Os 5 maiores desafios de Stevens para a temporada 2018-19

brad stevens

Com o elenco novamente completo, o Celtics entra na temporada de 2018-19 como um dos grandes favoritos para estar nas finais, mas isso não quer dizer que o técnico Brad Stevens terá menos trabalho do que em outras temporadas passadas, pelo contrário.

E é pensando nisso que vamos listar quais os 5 maiores desafios de Steves para a temporada.

 


 

Transformar Robert Williams em um jogador profissional

Robert Williams, escolha do Celtics no draft deste ano, sempre foi um jogador talentoso com potencial para conseguir muito destaque na NBA.

No entanto, constantes problemas pessoais envolvendo seu nome no colegial e na universidade, fizeram com que muitos gerentes da NBA o ignorassem na seleção, fazendo com que o atleta que chegou a ser cotado como um top 10, deslizasse na seleção, até o encontro do Celtics.

A sensação de ter “sucesso no Draft”, rapidamente deu lugar a uma desconfiança para o torcedor, com a falta de profissionalismo mostrada pelo atleta logo em seus primeiros dias como jogador da franquia.

Primeiro, Williams chegou atrasado a sua conferencia de apresentação, por ter, segundo ele mesmo, dormido até tarde.

Depois, o atleta perdeu seu primeiro dia de treinos em Boston, por ter perdido um voo.

Em uma franquia onde o trabalho duro é quase que uma religião, um jogador disfuncional como Williams pode causar desconfortos com os demais jogadores do elenco e gerencia da franquia, então cabe a Stevens tentar guiar o calouro ao caminho do profissionalismo.

Em Boston, Stevens já teve que lidar com outros jogadores problemas e em muitos casos não obteve sucesso em mudar suas condutas, como nos casos de James Young e Sullinger, e até mesmo com Smart e seu constante problema com peso.

Williams portanto coloca Stevens de frente novamente com um grande desafio, o de provar que além de um mestre na tática, também pode ser um grande gestor de personalidades.

 


 

Lidar com possíveis insatisfações sobre minutos

Hayward, Irving e Theis estão de volta, e o que é motivo de comemoração para todo torcedor, também pode gerar uma dor de cabeça para Stevens. Como administrar minutos e deixar todos os atletas do elenco contentes, tendo tantas opções de qualidade pedindo espaço no time?

As lesões da temporada passada, deram espaço para jovens jogadores como Tatum e Rozier ganharem minutos grandes, e se destacarem nas partidas.

Com o elenco completo, não só eles, como vários outros atletas poderão ter seus minutos reduzidos, ou até ter sua titularidade perdida.

Como reagiriam Tatum, Hayward ou Brown indo para o banco de reservas?

Como reagira Rozier, que após uma temporada com muitos minutos, vê seus minutos correndo risco de extrema redução com o retorno de Irving, renovação de Smart e contratação do destaque europeu, Brad Wanamaker?

E Morris? Que é conhecidamente um jogador orgulhoso, e que vem sofrendo com depressão; Como reagiria a uma grande perda de minutos para Tatum e Hayward, sabendo que tem potencial até para ser titular em outras franquias?

Os conflitos aqui podem ser enormes, e mais uma vez, Stevens vai ter que mostrar que tem capacidade para gerar egos e manter um elenco extremamente talentoso, unido.

 


 

Lidar com a pressão de ser favorito

Desde que colocou os pés na NBA, Stevens nunca esteve no papel de favorito.

Mesmo com as contratações na temporada passada, o Celtics não era considerado favorito na conferência, tendo o Cleveland de Lebron a sua frente, e o Raptors ao seu lado.

Nessa temporada, no entanto, tudo mudou! A saída de Lebron para o Oeste, o desenvolvimento dos jovens jogadores e o retorno de Irving e Hayward fazem do Celtics o favorito indiscutível ao título do Leste nesse ano, e ainda não sabemos como essa pressão por resultados pode influenciar os resultados da equipe.

Cabe a Stevens manter o time calmo e atento ao mesmo tempo, para que a pressão não cause stress desnecessários nos atletas, e que caso os resultados venham, a soberba não tome conta do elenco.

 


 

Administrar minutos de jogadores voltando de lesão ou com idade avançada

Não é de hoje que o Celtics parece uma franquia amaldiçoada pelas lesões.

Desde a época do Big 3, a ausência de jogadores chave lesionados tem tirado do Celtics resultados melhores do que os conquistados.

Com Irving, Theis e Hayward voltando de cirurgias, e a dupla de garrafão Horford e Baynes já acima dos 30 anos, uma dosagem de minutos e descanso em alguns jogos serão de vital importância para que o Celtics chegue “inteiro” nos Playoffs.

 


 

Lidar com os rumores e interesses de jogadores em final de contrato

Horford, Irving, Morris, Baynes, Theis e Rozier não tem contrato garantido para a temporada 2019-20.

Alguns serão agentes livres, outros tem opções de abandonarem seu último ano de contrato, o que faz do Celtics um prato cheio para especulação na Trade deadline e ao fim da temporada.

Uma redução de minutos ou perda de importância no esquema pode fazer com que alguns dos jogadores listados acima, adquiram interesse em deixar a equipe ao fim de seus contratos o que seria péssimo para o Celtics, principalmente no caso de estrelas como Irving e Horford que muito dificilmente poderão ser repostos com a mesma qualidade, devido as limitações de espaço no CAP.

Então aqui nos tornamos repetitivos e citamos mais uma vez a importância de Stevens em lidar com minutos e egos, fazendo a equipe se tornar o mais unida possível, tirando dos atletas qualquer intenção de abandonar a franquia.

Publicidade

Daniel Emiliano
Daniel Emiliano
Daniel é publicitário, web designer e ilustrador residente em Campinas/SP. Em 2008 uniu paixão e profissão e deu vida a um Blog de notícias e opiniões sobre o Boston Celtics.Com ajuda de outros apaixonados o Blog foi tomando proporções inimagináveis e hoje é este Celtics Brasil, o maior site sobre uma equipe da NBA no Brasil.

3 Comentários

  1. Publicidade

  2. Walmir disse:

    Boa sorte ao Coach! Go Celtics!

    2

    1
  3. Fernando Henrique disse:

    Williams é com certeza a questão mais delicada. As chances de ser um jogador pouco comprometido e que sofre com lesões existem. Mas se ele vingar pode ser a chave pra elevar o nível do time.
    Brad Stevens lapidou muito bem o Tatum, o Brown e o Rozier. Agora é torcer pra acontecer o mesmo com o Williams

    14

    0
  4. Fernando Silva disse:

    Serei direto: Stevens e DA lidam bem com as situações acima.

    Porém é evidente que a solução de problemas não depende apenas deles.

    As vezes o garoto problema não aceita a solução do caso e não se tem o que fazer.

    1

    0

Deixe um comentário