Visite nossas Redes Sociais
Curta e siga nossas redes para ter acesso a conteúdos exclusivos, além de manter-se sempre atualizado sobre novos artigos no site.

Celtics x Hawks – Análises e Palpites

Para introduzir o leitor à série da primeira rodada dos playoffs da Conferência Leste, o Celtics Brasil convocou seus colunistas para analisarem o confronto contra o Atlanta Hawks e contarem seus palpites sobre o resultado final da série. Confira abaixo o que cada um dos colaboradores avaliou:

Bruno Penna (Hawks 3 x 4 Celtics)

Talvez o confronto mais equilibrado deste primeiro round do NBA Playoffs 2015-16, Celtics e Hawks prometem fazer jogos duríssimos e muitos da imprensa americana acreditam que serão necessários os 7 jogos para definir quem avança para a próxima fase. O destaque das partidas provavelmente ficará por conta do show defensivo que os dois times demonstraram durante a temporada, o que deve se repetir agora na fase de mata-mata. Se observar o ranking de melhores defesas da temporada regular, você encontrará o Hawks na segunda colocação (atrás apenas da máquina defensiva do Spurs) e o Celtics ocupando a quarta colocação. A vantagem celta aparece no quesito ofensivo, tendo Boston o 13º melhor desempenho ofensivo enquanto a equipe de Atlanta aparece apenas na 18ª posição.

Minha aposta vai em uma série que será decidida nos detalhes, mas acredito sim que o todo poderoso Celtics pode sair vitorioso no Jogo 7 como visitante. Para que isso aconteça, Boston precisará eliminar um defeito que apareceu por vezes durante a temporada até aqui: os “apagões” durante as partidas. Por ser uma equipe que joga em alto ritmo, a equipe demonstrou dificuldades quanto à criatividade e organização em quadra durante certos momentos, fazendo com que vitórias garantidas se tornassem derrotas decepcionantes. Nos Playoffs, a margem de erro é infinitamente menor e durante todos os minutos precisamos demonstrar consistência.

O maior desafio de Brad Stevens na estratégia de jogo será descobrir como segurar o garrafão adversário formado pela poderosa dupla Paul Millsap e Al Horford. O duelo à parte entre os armadores All-Star’s Jeff Teague e Isaiah Thomas também promete ser intenso. Pesando a favor para o lado celta, Evan Turner vem de uma enorme crescente desde o All-Star Break e pode ser uma peça decisiva por sua capacidade ofensiva. Olho também em Jae Crowder que apesar de estar atuando regularmente nas partidas, já admitiu não estar 100% fisicamente desde que voltou da lesão. Crowder tem sido um dos grandes termômetros do time nesta temporada; quando faz boas atuações dificilmente o Celtics não sai vitorioso.


Pedro Gabriel (Hawks 3 x 4 Celtics)

Depois do nosso jovem elenco garantir uma vaga no último Playoffs, e sendo varrido pelo Cleveland Cavaliers, o time demonstrou nessa temporada regular um grande amadurecimento. Jogos memoráveis, como os confrontos contra o Golden State Warrios, e outros totalmente esquecíveis, derrota para o Lakers em casa, por exemplo, fazem parte do repertório.

Em comparação com a temporada passada, o time se mostra muito mais preparado para escrever uma história diferente. O gosto amargo por ser varrido ensinou o ouro mundo que os Playoffs é, e o primeiro passo na segunda fase é vencer um jogo na série, para dar confiança suficiente e mostrar que esse elenco promissor é capaz de triunfar nesse primeiro round.

Agora um All-Star, Isaiah Thomas junto com Jae Crowder lideram os celtas que terão o Atlanta Hawks pela frente, que mostrou ser uma pedra no sapato pelos últimos três confrontos. O problema do garrafão ainda não foi solucionado, deixando o técnico Brad Stevens com dores de cabeça. Mas não significa que o adversário não nos tema. Afinal, o Celtics foi o time que mais deu trabalho ao temido Warrios, que tirou uma diferença de 26 pontos do Miami Heat e venceu o último jogo da temporada e entre outros grandes feitos na base da raça ou técnica.

Acredito que essa série seja uma das mais equilibradas e boas de se assistir no primeiro round. Ambos os times possuem bons jogadores, virtudes particulares de vencerem a série com méritos próprios. Em caso de derrota, não será vexame nem o fim do mundo, mas causará grande decepção para nós torcedores, que temos grandes expectativas no nosso futuro, que já começou.


Fábio Malet (Hawks 2 x 4 Celtics)

Na última temporada, o Celtics foi a surpresa do Leste, chegou na pós-temporada, mas foi varrido por aquele que viria a ser o campeão da Conferência naquela temporada, o Cleveland Cavaliers. Só que a equipe evoluiu bastante. Thomas tornou-se um All-Star e terminou na oitava colocação do MVP Ladder do NBA.com. Bradley é alvo de campanha para ser incluído no primeiro time de defesa da liga. Crowder é cogitado para o prêmio de jogador de maior evolução da temporada e está no topo da lista de roubos de bola. Jared Sullinger ficou entre os dez melhores em defensive rating na temporada (SIM!). Turner é um dos favoritos para o prêmio de melhor sexto homem. Brad Stevens deve mais uma vez figurar entre os melhores treinadores da Liga. Enfim, os destaques são muitos.

