Jogo 3 – Celtics 116 x 123 Bucks

Na noite desta sexta-feira (03), em sua volta ao TD Garden nos playoffs após 4 jogos na estrada, o Boston Celtics foi derrotado merecidamente pelo Milwaukee Bucks, por 123×116, perdendo o mando de quadra que havia roubado no jogo 1, em Wisconsin. Mais uma vez, a incompetência da equipe celta no 3º quarto foi determinante para o revés sofrido. A discrepância na atuação das duas franquias após a segunda metade do jogo, assim como no jogo 2 desta série, foi evidente, gerando mais uma vitória incontestável dos visitantes.

Resumindo o jogo, tivemos um certo equilíbrio entre Boston e Milwaukee no primeiro tempo de jogo. No 1º quarto, o pivô Al Horford mostrou novamente sua excelência no setor defensivo, em que, como já esperava, teve muito trabalho. O período também foi marcado pelas oscilações das duas equipes, que se alternavam em runs, e com uma arrancada puxada por Kyrie Irving, o Celtics terminou vencendo por 30×25.

No segundo quarto, a oscilação entre as duas equipes permaneceu incrustada no duelo. Muitos erros voltaram a acontecer entre os times, mas que tinham, no Bucks, um Giannis Antetokounmpo indomável, indo várias vezes à linha de lance livre e um Pat Connaughton que surgiu bem do banco de reservas para atender as necessidades defensivas do Bucks naquele momento e que, de quebra, ainda conseguiu pontuar. Do nosso lado, tínhamos um Jaylen Brown que apareceu com highlights defensivos e ofensivos, e que mantiveram Boston no jogo. Este quarto se encerrou com um bom momento do Bucks, diminuindo a vantagem do Celtics para apenas 1 ponto (chegou a ser de 12), terminado assim em 56×55.

Foi no terceiro quarto que as maiores dificuldades apareceram no caminho celta. Os mandantes continuaram a errar muito, e começaram a forçar ainda mais bolas desnecessárias do perímetro. Enquanto isso, do outro lado, com George Hill inspirado vindo do banco, Antetokounmpo continuando a incomodar demais na zona pintada e o restante do time titular conseguindo pontuar bem, Milwaukee sobrou mais uma vez após o intervalo, fazendo 40 pontos no período e abrindo boa vantagem: 95×87.

Por fim, no último quarto, os comandados de Mike Budenholzer continuaram amassando o afobado Boston Celtics, chegando até a abrir 17 pontos de frente. Nos 4 minutos finais, Boston até conseguiu reduzir a larga vantagem, criando uma certa esperança em seu torcedor, mas não teve jeito. O Milwaukee Bucks vira a série para 2×1 e dá um passo a mais para chegar à final da conferência do Leste.

Venceu quem conseguiu ser mais coletivo em quadra. Se fôssemos considerar apenas os bancários, o Bucks venceria por 42×16. Um verdadeiro massacre. Enquanto de um lado, havia os já citados Connaughton e George Hill fazendo a diferença, pontuando e defendendo muito bem, tivemos no Celtics um Terry Rozier zerado, totalmente apático no jogo, forçando arremessos que claramente não dariam em nada, um Gordon Hayward que apesar de distribuir bons passes ao longo do confronto, aparenta não ter confiança para arremessar ou criar jogadas, e um Aron Baynes que quase não jogou, provavelmente pela lesão sofrida no jogo passado. Para mim, apenas o ala-pivô Semi Ojeleye, com 6 pontos, se salva das críticas de hoje, pois trabalhou bem na defesa e matou bolas de 3 quando necessário.

Se o técnico Brad Stevens quiser chegar às finais do Leste pela 3ª vez consecutiva, vai precisar fazer muitos ajustes para que o coletivo realmente se sobressaia como deveria. Ainda mais se tratando de um adversário que está muito bem organizado.

O próximo jogo será novamente em casa, no TD Garden, dia 06, às 20h, com transmissão do SporTV e NBA League Pass para todo o Brasil.

