Visite nossas Redes Sociais
Curta e siga nossas redes para ter acesso a conteúdos exclusivos, além de manter-se sempre atualizado sobre novos artigos no site.

Celtics 119 x 124 Warriors

Foi bonito, foi intenso, foi enervante…mas a vitória nos escapou. O sonho de quebrar a maior invencibilidade da história da liga passou por nossas mãos algumas vezes na partida de ontem. Hoje cedo acordei para ver os highlights do jogo só pra conferir se algum dos três game-winners que tivemos não havia caído. Em um dos melhores jogos no Garden nos últimos anos, e um dos melhores que já vi como torcedor, o Celtics lutou até o final da segunda prorrogação e só não se mostrou capaz de matar o jogo. Uma pena, pois jogamos um excelente basquete. Foram muitos pontos positivos durante a partida. A defesa foi sufocante o jogo inteiro. Marcamos o MPV da liga com destreza na maior parte do tempo. No ataque, fomos um time organizado e que conseguiu impor um ritmo tão alucinante quanto o ataque de Golden State.

Primeiro Tempo 

Os primeiros minutos de partida foram realmente empolgantes. Com uma marcação impecável em cima de Stephen Curry, o ala armador Avery Bradley chegou à forçar uma air ball (arremesso que não chega nem a encostar no aro) do MVP, cena raríssima do craque adversário. Na tábua ofensiva, Bradley ainda explodiu para 15 pontos e manteve o Celtics no placar que terminou 26 x 25 para o Warriors.

No segundo quarto, Amir que vinha neutralizando a maioria das tentativas de Draymond Green foi para o banco com 3 faltas. Os reservas vieram ao jogo e o ritmo defensivo diminuiu. Turner, Young e Olynyk tiveram dificuldades para segurar a dinâmica de jogo da equipe da Califórnia e Green começou a dominar o jogo. Sem Klay Thompson e Harrison Barnes, Draymond mostrou que é um dos jogadores mais versáteis da liga e fez de tudo um pouco, auxiliando seu time à chegar ao vestiário com 4 pontos de vantagem.

Segundo Tempo 

A volta do intervalo não foi das melhores para o treinador Brad Stevens e seus comandados. Golden State chegou a abrir 9 pontos à frente, e outras figuras além de Green começaram a ajudar Stephen Curry para seguir invicto: os árbitros. Com diversas decisões no mínimo duvidosas, os homens do apito carregaram o elenco celta com faltas, o que prejudicava demais a marcação de Boston. A equipe da casa também sofreu com a incapacidade de obter lances livres; os poucos que eram marcados, estavam sendo desperdiçados e isso viria a ser um dos fatores determinantes no final do jogo. Com 7 pontos atrás do placar, o Celtics (que era observado por Danny Ainge) enxergava no quarto período sua última chance de quebrar a sequência adversária e conquistar a 3ª vitória seguida na competição.

Se aproximando do final da partida, o Celtics começou a crescer e conseguiu uma sequência de 23 a 7 para fazer 86 a 83 com 8m53 restantes no relógio. Turner e Olynyk apareciam muito bem, inclusive na defesa, com direito à dois tocos de Evan pra cima de Curry. Uma vantagem de 5 pontos foi conquistada após bola de 3 de Thomas, e a torcida no TD Garden veio abaixo: o sonho parecia se concretizar. Mas no momento chave, com apenas 46 segundos pro fim, Curry apareceu pra fazer sua mágica e converter uma bola de 3 mesmo com a marcação em cima. Thomas conseguiu uma bandeja no lance seguinte e o jogo estava empatado. O Celtics teve a bola do jogo, 17 segundos para trabalhar uma jogada, e tempo pra pedir. Mas nem Isaiah Thomas nem Brad Stevens conseguiram esforço suficiente para liquidar a partida e despachar o melhor time da NBA. O chute de Thomas, da linha de 3 mesmo com Boston precisando apenas de um único ponto, fora bloqueado por Shaun Livingston.

Prorrogação

Na primeira prorrogação, logo no início Bradley cometeu sua sexta falta e foi excluído da partida; mesmo assim os times alternaram a liderança no marcador por algumas vezes, mas vale ressaltar que coisas incríveis estavam acontecendo e tudo indicava que a vitória queria ir para o lado verde da quadra: Curry estava errando seus arremessos, cometendo turnovers bobos como pisar na linha da quadra com a posse de bola. Do outro lado, Olynyk incorporou Dirk Nowitzky combinado com Ray Allen e convertia fade-aways, bolas de 3 e tudo o que você conseguir imaginar. Mais uma vez o Celtics se encontrou na posição de decidir a partida no lance final, e para o azar de Boston, essa realmente não era a noite de Thomas. O armador não conseguiu por dois minutos sequer ser uma ameaça ofensiva e contribuir para a organização das jogadas. Ficou claro que Boston ainda carece de um All-Star decisivo (Olá Kevin Durant) para quem recorrer em momentos importantes. Com o placar igualado novamente em 110×110, foi necessário a segunda prorrogação.

A partir daí, Curry, Iguodala e Green apareceriam para abrir uma vantagem de 5 pontos, uma que eles não deixariam mais escapar. Como Stephen Curry é um jogador de videogame, ele não erra lances livres e terminou com 14 convertidos em 14 tentativas, apesar de ter sido segurado para apenas 9-27 FG, um aproveitamento de 33,3% que seria sua pior marca da temporada. Em uma bola de 3 da zona morta, Crowder que estava bem marcado ainda teve a chance de empatar o placar e forçar mais um Overtime. Infelizmente, a bola não entrou.

Box Score

Captura de tela 2015-12-12 10.20.22

Highlights 

https://www.youtube.com/watch?v=hWny55YCQug

Com a derrota a franquia de Massachussets soma um recorde de 13 vitórias e 10 derrotas e volta à quadra na noite deste sábado para enfrentar o Charlotte Hornets em confronto importantíssimo dentro da Conferência Leste. NÃO PAREM DE ACREDITAR!

Author avatar
Bruno Penna
Nascido e criado no Rio de Janeiro, é formado em Administração e apaixonado por esportes. Começou a se interessar por basquete em 2005 ao assistir um monstro chamado Kevin Garnett em quadra. Se apaixonou pela história do Boston Celtics e desde então dividiu o fanatismo que antes era ocupado só com o Botafogo.

17 comentários

  1. Eduardo Rocha

    :/ vi o jogo inteiro… O time perdeu muito lance livre, isso preponderante para a derrota, mas se não bastasse, infelizmente percebemos que o Thomas não é o AllStar que estamos cantando. Infelizmente, mas podemos tirar coisas boas desse jogo, e tudo bem que eles estavam desfalcados, mas mostramos pra eles que não é fácil bater no maior campeão da liga. E nunca vai ser.

    • Mas por conta de UM jogo não é All Star?
      Concordo que o Anão cagou e sentou em cima no jogo todo , ontem, mas todo jogador tem seu dia ruim (menos o Curry…rs)

      O Thomas é um cara que sempre jogou em times perdedores e desorganizados. Ele está entrando nessa cultura vencedora agora, e assumiu um posto de primeiro scorer de um time vencedor.

      Claro que ele vai sentir o baque em alguns momentos.
      Não vou me precipitar e joga-lo no ralo, por conta de um jogo ruim.

      Nosso homem de decisão é o Bradley…todos sabemos. Mas ontem a juizada fez o desserviço para o basquete de tira-lo de quadra nos momentos chaves.

      Fomos privados de ver o confronto Bradley x Curry nos momentos decisivos, o que foi uma bosta!

  2. Arnaudo Paiva

    Hoje não vejo um técnico na liga melhor do que o Brad Stevens. Não há.

    • Desculpa aí, mas o Gregg Pop é melhor que todos os outros técnicos somados, incluindo o Brad.
      O Budenholzer e o Kerr estão um pouquinho acima e depois acho que é o Stevens mesmo.

      Voltando para o jogo:
      Cara, mt chateado pela derrota, chato ver que só dedicação e vontade não adiantam, as vezes só o TALENTO pode vencer. A evolução do time é gritante com relação ao ano passado. Só resta parabenizar o Brad, Crowder e o Bradley que carregou o piano na defesa e no ataque e vem calando a minha boca.

      Agora é partir para cima do Lebronha e torcer para o Smart voltar logo,

      Let’s go CELTICS!