Esta evolução supracitada pode ser atestada também pela subida de produção da equipe, que pulou de 40 vitórias na temporada passada para as 48 vitórias desta temporada, colocando-a na quinta colocação da conferência, empatado com o terceiro colocado Miami Heat e o quarto Atlanta Hawks. E essa evolução é ainda mais expressiva por conta da evolução dos times da conferência Leste, que tiveram 10 equipes com mais de 40 vitórias nesta temporada.

De outro lado, o Hawks teve uma grande queda de desempenho no mesmo período. Líder avassalador do Leste na última temporada, neste ano a equipe de Atlanta tem o mesmo número de vitórias do sexto colocado da conferência, Charlotte Hornets, decrescendo em 12, o número de vitórias conquistadas. A perda de um dos pilares da última temporada, DeMarre Carroll e a queda de produção de seus titulares de perímetro, Jeff Teague e Kyle Korver, podem explicar essa queda de produção da equipe comandada por Mike Budenholzer.

De qualquer forma, a série promete ser a mais equilibrada dessa primeira rodada de pós-temporada em toda a liga, até porque, as duas equipes terminaram a temporada regular com a mesma campanha. O garrafão formado por Paul Millsap e Al Horford deve incomodar bastante a equipe do Celtics. Da mesma forma, o perímetro intenso de Boston vai dar bastante dor de cabeça para o treinador de Atlanta. Apesar de o Hawks ter levado vantagem nos confrontos diretos da temporada regular (3 vitórias e 1 derrota), Boston é muito forte jogando em seus domínios, onde a torcida e a camisa influenciam bastante na atmosfera do jogo e no adversário, e, além disso, o Celtics também mostrou bastante força em jogos importantes longe de casa, como nas vitórias contra os líderes das conferências Cleveland Cavaliers e Golden State Warriors. Por conta disso, aposto em Boston ileso em casa e roubando uma vitória em Atlanta, para fechar a série em seis jogos.


Daniel Emiliano (Hawks 4 x 2 Celtics)

Ok, eu sei! Você vai ler esse meu palpite e em silencio vai me xingar (talvez o faça em voz alta mesmo..hehehe)

O fato é que eu assim como todos, vou torcer como louco, ficarei indignado em caso de derrota e ficarei eufórico em caso de vitórias, mas o matchup com o Hawks pra mim sempre foi um dos piores possíveis de acontecer na primeira rodada de playoff e infelizmente foi ele que ocorreu, o que me deixa com uma baita pulga atrás da orelha.

Não vamos nos iludir! A equipe de Atlanta tem um elenco superior e tem seu ponto forte exatamente onde o Celtics tem sua maior falha, o garrafão.

A equipe de Boston demonstrou a temporada toda que se agiganta contra equipes que tem perímetros fortes, como GSW e Heat, mas sofre até para adversários fracos que tem uma boa ofensa no garrafão, como Nets e Sixers.

Nos 4 jogos em que as equipes se enfrentaram na temporada, em 2 delas Milsap saiu de quadra como o melhor jogador da partida e nas outras duas foi Holford que ficou com a honra.

Brad Stevens tem se mostrado um prodígio das pranchetas, mas ele simplesmente não tem material humano para parar a dupla de garrafão adversária, o que coloca a equipe de Boston em maus lençóis e justificam minha previsão.

Mas embora eu tenha votado em um placar adverso, acredito que o Celtics pode vence-los. A chave para isso está em na ofensa de Bradley e Thomas.

Thomas precisa fazer o de sempre, se infiltrar no garrafão e cavar faltas, a fim de minar a dupla de garrafão de Atlanta e coloca-los no banco pelo maior tempo possível.

Já Bradley precisa aproveitar que estará sendo marcado por Korver, que é a unica brecha defensiva da equipe rival e pontuar com frequência. Se Bradley não conseguir ser consistente na pontuação, Turner terá de entrar em seu lugar para o fazer, caso contrário vejo pouquíssimas chances de uma vitória.


Rômulo Portugal (Hawks 2 x 4 Celtics)

E cá estamos novamente! Vivendo seu terceiro ano no processo de rebuilding, o Boston Celtics assegurou, mais uma vez, sua passagem de ida para os Playoffs.

A expectativa geral da nação celta é que o progresso observado na temporada regular, também ocorra no mata-mata da NBA, já que no 2015 NBA Playoffs, o maior campeão da NBA voltou para casa após apenas 4 partidas.

No entanto, para que sua passagem de volta, nesse ano, venha a ser mais demorada, o Celtics terá de passar por seu “irmão gêmeo” do Leste: o Atlanta Hawks!

