equipes discutiram em quadra. Pronto, o Celtics ficou com sangue nos olhos e sua torcida abraçou a causa. Tinha virado questão de honra a vitória.

Faltava o segundo detalhe, algo que está se tornando habitual nos jogos do Celtics em 2016/2017. Faltava aparecer o Rei do 4° quarto. E ele atendeu ao pedido.

Com 19 pontos de Isaiah Thomas no quarto final, o Celtics assumiu a liderança, pela primeira vez na partida, já nos minutos finais do confronto. O Raptors, valente, não desistiu e os times ficaram trocando cestas e lideranças no placar até o minuto final. Thomas, então, mais uma vez, chamou a responsabilidade e acertou uma belíssima bola de três pontos, deixando Boston a um passo da vitória, com o placar de 103 x 101.

No fim, Marcus Smart comprovou, mais uma vez, que quem analisa apenas boxscore, pode ter uma visão equivocada da partida. O camisa 36 não encheu os olhos da tocida por grandes números individuais, mas, fez aquilo que sabe de melhor: fez jogadas vencedoras. Forçou uma bola presa no garrafão do Raptors, a 14 segundos do fim. Em seguida, ganhou a disputa da bola ao alto e possibilitou que o Celtics respirasse aliviado.

Foi um legítimo jogo de playoffs para o Celtics. A vitória nos garantiu a permanência na segunda colocação da conferência, aproximou Brad Stevens de treinar o Leste no All-Star Game, mas, acima de tudo, nos deu confiança.

A semana emocionante continua na sexta-feira, quando recebemos ninguém mais, ninguém menos, que nosso maior rival, o Los Angeles Lakers. Nesse dia, teremos o 3° Encontro do Celtics Brasil. Para maiores detalhes, leia essa matéria.

O Raptors, por sua vez, sofreu a sétima derrota nos últimos nove jogos disputados e voltará às quadras amanhã, quando viaja para Orlando, onde enfrentará o Magic.

Destaques do Celtics:

  • Isaiah Thomas: 44 pontos (12/22 FG e 15-16 FT’s), 7 assistências e 4 rebotes;
  • Jae Crowder: 14 pontos (5/13 FG) e 8 rebotes;
  • Marcus Smart: 10 pontos (4/11 FG), 5 rebotes e 5 assistências.

Destaques do Raptors:

  • Kyle Lowry: 32 pontos (12/20 FG) e 5 assistências;
  • Jared Sullinger: 13 pontos (5/8 FG) e 6 rebotes;
  • Norman Powell: 12 pontos (6/9 FG) e 5 rebotes.

Melhores Momentos:

https://www.youtube.com/watch?v=1XuS1Yhm_VQ

Author avatar
Rômulo Portugal
Rômulo é carioca, advogado, e fã de futebol, NBA e NFL. Acompanha o Celtics desde 2003. Seu fanatismo pelo maior campeão da NBA o fez torcer para os demais times de Boston. Como bom carioca, é Vascaíno. Tem Paul Pierce como primeiro e grande ídolo na NBA.

16 comentários

  1. Barros

    Suns e Kings estão discutindo uma possível trade envolvendo o Cousins, se o Celtics não entrar no meio, eu vou em Boston atrás do Ainge, abandona Butler, abandona Carmelo e Ibaka. Oq precisávamos é de um jogador como o Cousins!!!

    • Paulo Sérgio

      A diferença é que o Cousins quer ir pro Suns, pra jogar com o Bledsoe. Isso conta muito.

    • Marco Ferreira

      Com Cousins na equipe o Celtic’s não é só candidato, mas sim entra como favorito na conferencia Leste e teria força para lutar por esse título da NBA junto ao Golden!

      Imagina que perfeição, ganharmos do Golden na final no jogo 6 (Assim esse último jogo seria no TD Garden) e zuamos muito o Durant por nos rejeitar alegando que queria ser campeão da NBA!

      Se o Cousins estiver disponivel, pede para o nosso Big Man (IT) dar uma ligadinha para ele!

    • Barros

      Dezenove dislike num comentário realista desse? Desisto dessa torcida nova celta que está chegando, ruma de doente!

      • Lucas Oliveira

        Eu ia dizer para não dar bola para like e dislike até porque eu já notei que tem gente que dá vários likes para si mesmo em comentários polêmicos, por exemplo. Então os vários dislikes podem ser de poucas pessoas apertando o botão várias vezes.

        Mas daí para chamar a galera de doente é passar um pouquinho dá linha né brother?

  2. CELTA

    ABRE O OLHO RUSS E HARDEN, QUE O MVP CHEGOU!!!!!

  3. Luiz Eduardo

    Eu acho que faltou uma menção ao Zeller, que ajudou e muito mudar a partida. Pegou rebote, coisa que Amir não vinha fazendo, deu passes, meteu dunk, enfim, foi muito importante no momento de retomada da partida.

  4. Rodney Oliveira

    último jogo entre as 2 franquias comentei q foi um dos mais frustrantes exatamente pq foi o inverso do jogo de ontem!
    AB tem q estar 100% nos playoffs pq vai ser pedreira.

  5. Alex Shima

    Cadê o Jota? Ele fazia uns comentários bem legais aqui… Sumiu.

  6. drakes

    Chris Forsberg
    ESPN Staff Writer

    Isaiah Thomas is the East’s Player of the Month for January. Thomas is first Celtics player to win award since Paul Pierce in March 2012. Thomas is only the fourth player in team history to earn the award (Pierce, Walker, Bird). It’s only the 13th time that a Boston player has earned honor since 1979.

  7. Fernando C Silva

    Pessoal, agora viramos a princesa da festa. Vai chover proposta para DA.

    Alguns atletas importantes, a exemplo do Carmelo, nos identificam como a equipe que precisa de um detalhe (algo que comentamos faz tempo).

    O momento é de tranquilidade para promover a acerto correto.

    Muitos passos importantes foram dados e temos uma estrutura pronta para receber um reforço de impacto, o que nos leva a disputa direta pela conferência (e dependendo do reforço talvez possamos medir potencial com GSW).

    Mas, os passos dados pela administração celta (incluindo nosso coach) não foram fáceis, não foram imunes às críticas e dúvidas.

    Por isso temos que valorizar nosso atual momento, manter a calma e rejeitar as propostas ruins.

    Certamente NY e Bulls querem muitos ativos pelos seus melhores préstimos.

    Se a pedida for alta demais, esperemos o momento certo.

    Não seremos um novo Nets! Nada de vender o futuro pelo presente!

  8. Lucas Oliveira

    “The Milwaukee Bucks traded forward Miles Plumlee to the Charlotte Hornets on Thursday for big men Spencer Hawes and Roy Hibbert.”

    Primeiro indício de que o mercado está aquecendo… Não sei o que essa troca implica no caso Monroe.

  9. Barros

    Eu não acredito que o Hornets aceitou um contrato de 50 milhões até 2020 do Plumlee.

  10. Barros

    Galera, TJ Warren + Alex Len + 2picks de 1st Round pelo Cousins. Pelo amor de Deus Ainge, nos podemos oferecer uma pick 2018 + bons role players pra ter o Cousins no nosso elenco e bater de frente com qualquer time da liga. Mas parece que o Cousins está disposto mesmo pra jogar ao lado do Bledsoe né.

Postar comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.