      []s verdes

  3. Patrick Tavares Gomes

    O I.T pode até ser ou será algum dia all-star, mas de uma coisa tenho certeza, clutch, definitivamente ele não é! Que estupidez no final do 4º período. 17s para trabalhar a bola, estávamos precisando de um pontinho e o cara vai e tenta uma bola de 3, como se o seu percentual de 3 fosse altíssimo (3P% = 33,8%) para ter tanta confiança e muito menos neste jogo que foi apenas de 25%, então faltou bom senso, e muito, você não é clutch IT, passasse a bola para outro Kelly.O seria minha escolha!

    • Clutch ele não é mesmo…e muito por conta de FALTA DE QI.
      Thomas é tecnicamente acima da média, mas nunca foi um primor na hora de tomar boas decisões..kkk…

      Os jogadores mais inteligentes do Celtics são Turner, Olynyk e Lee.
      Esses caras tem que estar presentes na hora de uma decisão de jogada…de preferencia para usarem suas inteligencias e qualidades no passe, para encontrar alguém em condições de finalizar, de preferencia o Bradley.

      Crowder e o próprio Thomas, são boas opções também para concluir o lance, mas a jogada NÃO PODE iniciar na mão deles. Eles tem que receber a bola apenas na hora de definir.

  4. Matheus

    Ontem a hora que abriu 5 pontos no fim achei que ia ganhar, acho que foi o jogo que mais me deixou nervoso nos últimos anos, mas gostaria de destacar aqui a péssima arbitragem, os caras tiveram praticamente o dobro de lance-livre, Mas ainda assim acho que perdemos pra nós mesmos, se queremos ganhar do atual campeão não podemos ter um jogo com 9-16 no lance livre, cometemos TO em momentos decisivos, o Draymond jogou acho que o último quarto e os dois OT com 5 faltas, acho que deveríamos ter ido pra cima dele e tirar ele do jogo e com o Smart jogando acho que o resultado seria outro.

  5. Fernando C. da Silva

    Fiquei feliz pelo desempenho. Fiquei feliz pelo empenho, pelo talento, por tudo que o time pode mostrar. O resultado não foi o que queríamos (e até merecíamos) por conta de decisões erradas na jogada de definição. Isso vai mudar e a jogada seria diferente se o AB estivesse em quadra. Vale a pena treinar algumas jogadas de segurança para definir o game. Uma infiltração teria nos dado a vitória.

  6. Acho que foi um ótimo jogo ,e na minha opinião , temos que olhar o lado bom que teve vários mas também os lados ruins ,acho que o lado bom é a organização e raça tanto ofensiva quanto defensiva do celtics , mais a parte negativa é que ficou mais claro que necessitamos de um all-star para ganhar jogos , um durant , um paul George entre outros , acredito que se tivéssemos esse fator teríamos vencido o GSW , com essa organização e essa inteligência tática imposta pelo ótimo treinador brad stevens que na minha opinião será num futuro próximo o melhor treinador da liga,o boston celtics será o melhor time da liga novamente ☘

  7. Renato

    Estou muito feliz!!! O jogo de ontêm me provou que o Celtics é hoje uma equipeTOP 10 da liga, e falta as cerejas do bola para ser contender.

    A gente enquanto torcedor espera resultados, mas quando se está em reconstrução o resultado é o de menos, o que importa é fazer as coisas certas, evoluir jogadores, desenvolver uma cultura vencedora e estabelecer um plano de jogo.

    Dá gosto de ver a evolução de Bradley, Crowder, Thomas, Young e principalmente Olynyk.

    O cabelereira jogou como gente grande ontêm, tem suas limitações defensivas, mas evoluiu nesse sentido, e no ataque seu potencial aflorou por completo, vai contribuir e muito com o Celtics se continuar assim.

    Bradley manteve sua defesa de elite, mas hoje virou também um atirador de primeira categoria e sua seleção de arremessos está bem melhor.

    O time tá pronto taticamente, falta inserir qualidade técnica e em especial força de garrafão.

  8. Fernando C. da Silva

    Pelo que tem demonstrado no ataque, e considerando o esforço (e a ajuda do Stevens) na defesa, temos que falar do KO. Pensando no que ele é capaz no ataque, poderia ter definido no jogo no final do tempo regular.