Destaques do Celtics

Kyrie Irving (29 pontos e seis assistências)

Jayson Tatum (20 pontos e 11 rebotes/ duplo-duplo)

Jaylen Brown (18 pontos e cinco rebotes)

Al Horford (17 pontos, 8 rebotes e cinco assistências)

Destaques do Bucks

Giannis Antetokounmpo (32 pontos, 13 rebotes e oito assistências / duplo-duplo)

Khris Middleton (20 pontos e cinco assistências)

George Hill (21 pontos e quatro rebotes)

Pat Connaughton (14 pontos e sete rebotes)

Publicidade

Eduardo Marangoni
Eduardo Marangoni
Uberabense, 17 anos, atualmente vive em São Paulo/SP. Futuro estudante de Engenharia de Produção e são-paulino sofredor, sempre adorou esportes, e principalmente, torcer. Acompanha o Boston Celtics fielmente desde 2016, apesar de se considerar um celta desde aquele triste jogo 7 em 2010. Um dos últimos draftados da redação desse blog, e que almeja o ROY.

7 Comentários

  1. Publicidade

  2. L.Gabriel disse:

    Não imaginei chegar nesse ponto maaaaaas, sera que Smart volta jogar no domingo? Jaylen Brown vem muito bem nos playoffs, atacando o aro, e matando bola no perimetro, agora tatum e gh, olha ta osso, tem ir pra cima, infiltração, fizeram isso nos ultimos 3min e diminuimos, tudo ponto de lance livre… Enfim, celtics dessa temporada se mostra o melhor time no quesito, como perder jogos em menos de 3min.
    Sou torcedor recente acompanho fielmente desde 2016/2017, e me frustava quando ia dormir com o jogo com quase 20 dif contra o celtics o de manha acordava e o celtão tinha ganho… Nesta temporada não lembro de nenhum jogo assim, falta vontade…

    2

    2
  3. N€¥ Pjot∆ disse:

    Espero que o Gordon Hayward seja envolvido em alguma troca, sua apatia não combina com os Celtics!

    3

    0
  4. Marco Antônio de Paula disse:

    Acredito que que temos que encarar uma realidade. O Time do Bucks é melhor do que o nosso. Os caras estão mais preparados taticamente, e com melhor desempenho técnico. E quando os caras jogam nesse nível de concentração, fica difícil segurar. Mas acho que podemos melhorar muito nosso jogo, para poder pelo menos deixar essa séria mais equilibrada. Perder faz parte, mas acho importante poder jogar em um nível alto de vontade e concentração. Pelo menos disputar ponto a ponto essas partidas. O Time voltou a se portar muito mal defensiva,ente na série. Sem defesa não vamos conseguir ganhar mais jogo nenhum. Nosso garrafão defensivo foi muito fraco, não tivemos bem na defesa fora do perímetro também. Middleton e Hill deitaram e rolaram. Alem do Grego é claro. Acredito que o Stevens precisa ousar para pelo menos tentar brigar pela série. Precisamos fechar nosso garrafão defensivo. Se não der o Baynes, que vá com o Williams. O Grego é muito físico, então precisamos de jogador mais físico pra bater de frente com o cara. Horford sozinho não tem condições físicas para segurar o Grego o tempo todo. Também vamos precisar melhorar muito nossa defesa fora do garrafão, pois com o Grego bem marcado na área pintada, vai sobrar espaços para o Middleton matar suas bolas. Nesse caso é fundamental um defesa mais agressiva de Hayward e Kyrie nesse jogo. Stevens tem que parar de forçar minutos em quadra de quem está mal. (Ex. Rozier) . Na frente, precisamos de um jogo mais coletivo, parar de forçar bolas, sem trabalhar bem o jogo pro arremesso. Se jogar concentrado na defesa, com mais intensidade, jogando coletivamente, poderemos ainda brigar pela série. Se continuar o mesmo jogo de isolation no atque é defesa frouxa, que estamos vendo em quadra, se preparem para mais 2 surras. Que a força da nossa camisa possa fazer a diferença nesse momento. Avante Celtão.

    2

    0
  5. Fernando Silva disse:

    Também torço pelo retorno do Smart, se estiver em condições de ajudar na marcação do grego fora da área pintada.