Ora, mas por quê “irmão gêmeo”? Assim como a equipe de Boston, a chave para o sucesso, em Atlanta, reside em forte defesa e jogo ofensivo coletivo. A equipe da Geórgia, por mais que tenha talentos como Al Horford e Paul Millsap, sabe que sem um sistema de jogo solidário, seus planos perecerão.

Vistas as semelhanças, eis, agora, as duas principais diferenças: o Hawks participa do NBA Playoffs desde a temporada 2007/2008, ou seja, é presença constante há quase 1 década; o Celtics, por sua vez, carrega pequeníssima bagagem de experiência em Playoffs, tendo grande parte do elenco disputado apenas as 4 partidas da série contra Cleveland. Outro fator diferencial é que o ponto forte deles (jogo de garrafão) é exatamente o nosso calcanhar de Aquiles, por mais que Jared Sullinger e Amir Johnson tenham crescido de rendimento nas últimas semanas.

Ao lado de Heat vs Hornets, Hawks e Celtics travarão a série mais atrativa e parelha desta primeira rodada. Devido à inexperiência do elenco celta, creio que uma vitória, em um eventual sétimo jogo, na Phillips Arena, seja algo utópico demais.

Por outro lado, Brad Stevens tem a minha (e de quase todos os celtas) total confiança. Nos seus primeiros anos na Universidade de Butler, Stevens levou seu time ao March Madness, mas caiu logo nas fases iniciais. Obcecado a provar seu valor, e acumulando bagagem com seus revezes, a equipe comandada pelo astuto Stevens ressurgiu mais forte, nos anos seguintes, e chegou a alcançar, por 2 anos consecutivos, o Final Four, quando o jovem treinador levou seu brilhantismo para a NBA e, felizmente, para Boston.

Portanto, creio que a história se repetirá. Afinal, não só o elenco celta é melhor, como Stevens também o é, acumulando experiência de 3 temporadas regulares e 1 pós-temporada, mas, principalmente, por possuir aquela obstinação de provar que é tão bom quanto falam. Tenham certeza que a dolorosa derrota para o Hawks, há exata 1 semana, pode ser o fator crucial para nossa ida às semifinais do Leste, pela primeira vez desde 2012.

Afinal, como visto, Stevens cresce com suas derrotas.E a história comprova que o Boston Celtics também.

Author avatar
Bruno Penna
Nascido e criado no Rio de Janeiro, é formado em Administração e apaixonado por esportes. Começou a se interessar por basquete em 2005 ao assistir um monstro chamado Kevin Garnett em quadra. Se apaixonou pela história do Boston Celtics e desde então dividiu o fanatismo que antes era ocupado só com o Botafogo.

8 comentários

  1. Francisco

    Daniel, q isso cara? hahahaha
    Cara, eu realmente não queria pegar o Hawks, principalmente pele garrafão deles.
    Chuto um 4×3 Celtão.

  2. Fernando Nakashook

    Série complicadíssima, não só pelo forte garrafão do Hawks, mas pelo fato deles também terem como forte o jogo coletivo, e um jogo coletivo mais experiente que o nosso.

    Não podemos perder o foco nesses jogos igual aconteceu em vários da temporada regular, ou vamos acabar perdendo feio…

  3. Heldeni Canêda (@heldeni3rios)

    Com certeza se o CELTICS jogar com seriedade marcação forte vamos levar 4 x 2 .. jogos difíceis mas estou confiante !!!

  4. Sander

    Começaria com o Crwoder na 4 para marcar o Millsap (ele é a alma do Atlanta), Turner na 3 por ter boa defesa e incomodar ofensivamente, Amir revezar com o Sully para cima do Al Horford. Olly vai ser importante para espaçar a quadra e abrir espaço para as infiltrações do I. Thomas, Smart e Rozier podem ser importantes em cima do Schoroder(Sei lá como se escreve), Jerebko tbm pode incomodar o Millsap um pouco.

    Eles tem um garrafão bem melhor que o nosso, mas nosso banco é bem melhor do que o deles, o que pode fazer toda a diferença.

  5. drakes

    Celtics 4×2, ano passado o Hawks caiu muito em termos de campanha regular e playoffs, Millsap vem jogando acima da média dele nos últimos jogos, logo cai.

    Outros resultados:
    Cavs 4 x 1 Pistons
    Heat 2 x 4 Hornets
    Raptors 4 x 1 Pacers

    ——

    Warriors 4 x 0 Rockets
    Clippers 4 x 2 Blazers
    Thunder 4 x 0 Mavs
    Spurs 4 x 0 Grizzlies

  6. Fernando C. da Silva

    Sanders, concordo. Eu só guardaria esta cartada (Jae na 4 e Sully na 5) para decisão do último quarto em uma partida fora de casa.

    Precisamos de uma alternativa para.levar o jogo equilibrado na Phillips Arena até os 6 min finais do último quarto.

Postar comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *