Visite nossas Redes Sociais
Curta e siga nossas redes para ter acesso a conteúdos exclusivos, além de manter-se sempre atualizado sobre novos artigos no site.

James Young: a real esperança celta para 2015/2016

O Boston Celtics possui 4 escolhas no 2015 NBA Draft, que ocorrerá no final do próximo mês, mas nenhuma delas está entre as 15 primeiras. Esse fato, a princípio, deixa alguns analistas céticos sobre a possibilidade do Celtics recrutar um jogador que já chegue causando algum impacto positivo para o time, ajudando o maior campeão da NBA a dar mais um passo no seu processo de rebuilding.

Talvez por esse motivo, alguns torcedores do Celtics estejam mais otimistas sobre um jogador que já está em Boston e que, para alguns, pode vir a se transformar em um atleta digno de primeiras escolhas no NBA Draft. Seu nome? James Young.

O pensamento quase unânime, ao redor da NBA, é que Young (recrutado com a 17ª escolha no 2014 NBA Draft) seria uma escolha de loteria (top-14) no recrutamento desse ano, caso o ala tivesse permanecido para sua segunda temporada universitária em Kentucky. É impossível adivinhar o quanto Young desenvolveria em seu segundo ano na NCAA, mas algo podemos deduzir: após passar boa parte de sua primeira temporada na D-League (liga de desenvolvimento da NBA), o Celtics espera que o jovem, de 19 anos, esteja pronto para mostrar um rendimento suficiente para torná-lo um jogador de rotação na próxima temporada.

O treinador celta, Brad Stevens, que afirmara, na offseason passada, que pensava em Young como jogador de escolha de loteria, declarou, recentemente, que tem seu comandado como perfeito exemplo para demonstrar a dificuldade encarada por jovens atletas na transição da NCAA para a NBA.

“Nós realizamos algumas entrevistas no NBA Draft Combine, em Chicago, no começo desse mês. Creio que entrevistamos 18 atletas. Uma pergunta recorrente era: ‘você tem ciência da dificuldade que está por enfentar?’ ”, contou Stevens. “É uma transição difícil, afinal a temporada da NBA tem 82 jogos, no mínimo”.

Stevens foi além: “Muitos deles tem uma noção, como eu também tinha ao ir de treinador da NCAA para a NBA, mas é completamente diferente. É, realmente, muito complicado. Nós tivemos um garoto de 19 anos no nosso elenco, em 2014/2015 – James Young -, que nós achamos que virá a ser um jogador fantástico, cuja dedicação é boa, que vem disposto a treinar e progredir todo santo dia, que está melhorando como jogador, mas ele mesmo nem sempre tinha consciência do quanto tinha que trabalhar para poder jogar. É uma situação chata para o jovem que chega na NBA, já que ele trabalha diariamente, mas não ganha tempo em quadra”, reconheceu Stevens.

“No entanto, nós sabemos que, com o decorrer do tempo, Young estará pronto para os desafios. Mais cedo do que muitos imaginam”, afirmou o treinador celta.

Ratificando o pensamento de Stevens, Young nunca conseguiu emplacar durante sua temporada de calouro. Um acidente de carro, antes do 2014 NBA Draft, prejudicou suas entrevistas com franquias interessadas em seus talentos. Tal fato contribuiu para que o ala chegasse disponível a Boston, que detinha a 17ª escolha daquele recrutamento. Young também não pode participar da Summer League passada, devido ao mesmo acidente. Já na pré-temporada, Young lesionou sua coxa, logo no primeiro amistoso e não pode participar, por isso, de quase todos os amistosos restantes. Não obstante, em Dezembro, o jovem teve de lidar com uma lesão no ombro. Por fim, em Janeiro, foi atingido por uma gripe.

Young atuou em 17 jogos pelo Maine Red Claws (filial do Celtics na D-League), tendo uma média de 21.5 pontos, por jogo, em 32.9 minutos por partida. Ademais, seu aproveitamento, nos arremessos de longe, foi de 44.2% (10º melhor aproveitamento em toda a D-League, na última temporada). Já pelo Celtics, o ala participou de 31 jogos, conseguindo razoáveis minutos no período compreendido entre fim de Fevereiro e começo de Março. Contudo, a arrancada celta, rumo aos Playoffs, não teve uma participação marcante de seu calouro, que perdeu espaço na rotação para Luigi Datome.

A grande dúvida é saber se Young, finalmente, mostrará o progresso necessário a fim de receber espaço na rotação celta para 2015/2016. É inquestionável que o Celtics precisa de melhor aproveitamento nas bolas de 3, especialmente na posição de ala. Portanto, Young pode vir a ser bastante útil, mas o Celtics também espera que o jogador expanda seu arsenal ofensivo, bem como seu potencial defensivo, a fim de que o maior campeão da NBA possa contar com seu jovem atleta nos 2 lados da quadra.

O Celtics sonha com James Young seguindo os passos de Avery Bradley. O camisa 0 de Boston caiu no 2010 NBA Draft devido a uma lesão no pé, sofrida durante as entrevistas pré-Draft. Graças a isso, o Celtics conseguiu selecioná-lo com a 19ª escolha daquele recrutamento. Bradley também disputou 31 jogos, pelo Celtics, na sua temporada de calouro. Muito embora já apresentasse uma defesa acima da média, o ala-armador apresentava dificuldades nos arremessos e não conseguia cavar seu espaço em um elenco recheado de veteranos. Entretanto, ao final de sua segunda temporada, Bradley havia colocado ninguém menos que Ray Allen no banco de reservas, assumindo a titularidade da posição 2. Não obstante, o camisa 0 de Boston emergiu como um monstro defensivo na NBA, além de desenvolver seu jogo ofensivo.

Portanto, cabe a Young abraçar essa oportunidade que vem aparecendo. Muito embora seja frustrante não ter tempo de quadra durante sua primeira temporada, o jogador tem a chance de mostrar que está pronto para um papel de maior destaque em Boston. O camisa 13 de Boston precisa continuar desenvolvendo seu jogo durante a atual offseason.

Diante desse cenário, a primeira oportunidade que teremos, para avaliar o desenvolvimento de Young, virá na 2015 NBA Summer League, na qual o ala deve jogar muitos minutos para ganhar ritmo de jogo e confiança, sempre com olhos na temporada 2015/2016.

Sendo assim, é seguro concluir que, enquanto as atenções de muitos estão voltadas para quem o Celtics vai recrutar com as escolhas 16, 28, 33 e 45 (ou se vai negociá-las e subir no NBA Draft), no recrutamento do próximo mês, talvez a melhor aposta celta, para a próxima temporada, já esteja em Boston.

Author avatar
Rômulo Portugal
Rômulo é carioca, advogado, e fã de futebol, NBA e NFL. Acompanha o Celtics desde 2003. Seu fanatismo pelo maior campeão da NBA o fez torcer para os demais times de Boston. Como bom carioca, é Vascaíno. Tem Paul Pierce como primeiro e grande ídolo na NBA.

14 comentários

  1. josé

    Uma pergunta para voces, vocês talvez nao podem achar um jeito de o Thomas por um acaso ensinar um pouco a ele, pois o Thomas tambem arremessa com a esquerda. Nao poderia ser uma ajuda e tanto???

    Oque vocês acham?

  2. Jota

    Que texto maravilhoso! Entrevistas muito boas também!

    Concordo que o Young certamente seria escolha de loteria se ficasse mais um ano nessa Kentucky que chegou à final e não tenho dúvidas de que ele seria titular nesse time. Ano passado ele caiu de posição por uma fatalidade, ele estava cotado entre os 10 anos. (Sério que acham que o Stauskas, por exemplo, sairia antes dele mesmo?!)

    É o que eu vejo por aí: não vale a pena trocar jogadores promissores que já estão aqui por outros jogadores promissores que nem sabemos se darão certo. Subir para draftar um Kelly Oubre ou um Devin Booker por exemplo. Seria trocar 6 por meia dúzia.

    Como comentei na outra postagem dele: tem stapback que pode ser mortal, troca de velocidade, visão de jogo, bom posicionamento sem bola, bom arremesso (Com uma boa mecânica também), boa infiltração, tem a vontade e a coragem de encarar para enterradas para alguém da posição dele. O que lhe falta é a defesa mas que pode pelo menos ser aceitável com tantos talentos defensivos no nosso time. As médias dele na D-League estão absurdamente boas, especialmente suas %%.

    Eu apenas aceitaria (Como se eu fosse fazer alguma diferença) se fosse uma troca dele por algum talento já comprovado, principalmente para a posição no garrafão. Fora isso, não gostaria de nenhuma troca que o envolvesse por pick do draft. Pra mim não faz muito sentido. É melhor deixá-lo evoluir para ver se dará um bom jogador ou no mínimo um bom role player.

    • Jota

      Alguns vídeos coletados aqui do Young, para quem não viu ou está curioso:

      1 – youtube. com/watch?v=aoOM_eVJiyk
      2 – youtube. com/watch?v=Xrgpl_WNpvo
      3 – youtube. com/watch?v=tXE8xYzmqHA
      4 – youtube. com/watch?v=Z1ZVIM35I9k
      5 – youtube. com/watch?v=BEvdABdHC1Q

    • Fabrica de Vassilo

      Ele me lembra muito o James Harden, principalmente na epoca do Thunder, que tinha pouca defesa, imagina se ele chega aquele lvl do OKC logo nessa temporada ? não acho que esteja tão longe assim, seria concorrente do Thomes já pra ser 6th man

  3. Sander

    Não queria que o Ainge trouxesse algum jogador acima dos 27 anos, até msm de garrafão, tentaria algum C novo tipo Noel, Embiid ou Faried para PF. Encheria o time de mlks promissores, tipo Smart, Young, Bradley, Thomaz e etc.
    No Draft iria atrás do Garnet Jr pela personalidade e tentaria trocar o Olynyky e o Sully.

  4. The Real Jay

    Noel e Faried um garrafão possível e monstruoso na defesa!

  5. Shandyego Nunes de Oliveira

    Ele e Smart, pra mim são o grande futuro celta. Claro, Smart já demonstrou durante a temporada, mas ambos serão fundamentais em um futuro, que se desenha próximo.
    Apesar o Isaiah Thomas ter feito um belíssimo final de temporada, ainda aposto no Smart armando o Boston, não na próxima temporada talvez, mas em breve.
    Mas tudo pode acontecer, devido a necessidade da busca por jogadores do garrafão, Faried por exemplo, tem especulado a vontade de sair de Denver, seria uma boa opção, apesar que acho o valor dele alto demais, pro jogador que é, mas defensivamente seria interessante.

  6. Sander

    Em vez de sonhar com o Faried, podíamos sonhar com D. Green, acho que vai conseguir o mesmo contrato do Faried e, não sei se o GSW conseguirão cobrir uma boa oferta por ele.

  7. contera

    acho que o green vai querer mais do que o contrato do faried provavelmente o maximo todos querem ultimamente

  8. Luiz eduardo

    Eu sou MUITO mais o green do que o faried, ele defende muito bem e ataca muito melhor, e chuta ate de 3 como Stevens gosta

  9. Lucas Braga

    Tem tudo pra chegar no nível do James Harden!

  10. […] entanto, alguns acontecimentos recentes estão deixando claro para mim que o futuro de Young em Boston está tomando uma direção diferente do que muitos […]

Postar comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.