  9. Fernando C. da Silva

    Se falta ao IT a bola de definição, vamos entregar na mão do Cabeleira e ver o que acontece.

  10. Renato

    Nós não temos um definidor, na minha opinião é justamente o que falta o Franchise Player o cara para chamar a responsabilidade.

    Na ausência de um jogador assim, vejo Turner como a melhor opção pq tem bom arremesso de média distância e habilidade para infiltrar se necessário, depois dele vejo o Bradley que é o que tem mais personalidade, mas não confio em suas infiltrações e o Thomas que é o de mais talento, mas não é um cara de decisão

    • Fernando C. da Silva

      Concordo. Mas, considerando que não temos quem defina o game e que o Cabeleira tem sido importante no ataque e, ao menos ontem, vibrante, eu tentaria trabalhar ao menos 3 jogadas de finalização com ele. Pelo menos fica a opção.

  11. Ranieri

    Olá Guys vamos lá
    Eu assisti o jogo é foi um jogaço de primeira linha, e creio que algumas coisas tem que ser analisadas primeiro GSW estava desfalcados de dois titulares, então se concentrou em Curry e Green oq na teoria facilita a marcação, oq não acho que é o caso por se tratar de um time campeão e completo, ontem talvez tenha sido o jogo em que mais sentimos falta do Smart por ser necessário dividir um pouco a marcação em cima do Curry, acabamos perdendo o AB.
    Algumas coisa ficaram claras e que me fizeram mudar meu pensamento de antes do inicio da temporada:
    AB tá em franca evolução melhora a cada ano, tem um bom contrato para o time não acho mais que deva ser negociado independente de qual negocio.
    KO: Ofensivamente é um monstro e vem se mantendo regular mesmo vindo do banco, e sua melhora defensiva é evidente, fora principalmente ontem parou de ser aquele jogador soft e se tornou um cara com vibração e brigador(pra alegria do KG kkkkkk)
    IT: ótimo jogador, o pontuador do time, mas não tem decisão, e na minha opinião não pode ser um all star, por faltar duas coisas que deveriam ser obrigação de um all star: QI e poder de decisão.
    JS7: melhorou bastante fisicamente hj ja pode ser considerado um atleta mas só ele pra defender os big man da liga não dá, ontem ficou claro que ele é o único do time que consegue marcar aqueles 5, ontem quando ele não estava em quadra Bogut e Ezeli fizeram a festa, Amir e KO ate conseguiram segurar o Green algumas vezes mas eles não são pra marcar centers.
    Turner e Jae: São ótimos role players, pra compor elenco são ótimos, turner fazendo as vezes de armador e confundindo a marcação e sendo talvez o único do elenco a fazer infiltrações junto com IT embora que ontem ele fez poucas, Jae compõe talvez a melhor defesa do perímetro mas não é o 3 dos sonhos e pra mim seja nos dias de hj a posição mais importante em termos de decisão. mas somos celtas e sonhamos, Kevin Durant ou Ben Simmons esperamos por vcs!!!
    e pra finalizar duas coisas:
    primeiro surpresa o James Young entrando com personalidade chutando e fazendo pontos surpreendendo ate aos narradores americanos foi um bom alento pra o futuro por mais que o caminho ainda seja muito longo pra ele mas eu ainda acredito
    e pra finalizar por mais que hj venha sendo contestado ate mesmo fisicamente Demarcus Cousins ainda é o meu sonho pra essa temporada é a primeira das duas cerejas que faltam

    mas vamos continuar na torcida e na espera pelo salto de nível dos celtas
    Let’s Go Celtics Let’s Go

    p.s. espero que tenham paciência pra ler td, kkkkkk

  12. drakes

    AB quase entrega a rapadura, o ponto final do turner foi lindo o reverse que ele deu com falta…por sinal, o único lance livre desperdiçado no jogo.

    Por sinal, time bem cansado, errou muito os tres pontos no começo, e depois 9-25, acho que começou com 1×10…

    celtics continua o rei do back-back

  13. Fhelype Furlani

    Assisti só primeiro tempo, vendo aquele aproveitamento ruim pensei que íamos perder, uhashuas.

Postar comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.