    Temos opções não exploradas para contrapor o jogo dos Bucks.

    Eles devem insistir nas infiltrações do grego e abertura para bola de 3.

    Estamos nos centrando na marcação do grego e os atletas de apoio do adversário têm pontuado bem. Ora KM, ora Hill…

    Penso que o primeiro passo é acertar a nossa defesa.

    Uma opção seria uma marcação homem a homem no grego fora do garrafão, para dificultar as infiltrações (se o Smart puder, seria o meu eleito) e o apoio de outro atleta quando ele entrar no garrafão (usaria Theis e AH).

    A correção passa por trabalharmos melhor a defesa sobre o time dos Bucks e não apenas no grego. Não podemos permitir tamanha pontuação do Hill, do KM…

    Feito isso, precisamos melhorar o jogo coletivo no ataque. Mais troca de bolas e precisamos realizar trocas que nos permitam os matchups mais favoráveis.

    No último jogo, situações forçadas multiplicaram nossos turns.

    Acho que ainda não perdemos a season, mas precisamos vencer a próxima partida, ou o resto será mera formalidade.

    Uma última observação sobre o último jogo: cansamos de fazer jogos bem físicos contra os Pacers.

    Mas a arbitragem deste jogo 3 se portou de forma diferente.

    Resultado: muitos lances livres aos Bucks no Q3 e nossa defesa demorou para encaixar entre o Q3 e o Q4.

    Na minha opinião explica, em parte, o resultado da partida.

    3

    1
    • Marco Antônio de Paula disse:

      Fernando, acredito que sua observação faz sentido. Mas eu não sei como o Smart voltará da Contusão. O o jogo do Grego é bastante físico e com certeza o cara vai explorar aquele músculo do Smart que está em fase de recuperação. Eu tentaria um Baynes (Se não tiver Baleado) e até mesmo um Williams para brigar com o grego naquele garrafão. Quanto a bola de fora, precisamos de apoio de quem estiver fora dessa área pintada Kyrie e Hayward. . Hayward está jogando em média 30 minutos por jogo, qual sua participação defensiva efetiva nesses últimos confrontos? Smart voltado, se tiver bem, deve melhor muito esse ajuste defensivo fora do perímetro. Mas o cara não é o salvador da pátria. O Fundamental é o Kyrie assumir essa responsabilidade mais coletica e comandar o time em quadro, e isso não se faz apenas forçando bolas no seu game isolation. Quantos aos árbitros é normal na NBA , defender sempre o ataque. Isso não vai mudar. Concordo que tem muita falta forçada em cima do grego. Mas eu prefiro que essas faltas sejam marcadas em uma defesa realmente agressiva nossa. O Grego tem que sofrer para bater essas faltas. Nesse 2 ultimos jogos, o Grego achei o grego muito confrtável em nosso garrafão defensivo. Dá pra ganhar dos caras? sim. Mas precisamos jogar mais físico e mais forte defensivamente.

      1

      1
  6. Marcos disse:

    O problema maior é a ausência da defesa do perímetro e a rotação escangalhada.
    Ontem o Hill e o Pat qq coisa mataram o jogo, com apoio do Middleton.

    O grego fez o que tinha que fazer e a defesa nele tb.
    Já vi arbitragens bem piores.

    Jogar com Baynes e Horford e trazer o Morris do banco, para termos pontuação.
    Não precisa ficar preservando Morris, Theis e Ojeleye de faltas.
    Se forem fouled out, paciência.

    Cortar os minutos do Parson em favor do Jaylen Brown.
    Ninca jogar Rozier e Irving juntos.
    Wannamaker podia ser mais testado.

    Abs vereldes,

    4

    1
  7. Erondi Nunes disse:

    Banco de reservas precisa pontuar mais se não já era.

    Ainda não acabou, vai acabar se perdermos o jogo 4.

    Por que mudaram a estratégia. Por que não pagarão pro grego chutar. Por que deram prioridade pras bolas de fora, fizeram tudo diferente do jogo 1.

    Paul Pierce zicou legal.

    1

    0

Deixe um comentário